Florença é uma das cidades mais lindas da Itália, uma das metas mais amadas pelos estrangeiros e também pelos próprios italianos. Você pode passar 7 dias em Florença e ainda sair com aquele gostinho de quero mais.

O bacana de Florença é que o centro histórico é relativamente pequeno e enquanto você caminha por obras de arte a céu aberto vai esbarrar em pessoas de diversas partes do mundo e escutar diversas línguas. Uma atmosfera internacional mas reconhecível, única:  impossível confundir uma Piazza della Signoria ou Piazza Duomo com qualquer outra praça ou lugar do planeta.

Dica para quem quer quer ficar mais tempo viajando: itinerário de 15 dias na Itália

Para este roteiro na Toscana eu escolhi Florença como base por uma simples razão: todos os tours em grupo saem daqui. Os principais meios de transporte públicos da Toscana como trens e ônibus partem daqui. E mesmo que você opte por alugar um carro, Florença é uma ótima base porque se quiser fazer um tour particular guiado, o guia geralmente sai de Florença. O ponto de referência principal para os deslocamentos é a estação ferroviária Santa Maria Novella.

A estação Santa Maria Novella de Florença

Resumindo: Florença é o coração da Toscana, uma cidade com vida 365 dias do ano e para um roteiro clássico na Toscana não poderia ter uma cidade base melhor.

7 dias na Toscana com base em Florença

Dia 1 – Florença

Assim que você chegar em Florença provavelmente desejará conhecer a cidade, caminhar por suas vielas, ver ao vivo lugares que só conhecia por fotos. O centro histórico de Florença é perfeito para uma caminhada a pé. Coloque um par de sapatos confortáveis porque o pavimento nem sempre é regular e vá passear.

Existem diversas opções de tours em grupo em Florença para os mais diferentes bolsos e desejos. Alguns deles são passeios panorâmicos e incluem transporte até lugares com uma vista espetacular da cidade como o Piazzale Michelangelo ou Fiesole.

Para quem prefere um pouco mais de exclusividade, também é possível agendar com antecedência um city tour em Florença particular  com uma guia que fala português. Assim você terá uma experiência mais completa, vai conhecer a história, curiosidades e dicas para aproveitar melhor os próximos dias.

Quem prefere fazer tudo sozinho pode usar como base o meu roteiro de praças imperdíveis em Florença.

O interno da cúpula da catedral de Florença

Se possível inclua também uma visita na Galleria dell’Accademia para ver ao vivo o Davi de Michelângelo original ou a Galleria degli Uffizi, o principal museu de Florença e um dos mais visitados da Europa.

Dia 2 – Chianti

Uma viagem para a Toscana não pode deixar de incluir um passeio em Chianti, território onde é produzido o famoso vinho Chianti com suas encantadoras colinas e vinhedos. Neste dia você conhecerá pequenos vilarejos charmosos, poderá fazer degustações de vinho e produtos típicos diretamente em vinícolas.

Não é possível fazer esse passeio usando transporte público e, portanto, as alternativas são: alugar um carro, fazer um tour em grupo ou um tour particular de carro.

Vale saber: geralmente um passeio de carro particular no Chianti com duração de 8/9 horas, com motorista que fala português sai Euro 430,00 em Mercedes Classe E para até 3 pessoas ou Euro 510,00 em van de luxo para até 8 pessoas. Pode ser uma ótima solução para você que não quer dirigir depois de degustar os vinhos e deseja ter um “cicerone” para mostrar para você os lugares mais imperdíveis falando a sua língua, o português!

Algumas cidades famosas do Chianti: Greve in Chianti, Castellina in Chianti, Radda in Chianti, Gaiola in Chianti.

Uma das salas de degustação, com vista para a adega da cantina Antinori em Bargino

Para quem gosta de arquitetura contemporânea e vinho no Chianti tem a moderníssima vinícola Antinori em Bargino.

Também já escrevi aqui no blog dicas culturais e artísticas do Chianti para quem quiser conhecer a Pieve di San Bossolo e  Tavarnelle Val di Pesa.

Para quem gosta de ciência, recomendo o Observatório Astronômico do Chianti próximo da cidade de San Donato in Poggio.

Dia 3 – Siena e San Gimignano

San Gimignano é provavelmente um dos vilarejos mais amados pelos brasileiros que visitam a Toscana. Não sei se são os “arranha céus medievais” ou resultado de uma degustação do ótimo Vernaccia, vinho típico produzido no território: fato está que essa cidade declarada pela UNESCO como um dos Patrimônios da Humanidade não pode ficar fora de um roteiro clássico pela Toscana. Venha, passeie livremente pela cidade, visite as lojinhas de produtos típicos e curta a atmosfera deste pequeno e charmoso vilarejo.

