Na Itália, a partir do final do inverno e início de primavera, tem uma árvore que se transforma nas cores da bandeira do Brasil: o verde e amarelo. É a mimosa, uma flor que é o símbolo do dia das mulheres na Itália.

O hábito de presentar as mulheres no dia 08 de março com um maço das flores amarelas tem origem na Itália com Teresa Mattei, que nasceu em Gênova em 1921 e faleceu na Toscana em março de 2013. Teresa Mattei foi um nome do período de Resistência italiano (um movimento armado de oposição ao fascismo) e do sucessivo nascimento da República Italiana.

mimosa

 

Teresa Mattei, lutadora de causas sociais e políticas principalmente no quesito dos direitos das mulheres e das crianças, teve a idéia, ao lado de Rita Montagna da UDI (Unione Donne in Italia), de propor as mimosas como uma flor símbolo do dia das mulheres.

Naquele período discutia-se sobre a possibilidade de presentear as mulheres com violetas – um hábito já comum na França. Mas Mattei propunha uma flor mais popular, que fosse encontrada facilmente também no campo, como a mimosa. Rejeitou também a idéia das orquídeas, propostas pelas parlamentares socialistas, que eram muito caras.

Foi então que ela se lembrou de uma lenda chinesa que falava de uma princesa e de suas mimosas, como símbolo do calor da família e da gentileza feminina. Daquele momento em diante, essas alegres flores fazem parte da tradição italiana e todo 08 de março são vendidos cerca 15 milhões de maços de mimosa.

Bem, agora você já sabe a história da mimosa na Itália. Eu descobri recentemente lendo o Informatore edição de março 2013 e achei interessante compartilhar com vocês.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá,
    Tenho acompanhado seu blog nos últimos dias.
    Estou em meio a um impasse e considero que sua opinião pode ser muito útil. Desta forma, peço a gentileza de sua atenção, caso disponível em atender-me.
    Está relacionada a qualidade de vida complementar às obrigações profissionais que tenho e que se determinam através de prazos, com trabalho sendo realizado em casa e sem horário definitivo, mas que exige muita concentração e disciplina.
    Para tanto, gostaria de sua opinião prática para a seguinte questão:
    Um casal na faixa dos 35 anos, sem filhos e com renda de 5 mil euros mensais vive bem em Florença?
    Detalhando as contrapartidas, lista-se:
    – consegue-se boa residência (localização e conservação) pagando aluguel?
    – Tirante despesas de serviços básicos, pode-se ainda usufruir de boas opções de restaurantes, calendários culturais e eventuais viagens pelo país?
    Evidente que tais questões parecem banais em comparação a alguns relatos lidos no seu blog, mas realmente são muito relevantes no meu caso, posto que ajudará a definir minha seguinte parada pelos próximos três anos, com obrigações profissionais muito rígidas a se cumprir.
    Conheço Florença apenas na condição de turista, e devo visita-la mais uma vez nos próximos meses antes de tomar qualquer decisão, mas me pareceu realmente relevante saber sua opinião a respeito disso.
    De resto, meus cumprimentos pelo exercício de atender tantas questões e alguns destemperos neste espaço de forma tão generosa.
    Muito obrigado.
    Atenciosamente,
    Fernando

  2. Oi Fernando,

    Certamente 5000 euros para um casal sem filhos é uma entrada razoável, especialmente se você levar em consideração que um casal italiano médio recebe 3000 ao mês (mas talvez tenha um suporte da família, com casas, etc que não é o caso de vocês).

    Você pode calcular 1000 euros para o aluguel de um apartamento pequeno, mobiliado, com aquecimento e condominio incluídos (você pode pesquisar preços por exemplo em um site como casa.it ou subito.it)

    Sobre comer fora, calcule que uma pizza e uma cerveja em uma pizzaria qualquer custa 15-20 euros por pessoa. Ir a um restaurante com primeiro e segundo pratos vinho e sobremesa varia de 40 a 80 euros por pessoa em média (obviamente existem restaurantes onde você pode gastar até 200 euros por pessoa, tudo depende de onde você vai, que vinho você pede, etc). Obviamente existem tambem tratorias bem simples onde você gasta 13 euros no almoço e come primeiro, segundo, contorno, agua, vinho e cafe, uma espécie do PF brasileiro.

    Para viagens nos arredores, um trem de alta velocidade Florença-Roma custa uns 50 euros, mas se você der sorte e encontrar uma promoção pode viajar até por 9 euros/pessoa.

    Para saber preços de hotéis basta dar uma pesquisada na internet, existem de todos os preços, em geral um 3 estrelas nas principais cidades não sai por menos de 80 euros o quarto por dia, mas assim como para o trem, você pode dar sorte de conseguir hotéis maravilhosos pagando pouco (em comparação com o valor de tabela).

    Todo o resto depende de você, tem quem faça supermercado e gasta 300 euros por mês, tem quem gaste 200 euros por semana.

    É pegar uma planilha, colocar as despesas que você costuma ter para o que considera “qualidade de vida” e transforma-la para o estilo de vida italiano. Não sei se você vai precisar de saúde particular, eu tenho a cidadania italiana e sou residente por isso uso o sistema de saúde publico que, na Toscana, na minha opiniao é muito bom. Os gastos de saude sao minimos.

    Depois aqui na italia quem eh residente paga o imposto de renda. Olha, nesse caso voce tem que fazer bem as contas porque por exemplo, se voce ganha até um determinado valor, é isento em muitos serviços ou paga o minimo. Se ganha somente um pouco mais, alem de pagar mais imposto, perde certas isenções e aí é como se ganhasse menos, dá na mesma. Entao tem que planejar bem o quanto voce quer ter de renda por ano.
    É por isso que aqui, muita empresa não quer crescer mais do que um certo valor, porque não compensa.

    Enfim, dicas dadas.

    Abs

    Barbara

  3. Oi Bárbara,

    Muito obrigado pela atenção. Suas observações foram muito úteis. Vou leva-las em consideração.
    De resto, sucesso para você – e parabéns novamente pelo trabalho.
    abraço,
    Fernando

DEIXE UMA RESPOSTA