Não apenas de trem se faz turismo na Itália. Em tempos de crise econômica, os italianos redescobrem o turismo “lento” proporcionado pelas milhares de linhas de ônibus que penetram no profundo interior das províncias e permitem visitar as mais belas paisagens da Itália por preços muitos módicos e em velocidades moderadas. Não há lugar na Itália que não se possa chegar de ônibus, diferentemente do trem, limitado pelas estações e linhas existentes. Das cinematográficas paisagens da Costa Amalfitana, entre Sorrento e Positano, ao interior mítico da Emilia Romagna partindo de Bolonha rumo à origem do queijo parmiggiano, conheça algumas das melhores rotas de ônibus da Itália, lá onde os trens não chegam.

O Golfo di Gaeta

Uma nova tendência na Itália que o escritor, radialista e esportista Paolo Merlini contou em detalhes no seu livro “A Arte De Viajar Devagar, Passeando Pela Itália Sem Carro” (Ediciclo Editore, 2012), onde destacou a boa qualidade dos serviços de ônibus intermunicipais italianos, quando muitos motoristas podem servir de guia turístico ideal, apontando os melhores pontos para se visitar. “A Itália vista da janela de um ônibus ainda é o país mais lindo do mundo”, escreve Merlini, que salienta também que viajando de ônibus se encontra o equilíbrio ideal entre conforto e lentidão. “É a Itália belíssima que passa pela janela do ônibus, não se pode parar ela, mas você pode parar”, escreve Merlini, 42 anos, que vive na região de Le Marche e defende arduamente o sistema de transporte público local como a solução para o problema da mobilidade urbana.

Paolo Merlini, autor do livro: “A Arte De Viajar Devagar, Passeando Pela Itália Sem Carro”

Em busca do autêntico parmiggiano

O Parmiggiano Reggiano original na Itália

Entre os itinerários vivenciados por Merlini e descritos no livro estão muitos que partem da estação de ônibus de Bolonha, extremamente elogiada pelo escritor, que a chama de “verdadeiro ponto de junção das linhas rodoviárias que atravessam a Itália”. De lá, por exemplo, pode se embarcar com apenas 4 euros rumo à pequena cidade de montanha de Mondhigoro, com um ônibus que segue pela Strada Statale della Futa, a antiga via de conexão entre Bolonha e Florença. Subindo pelas montanhas da Emília Romagna chega-se a Mondighoro, cidade limítrofe com a Toscana e a província de Florença e um dos pontos mais altos da região, a poucos quilômetros do Pico della Futa e onde a especialidade culinária são as massas tagliatelle e a polenta com lebre.

O charme de Rocca Cornetta

Mas da estação de Bolonha também se pode embarcar em um ônibus para Rocca Corneta, pequeno vilarejo do município de Lizzano in Belvedere que, não por acaso, é sede da associação Terre Autentiche, formada em 2010 por agricultores e proprietários de hotéis, pousadas e restaurantes locais para oferecer aos visitantes o melhor dos produtos agrícolas mais tradicionais da região, como o Parmigiano Reggiano Terre di Montagna, queijo de produção protegida que reúne produtores das montanhas entre Modena e Bolonha.

produtos típicos de Rocca Cornetta

Na região também se cultivam os famosos funghi porcini do tipo Porcino Nero, considerados os melhores da espécie. Para degustar os produtos, diversos agriturismos recebem os visitantes o ano inteiro.

Funghi porcini: uma delícia típica italiana

No topo da Itália

Outro passeio de ônibus charmoso e emocionante é embarcar nos ônibus que sobem o Passo Dello Stelvio, a rodovia mais alta da Itália, que contorna os Alpes Orientais italianos, a mais de 2700 metros de altura na fronteira com a Suíça, ligando as regiões da Lombardia com Trentino Alto Edige. Mas para percorrer essa estrada, famosa pelas suas mais de 80 curvas, sendo 48 no lado italiano e 36 no lado suíço, é preciso estar atento ao clima. A rodovia fica fechada ao tráfego durante os meses de inverno, de outubro até maio. Construída em 1820, a estrada é percorrida principalmente pelos amantes do esqui e do turismo de montanha, além de ciclistas e motociclistas. O trecho de estrada que começa em Bormio e sobe até a localidade de Passo Dello Stelvio é o mais conhecido, com suas 34 curvas em apenas 22 km. As linhas de ônibus que percorrem esta estrada partem principalmente de Bormio e Valtellina, na Lombardia, e de Spondigna e Bolzano, já do lado trentino. Linhas turísticas especiais partem também de Milão. A localidade de Passo dello Stevio, no topo da estrada homônima, é uma das principais localidades de esqui da Europa, atraindo nos meses de verão inúmeros atletas e equipes internacionais entre os mais importantes do mundo.

No antigo litoral romano

A pouco mais de 100 km de Roma, a Antiga Via Flacca, estrada costeira construída no período romano, reina absoluta no litoral do Lazio, ligando as cidades de Sperlonga e Gaeta. Dos trechos construídos pelos antigos romanos, ainda permanecem as estradas que contornam os penhascos com vista para o mar, hoje utilizadas como trilhas para pedestres protegidas pelo Parco Regionale della Riviera di Ulisse. Os ônibus que percorrem este trecho partem das cidades de Terracina, Sperlonga, Gaeta e Formia, todos na província de Latina, no Lazio. O trecho mais famoso da estrada, ainda que pouco conhecido até mesmo entre os italianos, é a parte que liga Sperlonga a Gaeta, meta turística dos habitantes da região no verão.

Como no cinema: ao longo da Costa Amalfitana

A beleza do litoral italiano

A paisagem cinematográfica de tirar o fôlego da Costa Amalfitana, como é conhecido o trecho de estrada entre as cidades costeiras de Sorrento e Salerno, na região da Campania, também é de tirar os motoristas do sério. Além do tráfego intenso durante os meses de verão, a estrada é estreita, cheia de curvas perigosas em meio a precipícios e atravessa diversos vilarejos, apresentando grande movimento de pedestres. Portanto, a solução de percorrer o trecho a bordo dos ônibus regionais pode ser a melhor opção para se aproveitar a vista como se deve, já que por lá ainda não chegaram os trens. As linhas que percorrem a Costiera Amalfitana, como é chamada a estrada regional SS163, partem de diversos pontos, como Nápoles, Salerno e Positano. Bilhetes especiais permitem aos visitantes viajarem livremente por períodos definidos, como 24 horas, podendo embarcar e desembarcar nos diversos municípios costeiros pelos quais a estrada passa. No centro da estrada, a belíssima Amalfi acolhe turistas e moradores com suas águas azuis cristalinas e sua história de potência marítima da Era Bizantina, quando seus navegadores redigiram as famosas “Tábuas Amalfitanas”, código de direito marítimo válido durante toda a Idade Média.

Positano e a incrível beleza da Costa Amalfitana

Considerada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, esta estrada de 50 km de comprimento foi construída em 1830 e começa em Meta, ainda na Costa de Sorrento, atravessa um breve trecho de montanha e atinge a Costa de Amalfi, percorrendo cerca de 15 municípios, até chegar a Salerno. Entre os pontos de destaque desta rota com paisagens cinematográficas está a cidade de Positano, encravada em uma colina, com suas escadas típicas que levam até o mar e o seu famoso limoncello, o clássico licor de limão digestivo italiano. Ao longo da costa é possível observar os limoeiros e os vinhedos. No topo da Costiera está Ravello, berço da música clássica italiana e onde Oscar Niemeyer construiu recentemente seu famoso auditório. E ao fim da estrada, ou começo, está Vietri sul Mare, famosa pelas suas cerâmicas pintadas a mão.

3 COMENTÁRIOS

  1. Oi Aline,maravilhoso este post,parabens
    uma pergunta:vc sabe se este livro já foi publicado aqui no Brasil?
    abraços

  2. Oi Deni
    Obrigada, também achei o máximo quando descobri este autor, ele tem outros livros publicados na Itália, e ainda faz programas de rádios, escreve em sites, é super ativista, dá uma olhadinha aqui: http://www.paolomerlini.com/

    Aqui no Brasil infelizmente ainda não chegou este livro dele, pelo menos até onde eu consegui descobrir.
    Abs
    aline

  3. boa noite adorei as paisagens da italia e dos modernos onibus sou um barsileiro enteressado em trabalhar na italia sou motorista profissional aqui no brasil no rio de janeiro a mas de quatorze anos na profissao de motorista de onibus e a cinco anos faço a dupla funçao cobro e dirijo gostaria de saber se os senhores por gentileza podem me dar informaçoes como eu consigo arranjar um emprego de motorista de onibus na italia , sou um motorista uqe gosto da profissao trabalho domingos e feriados gosto de fazer horas extras dobro se precisar desde ja agradeço uma boa noite

DEIXE UMA RESPOSTA