Florença é uma cidade cheia de belezas construídas pelas mãos dos homens: lindíssimas igrejas, prédios, edifícios e jardins se distribuem pelo território fiorentino. No entanto, toda essa beleza arquitetônica requer muitos cuidados e manutenção, obras de restauração, para que possam ser admirados pelo público ainda por muitas e muitas décadas.

É por isso que hoje compartilhamos a iniciativa promovida pela Opera di Santa Croce em parceria com o network de informação em língua inglesa The Florentine: uma campanha para arrecadação de fundos realizada através da plataforma Kickstarter.

Cappella de' Pazzi em Florença (foto: Marco Badiani)
Cappella de’ Pazzi em Florença (foto: Marco Badiani)

Arrecadação de Fundos para restauração da Cappella de’ Pazzi de Florença

Até o dia 19 de dezembro de 2014 a Opera di Santa Croce, uma organização no-profit responsável pela administração e valorização do complexo de Santa Croce, realiza uma campanha internacional de arrecadação de fundos para restaurar a galeria externa da Cappella de’ Pazzi.

O objetivo é conseguir 95.000 dólares em 33 dias utilizando Kickstarter, a maior plataforma crowdfunding do mundo.

Foto: Marco Badiani
Foto: Marco Badiani

Se hoje em dia é possível utilizar uma plataforma online para arrecadar fundos, no distante ano de 1860 centenas de pessoas responderam a um pedido publicado nos jornais da época para doar fundos para a criação de uma nova fachada para a igreja de Santa Croce (um dos cartões postais de Florença).

Ajude e entre para a história de Santa Croce

Foto: Marco Badiani
Foto: Marco Badiani

A galeria externa da Cappella de’ Pazzi foi realizada quase totalmente em pietra serena, arenito que tende a se desintegrar com o tempo. Prestando atenção a fachada, as colunas e decorações esculpidas apresentam deterioramento em diversos trechos, causando o destacamento de algumas partes.

Recentemente a Opera di Santa Croce realizou duas ações diferentes para manter a galeria em segurança: os restauradores removeram os elementos de decoração que podiam cair, numerando-os e mapeando atentamente a sua posição antes de conservá-los em um depósito.

Agora é necessário completar a restauração, com a limpeza e reintegração das partes removidas e uma proteção final.

A Opera di Santa Croce possui já 50% dos recursos necessários para a realização da restauração, que começará no início de 2015. A instituição lança agora essa campanha pública para recolher a parte que falta.

Ao participar da campanha os doadores se tornarão parte ativa da história de séculos de Santa Croce já que seu nome ficará escrito no arquivo histórico deste grandioso “templo da memória“.

Os apoiadores (backers) receberão diversos tipos de prêmios (rewards) de acordo com a doação efetuada, como litografias modernas e medalhas comemorativas, visitas particulares para ver as obras, ingressos-família para entrar em Santa Croce, assinatura de The Florentine, a newsmagazine de Florença em língua inglesa.

Sobre a Cappella de’ Pazzi

O claustro situado à direita da fachada da Igreja de Santa Croce dá acesso a um espaço comum, que antigamente era utilizado pelos frades franciscanos e atualmente é parte do Museu de Santa Croce.

 

CappellaPazzi_Highres_photo-credit-MarcoBadianiA história

Em 1429, Andrea de’ Pazzi encomendou a Filippo Brunelleschi a construção de uma capela neste espaço, lugar onde a comunidade do monastério se reunia diversas vezes ao longo do dia.

Brunelleschi morreu em 1446 e não é claro qual parte da capela tivesse sido completada naquela época. Diversos artistas foram indicados como possíveis responsáveis pela conclusão da obra como Michelozzo, Rossellino, Giuliano da Maiano e Antonio Manetti Ciaccheri.

A Cappella de’ Pazzi lembra outros trabalhos de Brunelleschi, como por exemplo a Sacrestia Vecchia realizada na Igreja de San Lorenzo em Florença a pedidos da família Medici. Em San Lorenzo Brunelleschi desenvolveu pela primeira vez uma planta baseada em quadrados e círculos para criar a harmonia de uma capela central. Na Cappella de’ Pazzi ele estendeu esse conceito utilizando uma base retangular e uma divisão mais complexa dos espaços.

Essa realização representa um marco no desenvolvimento da arquitetura do final do Renascimento que será, no futuro, utilizada por Giuliano da Sangallo e Leonardo da Vinci.

Para Brunelleschi a arquitetura era o principal elemento de decoração. A Cappella de’ Pazzi era também decorada com cerâmicas de vidro realizadas por Luca della Robbia, que representam os doze apóstolos e que dão um toque de cor aos espaços internos.

As janelas de vidro sobre o altar são do artista Alessio Baldovinetti e representa Sant’Andrea (homônimo do comitente) e a pequena cúpola possui afrescos com desenhos astronômicos e do zodíaco. Mas a parte mais bonita da capela é a sua galeria externa.

Sobre Santa Croce

Santa Croce é a maior igreja franciscana do mundo. Construída no final do  século XIII, ela contém diversos afrescos de Giotto (século XIV) e de artistas que seguiam a sua corrente, além de obras de Cimabue, Donatello, Bronzino e Vasari. A partir do século XV a igreja se tornou o lugar da sepultura de importantes personalidades como Michelangelo, Machiavelli, Galileu Galilei e Gioacchino Rossini.

Para informações e doações

Facebook: http://www.facebook.com/santacroceopera

Twitter @santacroceopera #CrazyforPazzi

Atualização abril/2015:

Veja como procede a restauração aqui.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA