Novidade imperdível para os fãs da telona que estarão no sul da Itália essa semana: entre os dias  02 e 7 de fevereiro de 2016 vai acontecer o Bari Brasil Film Fest, a primeira edição de um festival de cinema brasileiro na cidade de Bari, capital do estado italiano Apúlia.

Cena de "Que horas ela volta" - um dos destaques da programação do Bari Brasil Film Fest
Cena de “Que horas ela volta” – um dos destaques da programação do Bari Brasil Film Fest

Um evento para mostrar uma imagem do Brasil fora dos estereótipos através de um cinema autoral que ainda enfrenta dificuldade de entrar no circuito italiano, mas que representa com qualidade e sensibilidade o fascinante, complexo e maior país sul-americano.

Programação do festival de cinema

O multiplex Showville vai ser o quartel-general de todas as projeções – em todas as noites, são previstos também momentos de degustação de delícias típicas do Brasil e da Itália – e da mostra “I colori di São Paulo” (As cores de São Paulo), com imagens em branco e preto capturadas pela lente do fotógrafo italiano Alberto Moschini, que evocam a riqueza multicultural da mais populosa cidade brasileira.

Na terça-feira, 2 de fevereiro, o festival parte com tudo: às 20h, acontece o coquetel de inauguração e, às 21h, vai ser exibido o filme “Que horas ela volta“, de Anna Muylaert, com a atriz Regina Casé. Selecionada para representar o Brasil no Oscar 2016, a película – que infelizmente não entrou na shortlist da competição americana – propõe uma discussão sobre sociedade brasileira contemporânea e as diferenças de classe. A atriz italiana Daniela Guastamacchia vai apresentar a noite de abertura.

Quarta-feira, 3 de fevereiro, às 21h, o público em sala vai fazer uma “viagem” ao Sertão brasileiro, com o poético “A História da Eternidade“, de Camilo Cavalcante, que vai ser introduzido pelo crítico de cinema Giancarlo Visitilli. A produção venceu cinco prêmios no Festival de Paulínia, em São Paulo, incluindo melhor flme.

Cena de "A história da Eternidade
Cena de “A história da Eternidade

Quinta-feira, 4 de fevereiro, às 21h, ocupa a telona o documentário “Samba e jazz”, que será apresentado por seu diretor Jefferson Mello e pelo jornalista e crítico musical Ugo Sbisà.

“Trinta”, de Paulo Machline, com Matheus Nachtergaele, é programado para sexta-feira, 5 fevereiro, às 21h. O filme – que mergulha nos bastidores do universo das escolas de samba, mostrando um lado do carnaval carioca menos conhecido no exterior – conta a história do carnavalesco de Joãosinho Trinta, partindo do anonimato até a sua consagração.

O filme "Trinta" começa às
O filme “Trinta” começa às 21:00 no dia 5/2/16

E no sábado, 6 de fevereiro, a platéia vai poder assistir a duas sessões de cinema. Às 19h, vai ser projetado “5 x Favela – Agora por Nós mesmos“, um flme dividido em episódios, realizado por jovens cineastas moradores de comunidades carentes, como resultado de um projeto capitaneado por Cacá Diegues, um dos diretores do flme “5 x Favela”, de 1962, que inspirou a produção atual. Já às 21h, vai ser o momento de conferir “Boi Neon”, de Gabriel Mascaro. Prêmio Especial do júri na seção Horizontes da 72a edição do Festival de Veneza, o “road movie” – que será também apresentado pelo crítico Giancarlo Visitilli – utiliza o ambiente das vaquejadas para retratar o quotidiano e as aspirações dos quatro personagens principais.

O festival se concluirá no domingo, 7 de fevereiro, a partir das 20h, com uma festa na cervejaria Bilabì durante a qual vai ser revelado o melhor flme, escolhido pelo voto popular. O show ‘Oba’, da banda italiana Os Argonautas, com repertório totalmente brasileiro, fecha a noite com chave de ouro.

Debates do Bari Brasil Film Fest

A programação do Bari Brasil Film Fest inclui, ainda, momentos de refexão sobre temáticas ligadas ao Brasil. Na terça- feira, 2 de fevereiro, às 17h, o Palazzo Ex Poste vai sediar um debate com o diretor Jefferson Mello (de “Samba e jazz”) e os acadêmicos Ugo Serani (professor de Língua Portuguesa e Literaturas Portuguesa e Brasileira da Universidade de Bari) e Gian Luigi De Rosa (professor de Língua Portuguesa e Tradução da Universidade do Salento). Serani vai se concentrar no tema “Brasil: entre mito, estereótipos e realidade” e De Rosa vai falar sobre o cinema brasileiro, partindo das suas raízes até o século XXI.

Na sexta-feira, 5 de fevereiro, às 16h, na sede da Confindustria local, vai ser organizada a conferência “Brasil 2016, entre a crise e as Olimpíadas: a perspectiva para as empresas da Puglia”. Participarão da mesa-redonda o especialista em economias emergentes, Andrea Goldstein, diretor da empresa de pesquisa econômica Nomisma, de Bolonha, e empresários da região que investem no Brasil.

Sobre o Bari Brasil Film Fest

Organizado pela associação cultural sem fins lucrativos Abaporu – presidida pela brasileira e “barese” por adoção, Vanessa Mastrocessario Silva – o evento oferece uma variada programação: desde a projeção de seis longas-metragens em língua original, com legendas em italiano, à mostra fotográfica, passando ainda por debates, degustações de especialidades brasileiras e italianas, além de um show ao vivo no encerramento.

Produzido graças a uma campanha de crowfunding e a contribuições de instituições privadas – como a Universidade LUM Jean Monnet, a empresa Sinoglobal Investments Advisory e a Banca Popolare di Bari – o Bari Brasil Film Fest nasce após a experiência bem sucedida dos organizadores na criação de um festival de cinema brasileiro em Pequim e Xangai, na China.

Informações práticas

O ingresso para assistir aos flmes custa 5 euros. As palestras e a festa de encerramento são gratis (com entrada sujeita à disponibilidade).

Sedes dos eventos:
Showville – Via Giannini, 9
Palazzo Ex Poste – Piazza Cesare Battisti
Confindustria – Via Amendola, 172

——–

Crédito fotos: divulgação