Um avião da companhia aérea low cost Ryanair (vôo FR 4632) proveniente de Valência e com destino a Bergamo foi obrigado a fazer um pouso de emergência hoje no aeroporto Cristoforo Colombo de Genova. A notícia foi divulgada pelos principais jornais italianos como por exemplo o la Repubblica.

A bordo do avião tinham 93 passageiros, dois deles foram parar no hospital, mas já tiveram alta. O comandante do aéreo acionou a abertura das máscaras de oxigênio e enviou um SOS à torre de controle. Teve início então o procedimento de emergência e os bombeiros foram aguardar ao avião, acompanhados de ambulâncias.

ryanair

O procedimento de emergência teria tido início após um indicador do avião que apontava um possível problema de pressão na cabine – explica uma nota enviada pela Ryanair aos jornais – que pede desculpas aos passageiros pelo transtorno causado. Os passageiros foram transferidos até Milão de ônibus a fim de minimizar os atrasos.

Opinião

Desde que li um artigo de Luisa Belchior, correspondente da Folha de S. Paulo em Madri, sobre a guerra da Ryanair com a Espanha não voei mais com a companhia. Diz Luisa no seu artigo:

(…)o governo espanhol acusou a companhia irlandesa de voar com combustível abaixo do nível mínimo exigido. Madri abriu, assim, uma guerra com a low cost, que ganhou o respaldo dos governos de quase toda a Europa criando rotas para reativar o turismo de vários destinos por aqui.

Depois de a companhia fazer dois pousos de emergência por uma tempestade que fechou o aeroporto de Madri, o governo espanhol fez uma inspeção que revelou a falta de combustível nas aeronaves. O presidente da Ryanair, Michael O’Leary, rebateu a crítica com o argumento de que a prática é normal entre muitas companhias. No dia seguinte, a agência de aviação espanhola negou a praxe, e agora estuda sanções à irlandesa.

Obviamente o caso mencionado pela Luisa não terá nada a ver com o problema da pressão do vôo Valencia-Bergamo. De qualquer modo, cada pouso de emergência da Ryanair deixa a gente um pouco preocupada… Será o caso de escolher uma nova companhia aérea, mesmo que custe mais?

 

PS. A foto do artigo serve apenas para ilustrar a matéria: ela foi tirada em 2011 durante uma viagem no verão pela Europa e não tem nada a ver com o vôo de hoje.

4 COMENTÁRIOS

  1. Eu sempre viajo com essa companhia para Italia, sempre foi uma viajem tranquila,imprevistos sempre podem acontecer e ninguem ta livre disso. Mas devemos ficar de olho e alertar as autoridades ,fiscalizar mais continuamente , para q isso nao volte a acontecer.

  2. OI Ina,
    Pois é, eu também já viajei muito com a Ryanair, me lembro que no início por exemplo as hostess nem falavam italiano em vôos internos dentro da Itália! Felizmente agora escolheram hostess que falam a língua, embora com a Ryanair a gentileza não está incluída no preço.
    Minha última viagem com a empresa – em 2011 – foi um stress só: eles ficam criando história para ganhar com os extras e esquecem do bom senso. Soma-se a isso essa história do combustível e alguns pousos de emergência e a gente começa a procurar outras alternativas. Ou não?

DEIXE UMA RESPOSTA