Hoje é o dia internacional da mulher e o dia oficial da Blogagem Coletiva pela Valorização da Mulher Brasileira. Vocês já digitaram a expressão “mulher brasileira” ou “brazilian woman” ou “donne brasiliane” no Google para ver os resultados? Logo entre as primeiras opções a gente encontra uma série de sites que vendem mulheres nuas em poses sensuais para as mais diversas finalidades, das virtuais as reais. Ou então lemos o depoimentos de italianos que sonham com o “paraíso”: conhecer o maior número possível de brasileiras!

Por um lado, devo admitir que acho até um orgulho que as brasileiras sejam reconhecidas internacionalmente pela sua beleza. O que talvez incomode é o modo como é vendida essa beleza: muitas vezes de maneira vulgar, como se todas estivessem a fim de trocar o dom divino das formas perfeitas por alguns trocados, se é que vocês me entendem…

Estrangeiros no Brasil

Me lembrei agora de alguns verões que passei nas areias do Rio de Janeiro, em especial em Ipanema. Minhas amigas ficavam revoltadas: chegavam dois americanos jovens, por exemplo, e em menos de 3 minutos já tinham moçoilas que estavam ao redor deles, se atirando, na busca de um bom programa. “É essa a imagem que eles vão lembrar do Brasil” – se lamentavam. Bem, acho que eles levaram muito do mais do que a “imagem”…

Também devo admitir que mesmo com garotas “normais” os estrangeiros encontram maior facilidade porque é verdade que as brasileiras são mais liberais de modo geral. Muitos conquistadores e don juans brasileiros que passaram pela Italia se lamentaram exatamente disso: que o resultado da “caça” não tinha sido o esperado (por isso muitos amigos agora preferem férias no leste europeu, as russas são atiradíssimas, conta um…)

Quem é a mulher brasileira real?

Catalogar em uma categoria exclusiva é impossível: existem aquelas que se dedicam a uma carreira executiva e tratam os homens como um acessório; outras que simplesmente sonham em conciliar a vida no lar ao lado do marido, com os filhos e um trabalho para ajudar a pagar as contas no final do mês; outras dividem a vida entre estudos, especializações e trabalho na busca de conseguir um bom padrão de vida para depois vir a formar uma família; outras simplesmente estão bem sozinhas e basta.
A mulher brasileira pode ser dona de casa, mãe, advogada, publicitária, diretora de empresa, política, secretária, motorista de caminhão… Tem talento para abrir e tocar um próprio negócio, ou trabalhar para alguém.
As mulheres do Brasil podem tudo. Podem viajar sozinhas, podem votar, podem trabalhar, podem estudar, podem casar com quem desejarem ou simplesmente não casarem, podem beijar na boca no primeiro encontro, depois de um mês ou nunca. Podem ser dependentes ou independentes financeiramente. Podem se divorciar! Podem dizer sim ou não. Podem escolher. Tem o livre arbítrio!
Podem ser inteligentes, podem ser bonitas, sensuais, podem escolher se preferem ser bem tratadas ou mal tratadas. Podem aceitar gentilezas e cortesias masculinas. Podem conversar sobre tudo ou sobre nada. Podem não saber dançar ou ter um requebrado dos diabos! Podem ser lésbicas. Podem ter filhos sem conhecerem o pai da criança, mesmo sem ter tido relação sexual!
Podem ter cabelo curto ou comprido, usar roupas agarradas ou largas. Podem achar que o seu biquini é o mais bonito do mundo e o dos outros países horrorosos só porque a Embratur uma vez fez a campanha do “fio dental” que ficou conhecidíssimo internacionalmente e nasceu a lenda que só biquini brasilero é “in”.
Podem ser de origem indígena, africana, européia, asiática… Podem ser loiras ou morenas, altas ou baixas, cabelo liso ou crespo e todos os intermediários possíveis. Podem saber falar várias línguas ou simplesmente mal saber o português ou talvez tudo isso junto!
A mulher brasileira é realmente a mulher do século XXI e pode ter o mundo aos seus pés!

Para valorizar a mulher brasileira

Acho que se mudar o mundo parece muito complicado, podemos mudar a nós mesmos. Para falar a verdade, as leis brasileiras garantem muitos direitos e privilégios as mulheres. A questão aqui é de imagem internacional. Imagem a gente muda com publicidade, com discussão através dos meios de comunicação, com o “boca-a-boca” e com punições para o que é fora da lei.

É muito difícil falar que brasileiras não são putas se quando o turista chega no Brasil é rodeado das profissionais do prazer. E se tantas pobres coitadas saem do Brasil e vem se prostituir aqui na esperança de encontrar um futuro melhor.

Valorize-se

Meu conselho final para a brasileira no exterior é: valorize-se. Se alguém vier se engraçar para o seu lado e você não estiver a fim corte logo o discurso do cidadão. Seu ouvido não é pinico. A minha frase italiana preferida é “NON TI PERMETTERE!” E também, não leve as coisas assim tão a sério. Nenhum italiano vai te pegar a força só porque você é brasileira, eu nunca vi nada do gênero!Não dramatize. Afinal, no Brasil a mulherada tem que aguentar as cantadas mais chinfrins quando passa na frente de uma construção, ou não?

A campanha
Pela valorização da Mulher Brasileira foi organizada pela Meiroca (http://meiroca.com/ ) e pela Lys (http://universodesconexo.wordpress.com/2008/03/08/pela-valorizacao-da-mulher-brasileira-3/). Parabéns as duas!!! Tenho certeza que hoje ao digitar no google “mulher brasileira” ou resultado será outro…

13 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pelo post! Pelo que estou lendo nos varios blogs que participam da blogagem coletiva, todo mundo sabe bem o pq do preconceito com as mulheres brasileiras. Se colhe aquilo que se planta né… purtroppo a “colheita” estamos vendo.

  2. Quando você escreve: “É muito difícil falar que brasileiras não são putas se quando o turista chega no Brasil é rodeado das profissionais do prazer. E se tantas pobres coitadas saem do Brasil e vem se prostituir aqui na esperança de encontrar um futuro melhor” chega no x da questão.
    O trabalho para mudança da imagem da mulher brasileira começa dentro do Brasil. O governo tem que criar condições sociais para que as mulheres não procurem se prostituir. A mentalidade interna precisa mudar. O estrangeiro tem que chegar aqui e quebrar a cara. Só assim conseguiremos. Feliz dia! Beijus

  3. Pois é, Luma, no Brasil ainda tem gente que passa fome, que mora na rua, que é excluído totalmente desse mundo em que vivemos nós. Como proibi-los de tentar sobreviver? Quem sabe no dia em que o país se torne um lugar mais igual para todos e com condições mínimas de vida. O problema se resolve da base: nao eh contra a prostituição, mas a favor de casa, comida e educação para todos.

  4. Parabens pelas postagens. Realmente
    a mulher brasileira pode tudo.
    So nao pode decidir em levar adiante uma gravidez. Este direito, a meu ver, fundamental, nao lhe é concedido.
    Para refletirmos.
    Abracos a todas (os).
    Rogerio.

  5. Este contraponto da grande liberdade que as mulheres brasileiras têm (dentro de certos limites, vamos e venhamos!), esta super bem colocada. E ai vai o conflito: como nos vemos x como nos veem. E a eterna pergunta do espelho nos contos de fadas! Esta na hora, como vocé bem coloca, de a gente mesmo responder, além de qualquer fronteira -seja aqui dentro, seja la fora. Bzus, boa semana.

  6. o Brasil precisa arrumar a casa, dar condiçoes melhores para seu povo, investir em educaçao. Acho a partir daì, a coisa pode mudar.
    E temos que continuar lutando, e dando aular de cultura brasileira pra este povo, que na realidade eles sabem o que a midia mostra, cabe a nos fazer o papel de embaixadores.

    Obrigad apela participaça, vc como sempre arrasou.

    meire

  7. Olá!

    Descobri seu blog através de uma busca no Google, e fiquei encantada. Realmente é um ótimo guia para quem pensa em viajar ou morar na Itália.
    Sei que vc mora em Firenze, mas gostaria de pedir que fizesse um post sobre Fossato di Vico, em Perugia, Gubio. Tenho parentes lá, e morro de vontade de viajar para conhecer o lugar.

    Um abraço 🙂

  8. Excelente post, alias arrisco dizer o melhor post sobre o assunto que li até agora.

    E sobre agarrar a força, acredite na Italia tudo é possivel…

    Coisas reais que ja aconteceram COMIGO, HOMEM, andando bem vestido, de forma normal e totalmente coberto ja levei varias cantadas dos italianos.. do tipo de pararem o carro do meu lado e falaram “Vuoi trombare” ou ainda “Sali”… tem outras coisas como um mostrando seu genital para uma mulher no ponto de onibus ao meio dia, outro em um parque tentando agarrar uma a força e ela gritando por ajuda, outro dia em um onibus um velho agachado atras de uma moça raspando seu “orgao” na bunda dela…

    Ou seja, eles sao sim descaradas, perigosos e safados, o problema é que muita gente nao se valoriza e se rende a esse tipo de pessoa vulgar.

