Uma das coisas positivas em viajar de navio da Italia em direção ao sul da Espanha é que ganhamos algumas horas de luz no final do dia. Nós chegamos em Málaga no dia 20 de dezembro: enquanto em Savona o pôr do sol era previsto em torno das 16.45, em Málaga o sol se punha às 18.

A praia de Malagueta

Nós ficamos cerca 5 horas na cidade e deu para aproveitar bastante porque o dia estava um espetáculo: céu azul e muito sol. Obviamente em dezembro é inverno e não dá para curtir uma praia de biquini, por exemplo. Mas certamente para quem ama o mar, pode ser uma boa idéia reservar pelo menos uma meia horinha para passear na praia, como nós fizemos.

Passeio na praia de Málaga no final do dia

A história de Málaga

A cidade foi fundada pelos fenícios, que construíram um pequeno vilarejo nos arredores da colina onde hoje se encontra Alcazaba. Durante a época romana, Málaga desfrutou do privilégio de ser uma cidade da confederação de Roma. A cidade viveu sua principal época de progresso durante a dominação árabe. Em 1487 Málaga foi conquistada pelos Reis Católicos e daquele momento começou um período de lenta decadência.

No final do século XVIII e início do XIX, nascia a alta burguesia ao redor das duas famílias de prestígio de Málaga: a família Larios e a família Heredia que transformaram  a cidade no segundo centro industrial da Espanha. A partir de então Málaga voltou a crescer e hoje, com o surgimento da Costa del Sol,  é uma das capitais mundiais do turismo.

O que ver em Málaga (em 5 horas)

Ir para Málaga e não visitar Alcazaba e o Teatro Romano é como ir a Roma e não ver o Papa. Ok, eu nunca fiz muita questão de ver o Papa ao vivo, mas adorei visitar este forte do século XI construído na base do Castelo de Gibralfaro.

No fundo os muros de Alcazaba

O forte fazia parte do sistema de defesa da Málaga árabe e se unia aos muros da cidade, que já não existem mais. Lá do alto do forte dá para curtir uma vista panorâmica da cidade e do porto (de onde apreciamos o belo navio da Costa).

Alcazaba

Uma outra visita que você deve fazer, pelo menos externamente, é a casa onde nasceu Pablo Picasso. A casa de Picasso hoje é uma Fundação (Fundación Picasso) e pode ser visitada internamente por apenas 1 euro (não me lembro de ter achado a parte interna da casa muito interessante, mas já que você está lá…). Provavelmente vale muito mais a pena o interior do Museo Picasso, que no entanto vai ficar para a próxima vez em Málaga.

Fundacion Picasso: a casa onde nasceu Pablo Ruiz Picasso em 25/10/1881

Nós aproveitamos para nos perder um pouco nas ruazinhas Málaga, visitamos lojinhas um mercadinho, passeamos na praia e voltamos para o navio porque às 18.30 todos deveriam estar de volta.  Próximo destino: Cadiz.

Leia os outros capítulos sobre esse cruzeiro de natal: