Quando a gente vê nos jornais a notícia de “acqua alta” em Veneza dá um certo medinho de viajar. Digo isso por experiência própria: duas semanas antes de partir para Veneza os telejornais noticiavam uma maré alta record de 1,60 m de altura. Pânico total: será que eu seria coberta pelo mar em Veneza e a minha viagem seria um desastre? Só fui entender exatamente os detalhes sobre essa tal de “acqua alta” (água alta em uma tradução literal para o português, ou maré alta, alguns jornais também dizem “enchente em Veneza”) quando estive em Veneza na semana passada, em uma deliciosa viagem oferecida pela Skyscanner (onde você pode comprar passagens aéreas para a Europa ).

O que é a “acqua alta” de Veneza?

A tal da “acqua alta” não é nada mais, nada menos do que uma maré alta: como Veneza é rodeada por água do mar, algumas vezes durante o outono/inverno italiano a maré sobe mais do que o previsto e inunda algumas praças e ruas.

Em que meses costuma acontecer a “acqua alta” em Veneza?

O fenômeno da “acqua alta” não é um acontecimento extraordinário, uma catástrofe natural. É um acontecimento normal, que costuma se repetir principalmente nos meses de novembro e dezembro, ou seja, durante o outono e inverno na Itália.  Importante: a “acqua alta” dura apenas algumas horas, em alguns dias.

Quanto dura uma “acqua alta” em Veneza?

Uma “acqua alta” dura apenas algumas horas do dia já que ela segue o ciclo das marés: 6 horas para a maré subir e 6 horas para a maré descer. Nos dias de “acqua alta” ela dura apenas nas horas centrais da fase crescente (ou seja, por 3-4 horas).

Isso significa que se de manhã você encontra algumas praças e ruas alagadas, na hora do almoço é como se nada tivesse acontecido. Por isso se você quer fotografar a tal da “acqua alta” é bom não perder tempo! Na hora prevista para a “acqua alta” saia do hotel com a máquina fotográfica e boa diversão!

1, 2, 3 e… click! Veneza fica ainda mais divertida com a “acqua alta”

 

Como saber quando acontecerá a “acqua alta” em Veneza?

A previsão de “acqua alta” costuma ser infalível. Ao contrário da previsão do tempo, que às vezes corresponde a realidade e às vezes não, você pode confiar na previsão das marés. Quem mora em Veneza costuma receber um SMS avisando sobre a próxima “acqua alta”.

Você encontra a previsão das marés no site oficial da Cidade de Veneza ou então faça como eu fiz: baixe gratuitamente a app da Città di Venezia para iPhone.

Toda Veneza fica alagada com a “acqua alta”?

Não. Embora os telejornais costumam anunciar que Veneza está completamente alagada, o fenômeno da “acqua alta” costuma acontecer apenas nas áreas mais baixas da cidade, como por exemplo na Piazza San Marco, a praça mais turística de Veneza. Você pode circular tranquilamente pelas outras ruas da cidade e nem notar que aconteceu a “acqua alta” inclusive nas horas de pico da maré. É muito muito raro que realmente a cidade inteira fique alagada!

Quanto alta é a “acqua alta” de Veneza (em outras palavras, vou ficar com a água até o pescoço?)

Quando você escutar que aconteceu uma maré excepcional de 140 cm isso não significa que as pessoas ficaram com a água na altura do peito! As previsões de maré e os níveis registrados se referem ao “zero mareografico” de Punta Sulla Salute, que corresponde ao nível médio da maré em 1897. As ruas da cidade são a uma quota variável: por exemplo, uma maré exceptional de 140 cm corresponde a um alagamento de cerca 59% das ruas da cidade, com um nível que varia de poucos milímetros até 60cm em Piazza San Marco, a área mais baixa da cidade.

Singing in the rain? Não, eles estão se divertindo com a “acqua alta” em Veneza!

Preciso de algum tipo de bota ou sapato especial para enfrentar a “acqua alta”?

Antes de chegar o famoso dia da “acqua alta” eu estava pensando em comprar um par de botas de plástico para me prevenir. Praticamente via essas galochas em várias lojinhas da cidade por preços a partir de 12 euros. Uma italiana que conheci em um bar de Veneza alguns dias antes da “acqua alta” tinha me contado que a água do mar destrói os sapatos. Bem, as minhas botas eram feitas de um couro impermeável, mas só de pensar em destruí-las (seja lá o que isso significa), já me vinha um arrepio.

No fim das contas acabei não comprando nenhuma galocha ou proteção especial e nem foi necessário porque a maré foi alta mas não “eccezionale”, peguei no máximo o nível laranja. Além disso, na Piazza San Marco foi montada uma passarela que permitia caminhar tranquilamente de um ponto a outro da praça.

Quando tem “acqua alta” são montadas passarelas especiais: só molha o pé na água do mar quem quiser!

Não faltavam também vendedores ambulantes que vendiam uma espécie de saco plástico para proteger os sapatos por 5 euros para quem quisesse caminhar lá no meio da água.

Eu acabei optando por caminhar com cuidado evitando as poças d’água do mar e no fim deu tudo certo: voltei com as botas perfeitas como antes da viagem. Não era uma questão de muquiranice para não gastar dinheiro com as galochas, mas sim de carregá-las depois de volta para casa. Para quem tem espaço na mala, pode ser um ótimo souvenir (especialmente para aqueles modelos mais fashion cheios de desenhos que vi por lá).

Eu com minha filha de 3 meses, a “acqua alta” e Basílica de San Marco no fundo

Se valeu a pena ir para Veneza com a “acqua alta”? Com certeza valeu. A cidade é linda, romântica, misteriosa e foi uma delícia me deixar transportar pela sua atmosfera especial. Aliás, eu teria tranquilamente ficado mais um mês por lá…

*Esta viagem a Veneza foi oferecida pela Skyscanner Brasil, que patrocinou os custos da viagem, mas não teve nenhuma influência no nosso roteiro ou no conteúdo editorial deste artigo.
A Skyscanner é um buscador de passagens aéreas premiado mundialmente pelas melhores mídias de viagens. Confira as ofertas de voo com a TAM LInhas Aéreas.

14 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Babi!
    Veneza é sempre linda, mesmo toda alagada 🙂
    Em dezembro de 2008 fui para lá e tinha “acqua alta”, um fenômeno que sempre quis ver 🙂 Fiquei em um hotel perto da Estação Santa Luzia e lá eles davam umas galoches para os hóspedes.
    Adorei ver sua foto com sua filhinha!
    Beijos

  2. Muito boas as dicas!
    Vou em lua de mel para Veneza daqui a duas semanas. Ficarei de 16 a 21 de dezembro. Estou bastante ansioso.
    Se você desse dicas sobre cidades próximas a Veneza com atrações naturais interessantes, seria perfeito.
    Estou decidido a conhecer também Pádova, Verona e Asiago.

    Felicidades e parabéns pela filhinha!

  3. @Juliana
    Uma boa essa do hotel que dá a galocha. Você tirou fotinho?
    Agora a Gaia (é como se chama a bimba) vai me acompanhar por minhas andanças… 🙂 Ainda bem que ela fica tranquila e por enquanto parece gostar de viajar!
    Uma beijoca para você!

    @Rodrigo
    Que delícia, lua de mel em Veneza… Eu acho a cidade muito romântica e misteriosa. Aliás, ainda vou escrever outros artigos sobre a cidade nos próximos dias, fica de olho! Vou guardar as suas sugestões de outras cidades, mas não sei se vai dar tempo de escrever antes da sua viagem..
    Até a próxima!

    Barbara

  4. […] Já no inverno é uma garantia de lugar aberto porque uma boa parte dos points de aperitivo abre mais tarde ou simplesmente funciona só alguns dias da semana. Aliás se você vai para Veneza no outono ou no inverno italiano eu sugiro que você confira tudo aquilo que você deve saber sobre a “acqua alta” de Veneza. […]

  5. Oi, Bárbara! Não sabia que vc tinha tido uma filhinha… Parabéns! Que Deus abençoe vcs. Bjos!

  6. Olà mamae, sera que nos encontraremos de novo dando mamá? 🙂
    Parabéns pelo site, muito interessante.
    Beijinhos a você e Gaia

    Marina e Eleonora

  7. Lindas fotos do carnaval! Estava pensando: a unica desvantagem de ir a Veneza no inverno eh que eh mais dificil pegar ceu azul e as fotos ficam sempre mais bonitas em dias de sol…
    Pois eh, eu espero que a Gaia goste sempre de viajar. Por enquanto ela tem se comportado muito bem, seja de carro, trem, aviao, traghetto, bondinho… to levando ela para cima e para baixo! 🙂
    bjocas
    Babi

DEIXE UMA RESPOSTA