    Mas sim… fica o aviso se bobear tentam agarrar a força e muito pior sim, obvio nao todos, mas existem e estao por ai em grande numero… fiquem espertas.

    Rodrigo

  9. Oi !!! Finalmente cheguei no seu cantinho ! Com tantos blogs ta dificil ne nao ?

    Sabe, eu me questiono muito essa tal nossa liberdade no Brasil. Nao se somos realmente livres para fazer tudo. Por exemplo nao somos livres para rejeitarmos a maternidade ou fazer um aborto. Nao somos livres para viver uma vida independente sem ser olhada como um ser estravagante. Enfim, ainda existem inumeros preconceitos a serem vencidos e essa nossa liberdade eh limitada. Somos livres apenas para fazer as coisas que sao consideradas corretas dentro de um padrao aceito pela sociedade que funciona para apenas alguns, mas nao para todos. Nao eh verdade ?

    Voce colocou bem a questao do turismo sexual. Temos definitivamente que dar uma freada nisso. E acho amiga que a unica forma de diminuir eh dando outras oportunidades para essas meninas dentro do nosso proprio pais.

    Como voce colocou bem, somos bonitas, exoticas e sensuais. Isso eh uma qualidade sem duvida, mas nao podemos ser punidar por isso e nos tornar escravas do sexo, como muitas mulheres e adolescentes sao em nosso pais. O trafico de mulheres e a prostituicao infantil esta ai para nos provar isso ne ?

    beijinhos e mais uma vez parabens pelo post !

    Lys

  10. "E sobre agarrar a força, acredite na Italia tudo é possivel…"
    Isso jah aconteceu comigo viu.. em Verona!!!

    Fui ateh uma chocolateria no centro de Verona comprar algo para meu namorado (brasileiro) e o dono do lugar – um senhor idoso –
    me perguntou deq lugar da italia eu era (pq tenho sotaque genoves) e qndo eu disse q era Brasileira, ele mudou totalmente!!!

    Veio pra cima de mim dizendo "me dah um abraco" e eu (q nao sou mto delicada) disse "abraco?? mas credo nao te conheco"
    e ele veio pra cima de mim e tentou me agarrar.. eu entao corri pra fora da loja gritando todos os palavroes q sabia em italiano e chamando pelos carabinieri enquanto akele velho nojento fazia sinal com a mao dizendo "No per favore"
    Voltei pra casa chorando mto de nojo..
    Acredite na italia se pode esperar tudo.. tudo msmo!!!

  11. Post nota 10!!!!

    CONCORDO, com vc quando diz: …”Imagem a gente muda com publicidade, com discussão através dos meios de comunicação, com o “boca-a-boca” e com punições para o que é fora da lei.”

    E amei o seu conselho: “Meu conselho final para a brasileira no exterior é: valorize-se. Se alguém vier se engraçar para o seu lado e você não estiver a fim corte logo o discurso do cidadão. Seu ouvido não é pinico…”

    Nao é preciso esperar por governo, nao!!! Cada uma faz a sua parte, respeitando-se! A publicidade é potente!!!!

  12. E por falar em mulher… Como se diz por aqui, Italia, “tutto il mondo è paese”, ou seja: em qualquer pais que se va, encontra-se pessoas boas e mas, ricos e pobres, honestos e desonestos e por ai vai.
    Em termos de mulher e seu comportamento, nao estamos fora da regra, o que existe, quem sabe, é apenas uma diferença de nivel de qualificaçao: As mulheres brasileiras, pobres, que se encontram homens por necessidade, sao consideradas p… As italianas, por exemplo, que estao, posso dizer 100%, em busca de homens com dinheiro para esposa-las ou nao, que possa mante-las para que tenham tempo para seus amantes, nao o sao! Qual é a diferença entre umas e as outras?
    Como disse, é uma questao de ponto de vista.
    Alice

  13. Achei este texto estranho e contraditório..é exatamente esta valorização da beleza que tanto nos oprime e que faz tanta menina achar que com corpo se consegue tudo,tanto dentro e fora do pais.E mais: esta mentalidade pseudo-feminista tão em voga hoje em dia de que “a mulher faz o que quer” é que tem alimentado a nossa total vulgarização e exploração sexual.
    Nós mulheres brasileiras temos que parar com esta ideia de sermos definidas por sexo.temos pago um alto preço por achar que ser linda e sensual é elogio.É por isso que até hoje temos poucas mulheres na política,mas ciências,etc,mas muitas se exibindo como bundas na mídia.Nossa valorização começa com nossa mudança de mentalidade,coisa que o feminismo não tem contribuído em nada…só tem reforçado a liberdade pautada na objetificação…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here