San Gimignano e suas torres

Também o centro histórico de Siena foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. A cidade foi uma das mais ricas do passado: imagine que o banco mais antigo do mundo, o Montepaschi di Siena tem origem aqui em 1472. A riqueza da cidade pode ser admirada na fachada dos edifícios e palácios como o Palazzo Pubblico, a Torre del Mangia ou a catedral de Siena.  Também é em Siena, na Piazza del Campo, que acontece um dos eventos históricos-esportivos mais famosos da Itália: o Palio di Siena.

A Piazza del Campo de Siena em um final de tarde de janeiro de 2017

Dá para visitar as duas cidades em um único dia tranquilamente, na verdade a maioria dos tours em grupo acrescenta outras cidades como Pisa, Siena e San Gimignano ou Siena, San Gimignano, Monteriggioni e Chianti.

Se você alugou um carro dica: o estacionamento “stazione” é o mais econômico, sai apenas Euro 2,00 por dia enquanto os demais chegam a custar até Euro 2,00 por hora. Leia mais sobre estacionamentos em Siena e transporte em Siena.

Uma cidadezinha particularmente charmosa no caminho de Florença até Siena e San Gimignano é Certaldo: estive lá recentemente e me apaixonei!

Vista de Certaldo, na Toscana

Quem prefere viajar sem guia, mas não gosta de dirigir e não está com vontade de ficar pegando ônibus ou trens, pode optar em um tour de carro particular com motorista que fala português: sai Euro 430,00 para até 3 pessoas em uma Mercedes Classe E ou Euro 510,00 em uma van para até 8 pessoas. Peça mais informações ou reserve aqui.

Dia 4 – Pisa e Lucca

Pisa é a cidade da famosa torre inclinada, um símbolo da Itália no mundo. A famosa torre encontra-se em uma praça de incrível beleza, a Piazza dei Miracoli (Praça dos Milagres) onde você pode admirar também a catedral, o batistério e o cemitério. Em Pisa também você pode ver ao vivo o mural Tuttomondo de Keith Haring (Via Riccardo Zandonai). E conhecer o espírito universitário da cidade: em Pisa existe uma das universidades mais antigas do mundo, fundada em 1343, que está entre as melhores da Itália e tem cerca 40.000 estudantes.

Pisa conhecida como cidade da “torre inclinada”

A aproximadamente 20 km de Pisa fica Lucca, um vilarejo medieval onde você poderá ver ainda hoje os antigos muro de proteção da cidade com seus 4 quilômetros de comprimento e 30 metros de largura. Na cidade sobraram duas das antigas 250 torres medievais, a Torre Guinigi e Torre delle Ore, mas basta um passeio pelo centro histórico sem muito compromisso para você viver a atmosfera da cidade, quem sabe com direito a pausa para um café ou gelato (sorvete).

Nos meses mais quentes do ano (junho-setembro) pode ser uma boa idéia dar uma esticadinha até Forte dei Marmi: a aproximadamente meia hora de distância de Lucca, é considerada uma das praias mais glamurosas da Toscana. Outra cidade de praia bastante popular nos arredores é Viareggio, que inclusive vale a pena visitar na época do carnaval (leia sobre o carnaval de Viareggio aqui).

Dia 5 – Val d’Orcia

No imaginário coletivo, a Toscana é sinônimo de Val d’Orcia, com suas doces colinas, ciprestes e uma paisagem bucólica.

A história desse território foi marcado pela Via Cassia, a grande estrada romana que ligava Roma ao norte da Itália: o movimento contínuo de homens e mercadorias proporcionou o crescimento de alguns vilarejos na área que despertaram o interesse da Repubblica de Siena no século XV e de Florença em meados do século XVI.

Castiglione d’Orcia, Montalcino, Pienza, Radicofani e San Quirico d’Orcia são as cinco cidades que criaram o Parque da Val d’Orcia com o objetivo de proteger o ambiente e território: em 2004 a área foi inserida na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco.

Pienza, uma linda cidade do período do Renascimento na Toscana

Contignano, Monticchiello, Bagno Vignoni, Rocca d’Orcia, Campiglia d’Orcia, Bagni San Filippo, Vivo d’Orcia são outras simpáticas cidadezinhas que vão fazer você ter a sensação de fazer uma viagem no tempo.

A novela Passione da Rede Globo foi gravada no território e me lembro de ter encontrado pessoalmente Tony Ramos, Reynaldo Gianecchini, Leandra Leal e Aracy Balabanian durante o intervalo das gravações (inclusive fiz uns vídeos veja aqui).

O que você não pode deixar de experimentar: o pecorino de Pienza, o mel da Val d’Orcia, o azeite de Castiglione d’Orcia, os salames, trufas e cogumelos locais e, claro, um dos vinhos mais famosos do mundo o Brunello di Montalcino.

Esta não é uma região fácil de conhecer com o transporte público: para curtir a Val d’Orcia você deve alugar um carro ou fazer um tour que inclua transporte.

Dica: existe um tour em grupo para a Val d’Orcia saindo de Florença a partir de Euro 70,00 por pessoa com visitas a vinícolas e degustações incluídas no preço.

Para quem prefere exclusividade é possível contratar um motorista que fala português para te guiar pelas charmosas estradinhas da Toscana. Quanto custa? Uma passeio de 8/9hs para Montalcino, Pienza e Montepulciano com motorista que fala português e Mercedes Classe para até 3 pessoas sai Euro 475,00; em van para até 8 pessoas sai Euro 565,00 (não inclui guia, alimentação ou ingressos para atrações). Você pode pedir um orçamento personalizado aqui.

Dia 6 – Florença

Aproveite para curtir mais um pouco da atmosfera de Florença e quem sabe faça atividades diferentes. Quem gosta de gastronomia pode explorar os mercados alimentares do centro histórico como o Mercato di San Lorenzo ou Mercato di Sant’Ambrogio: para comprar alguma lembrança gastronômica para os amigos e parentes.

Um pôr do sol às margens do Rio Arno, em Florença

Escrevi também uma sugestão de 5 deliciosas sorveterias em Florença: na dúvida experimente o gelato em todas elas e depois me conte qual você achou mais gostoso!

Para quem gosta de colocar a mão na massa, vale experimentar a aula de pizza e sorvete em Florença: a experiência é bacana também para famílias com crianças. Ao final da lição todo mundo come o que preparou!

bruschetta, bistecca e gelato: três delícias típicas que adoro!

Se você pratica esporte pode conferir o calendário de corridas e caminhadas em Florença e ver se alguma bate com a época da sua viagem.

Também é interessante um tour de bicicleta, de preferência entre abril e setembro, os meses mais quentes do ano na Itália.

A cópia do Davi de Michelângelo em frente ao Palazzo Vecchio

Mas se o que te atraiu para Florença foi a arte e cultura, não deixe de visitar o  Palazzo Strozzi onde acontecem sempre mostras interessantes, o Museu Bargello em um lindo edifício histórico, o Palazzo del Podestà di Firenze; o museu do Palazzo Medici Riccardi ou o complexo de museus do Palazzo Pitti. Bem, na verdade quando o assunto é museus e arte a lista de opções em Florença é enorme. Selecione dois dos mencionados acima e já é mais do que suficiente para um dia em Florença.

Dia 7 – Cidades nos arredores

Existem muitas outras cidades gostosas perto de Florença: não posso deixar de mencionar Pistoia que em 2017 é a capital italiana da cultura e tem um centrinho bem gostoso para passear, repleto de ótimos restaurantes e barzinhos. Quem viaja com crianças pode dar uma esticadinha até o zoológico, o parque de Pinóquio em Collodi ou mesmo um simples pula pula coberto, o Tannila’s Park,  ideais para os dias frios ou de chuva e que os pequenos adoram.

a Basílica de Santa Maria dell’Umilità de Pistoia

A área do Mugello, território rodeado pela natureza e ainda pouco explorado pelo turismo de massa, é o local onde viver o lado mais “autêntico” da Toscana. Visite Scarperia, que tem o título de “um dos burgos mais bonitos da Itália”, assista algum evento no Mugello Circuit, faça uma caminhada de Borgo San Lorenzo (a cidade principal do território) até Vicchio com direito a almoçar uma bela bistecca alla fiorentina como recompensa! Termine o passeio no outlet de Barberino di Mugello e depois pegue a Autostrada A1 até o seu próximo destino!

Felipe Massa testa a Ferrari no autodromo do Mugello

Outros destinos fora do estado da Toscana que vale a pena incluir na viagem são: Cinque Terre na Liguria (particularmente indicado para período entre março e outubro), Assis na Umbria, Modena na Emília Romanha para curtir Ferrari, Parmiggiano Reggiano e Aceto Balsamico

Dica: veja meu roteiro de 1 dia em Veneza para fazer um bate-volta saindo de Florença (testado e aprovado!)

Informações práticas

Esse roteiro na Toscana foi criado para você adaptá-lo à sua viagem. Altere-o como desejar:  aumente ou diminua a quantidade de dias em um ritmo mais rápido ou mais demorado, adicione cidades menos conhecidas, inclua uma noite para dormir em um agroturismo na Toscana rodeado pela natureza. Tentei dar sugestões que cabem em todos os bolsos, mas se ficou com alguma dúvida é só perguntar na seção de comentários abaixo. E claro, se gostou, compartilhe!

Todas as fotos do artigo são do meu acervo pessoal.

5 COMENTÁRIOS

  1. Ola Bárbara,adorei seus roteiros.Tive o prazer de conhecer Roma.Agora quero fazer a região de Toscana.Queria uma orientação se fosse possível,vou pelo aeroporto de Fiumicino e de trem até Roma pretendo tirar minha cidadania Italiana.Saberia dizer se o consulado de Roma tem agilidades quantos estas documentações?
    Tenho familiar que morou na Italia e ja fez as documentações.Basta para min dar a entrada.Poderia me ajudar neste sentido?

    Abs,
    Maria Isabel

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here