Apartamento que acolhe o projeto foi deixado como herança

O inusitado programa de residências artísticas do Museu de Arte Moderna de Bolonha (MAMbo), intitulado “Sandra Natali” em homenagem à professora italiana que, ao falecer em 2010, doou sua casa para a realização de projetos especiais com jovens artistas, foi inaugurado em outubro deste ano por uma brasileira ávida por conhecer a história desta enigmática personagem. A pesquisadora em artes visuais Mariana Xavier é a primeira artista a participar do inédito programa.

A brasileira Mariana
A brasileira Mariana Xavier que participa do programa de residências artísticas do Museu de Arte Moderna de Bolonha (MAMbo)

Seu projeto de pesquisa, com duração de dois meses, ocorreu de outubro a dezembro de 2013 e teve como principal objetivo desvendar a vida e a obra de Sandra Natali. O projeto é fruto de uma parceria do MAMbo com a Fundação Iberê Camargo, de Porto Alegre, que anualmente concede bolsas de estudo internacionais para incentivar a produção artística brasileira.

Mariana foi assim a primeira convidada a atravessar as portas do apartamento de Sandra Natali, localizado no centro de Bolonha, como participante da Residência para Artistas que leva seu nome.

O programa foi criado em 2010 graças ao legado deixado por esta professora do ensino secundário, que nomeou a Istituzione Galleria d’Arte Moderna de Bolonha, hoje parte da Istituzione Bologna Musei da qual o MAMbo faz parte, como seu único herdeiro.

O apartamento
O apartamento no centro de Bolonha que Sandra Natali deixou de herança para o MAMbo

Através de disposições claras deixadas em seu testamento, compromete o museu a aceitar o legado apenas para promover o trabalho de jovens artistas. Assim, o apartamento de 90 metros quadrados sofreu algumas reformas e, hoje, oferece uma ampla sala central transformada em atelier, além dos quartos, cozinha e banheiros, configurando-se como sede de um projeto dedicado exclusivamente a promover o apoio, desenvolvimento e formação de novas gerações de artistas.

Arte contemporânea e a parceria para aproximar Brasil e Itália

O caminho que levou Mariana até o apartamento de Sandra Natali começou a ser trilhado ainda em 2008, quando o MAMbo e a Fundação Iberê Camargo iniciaram os primeiros contatos para a realização de um projeto conjunto, que resultaram na exposição “Giorgio Morandi no Brasil”, apresentada com sucesso de público e crítica no final de 2012 na sede da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre.

A Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre
Vista externa da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre

“Com essa parceria estabelecida, buscou-se novas oportunidades de colaboração, pensando em formas de aproximar a produção artística contemporânea de Brasil e Itália”, explica o superintendente da Fundação, Fábio Coutinho, salientando que foi uma escolha natural unir os programas Residenza per Artisti Sandra Natali e Bolsa Iberê Camargo. “Eles têm grande sinergia de objetivos, já que buscam incentivar o desenvolvimento de artistas e projetos de arte contemporânea”, acrescentou.

MAMbo - Vista externa (foto: Anna Rossi)
MAMbo, em Bolonha – Vista externa (foto: Anna Rossi)

O programa Bolsa Iberê Camargo, existente desde 2001, já enviou artistas para diversos países, como Inglaterra, Portugal, França, Estados Unidos e México, configurando-se como uma das mais importantes iniciativas do gênero no Brasil. No entanto, com a Itália é a primeira vez que se estabelece uma parceria. “É um intercâmbio extremamente benéfico para os dois países e para a arte contemporânea em geral, já que a Itália tem um papel preponderante para a formação de artistas brasileiros”, afirma Coutinho, lembrando que a Itália também foi o país escolhido por Iberê Camargo durante seu próprio período de residência no exterior.

O grande artista gaúcho, que hoje empresta seu nome para a fundação criada em sua homenagem, estudou na Itália, mais precisamente em Roma, entre os anos de 1948 e 1949, com importantes nomes da cena artística da época, como Giorgio De Chirico, Carlos Alberto Petrucci, Leoni Augusto Rosa e Achille. Mais tarde, participaria de duas importantes exposições italianas: a XXXI Bienal de Veneza, em 1962, e a X Quadriennale Nazionale d’Arte di Roma, em 1977. Iberê Camargo, considerado um dos grandes nomes da arte brasileira do século XX, faleceu em 1994 deixando um legado composto por mais de sete mil obras que compõem o Acervo da fundação homônima.

Imersão na vida, na obra e no apartamento de Sandra Natali

Fotos da italiana Sandra Natali
Caixa de fotos da italiana Sandra Natali: ponto de partida para o projeto da brasileira Mariana

Assim, seguindo os passos de Iberê Camargo, a brasileira Mariana Xavier venceu o programa de bolsas de 2013 justamente por apresentar um projeto de pesquisa focado em conhecer a figura de Sandra Natali, artista plástica amadora, como descobriria mais tarde, que antes de morrer vislumbrou a possibilidade de ajudar jovens artistas a se aperfeiçoarem no país cuja própria história se confunde com a história da arte.

O interior do apartamento de Sandra Natali
O interior do apartamento de Sandra Natali

“Minha intenção inicial era fazer uma pesquisa sobre a mulher que deixou a herança que permitiu a realização deste projeto”, explicou a pesquisadora em artes visuais e doutoranda da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp). “Queria entender se ela era rica ou se tinha uma vida simples e porque doou sua casa para a instituição”, afirma Mariana, explicando que, ao chegar em Bolonha, logo descobriu que Sandra também tinha sido artista plástica.

“Nesse momento as coisas começaram a fazer sentido para mim: quando cheguei no apartamento descobri que ela era também uma pintora – eu não tinha ideia! Suas pinturas estão por todos os lados e ela pintava tanto, que alguns de seus trabalhos estão guardados, pois eles não cabem todos nas paredes”, salientou Mariana, que também descobriu que Sandra nasceu em Bolonha, foi professora de Geografia, viveu por alguns anos em Bergamo, comprou o apartamento em questão entre a década de 70 e 80, era filha única de pais já falecidos, não teve filhos e morreu de câncer em 2009, aos 59 anos.

Uma caixa de fotos de Sandra, tiradas entre 1966 e 1972, quando ela tinha de 16 a 23 anos, se tornaram o ponto de partida do projeto de Mariana, que irá produzir uma exposição com as pinturas de Sandra e um filme no qual pretende construir “uma espécie de diálogo para simbolizar este encontro”. “As fotos, feitas em diferentes cidades italianas, impressionam pela sensação artística na qual foram organizadas e também pela vibração daquela época: as roupas, a passagem das estações do ano, sua letra escrita à mão”, descreve a pesquisadora brasileira, que também irá apresentar ao público de Bolonha uma palestra sobre os resultados do seu trabalho.

O interior do apartamento de Sandra Natali
O interior do apartamento de Sandra Natali

 

MAMbo: De panificadora a museu de arte contemporânea

Localizado no coração do distrito cultural de Bolonha, o Museu de Arte Moderna de Bolonha (MAMbo), considerado uma das mais importantes instituições artísticas da Itália, surge, ao lado de outras instituições importantes da cidade, em meio a um conjunto de prédios nascidos da restauração de uma antiga zona industrial. O edifício de três andares que hoje abriga o MAMbo era uma antiga panificadora construída em 1915 pelo então prefeito de Bolonha para suprir as necessidades de abastecimento de pão durante a I Guerra Mundial. Na região, chamada de Manifattura delle Arti, outros prédios históricos foram restaurados e hoje hospedam instituições como a Cineteca de Bolonha, a Faculdade de Ciência da Comunicação da Universidade de Bolonha, além de outras associações e galerias de arte, transformando o distrito em um verdadeiro centro de produção, experimentação e inovação cultural.

Mais informações

Site oficial: http://www.mambo-bologna.org/residenzaperartisti/

Contatos
Residenza per artisti Sandra Natali
Via Filippo Turati 41
40134 Bologna

Para informações
MAMbo – Museo d’Arte Moderna di Bologna
tel. +39 051 6496611
info@mambo-bologna.org

DEIXE UMA RESPOSTA