Brasil na Italia fez uma longa, mas fantástica entrevista com um casal de brasileiros que decidiu largar tudo no Brasil e vir morar na Italia. Ele se chama João, é brasileiro filho de italiano, tem dupla cidadania. Ela se chama Bia, é brasileira. Se casaram no Brasil e vieram para a Italia. Depois de apenas um mês já tinham alugado um belo apartamento, já tinham conta corrente em banco, já tinham emprego e aproveitavam as horas vagas fazendo, por exemplo, uma viagenzinha básica para os Alpes. Quer saber mais? Leia a entrevista com todos os detalhes e dicas. Que sirva de inspiração para tantos outros leitores, que também tem um sonho…

Preparativos e Expectativas

1)Quanto tempo levou desde que vocês decidiram morar na Italia até a vinda efetiva?
Bia: Nós decidimos morar na Itália em Agosto do ano passado (depois que o João voltou de uma viagem à Europa) e chegamos aqui em Fevereiro. Portanto, 6 meses!

2)Sobre os documentos: o João já era cidadão italiano. E a Bia, entrou com visto de turista? Que tipo de permesso ela teve que tirar depois que chegou na Italia? Vocês poderiam dar uma dica passo-a-passo para quem está na mesma situação que vocês?
Bia:
Pergunta de 1 milhão…hehehe.
O João já era cidadão e entrou com o passaporte italiano. Eu entrei como turista. Seria mais fácil se houvessemos nos casado aqui na Itália, mas como resolvemos fazer o casamento no Brasil, com família e amigos, ficou mais complicado.

Para casar aqui na Itália é necessário: certidão de nascimento traduzida por tradutor juramentado e legalizada pelo consulado italiano no Brasil (do conjuge que não é cidadão italiano) e um documento chamado ‘Nulla Osta’ – Nada Consta, com a firma reconhecida das duas testemunhas que deve ser feito no Brasil.
http://www.consbrasroma.it/nullaosta.html
http://www.consbrasmilao.it/br/consulares/declaracao-nullaosta.asp
Importante: os documentos tem a validade de 6 meses após data de emissão, portanto é bom fazer isso só um pouco antes de vir para a Itália e não é necessário agendar atendimento no consulado italiano no Brasil para legalizar a certidão de nascimento.
Depois de providenciar os documentos e estiver na Italia, deve-se comparecer com os documentos no Consulado Brasileiro de Milão ou Roma (dependendo do local onde o casal irá residir) e lá eles emitem uma declaração autorizando o casamento na Italia. Com os documentos e a declaração, o casal deve ir à Questura (da cidade que morar) para análise e após esta analise ir ao Comune marcar a data do casamento, que será no máximo 15 dias depois. Após o casamento, é necessário ir à Questura para dar a entrada no permesso di soggiorno.

Como nos casamos no Brasil, fomos ao consulado italiano em São Paulo com a tradução feita por tradutor juramentado da certidão de casamento para a legalização. Para isto também foi necessário comprovante de residência no Brasil do João e passaporte italiano dele.
Mas como o João tirou a cidadania aqui na Itália e o registro dele era aqui, não podemos trazer a certidão conosco (o que complicou minha vida). Neste caso o consulado italiano é quem envia a certidão traduzida e legalizada para a Comune da cidade do registro.
Esse documento (trascrizione di matrimonio – certidão de casamento traduzida e legalizada) não é uma carta normal, é uma carta diplomática e as cartas diplomáticas partem do Brasil a cada 15 dias. Chegam em Roma no Ministero dell’estero e de lá enviam para Comune de destino Depois que sai do Brasil, a transcrição do matrimônio demora de 2 a 3 meses para chegar na Comune. Chegando na comune o João pode alterar o Stato Civile e posso ir à Questura para solicitar o meu permesso di soggiorno. Como esse documento ainda não chegou, pode ser que eu tenha que voltar ao Brasil porque minha permanência como turista é valida por mais 15 dias. Como eu já tinha comprado passagem de ida e volta, estou tranquila. Se não chegar até lá, passo uns 10 dias no Brasil com minha família e aproveito para comemorar meu aniversário lá…

Se o João tivesse registro no consulado italiano Brasil, poderíamos trazer conosco a certidão de casamento traduzida e legalizada e, logo após ele obter a residência, eu já poderia ir à Questura, solicitar o permesso.

Ah, outra coisa importante, é que depois de 8 dias que cheguei na Itália tivemos que ir à Questura para o João fazer a declaração de que ele me hospedava na casa dele. Para fazer isso basta:

– 2 fotocopias do passaporte (todas as páginas, exceto páginas em branco);
– 2 fotocopias de um documento de identidade do conjuge e
– pelo menos o documento de entrada de residência do conjuge.
Para o Permesso di Soggiorno per motivi di Famiglia é necessário:
– 4 fotos (3 x 4 ) recentes;
– 2 comprovantes de residência (do conjuge) e stato di famiglia ou autocertificação – original + 1 fotocopia de cada;
– 2 fotocopias do passaporte (todas as páginas, exceto páginas em branco);
– 2 fotocopias de um documento de identidade do conjuge e
– certidão de casamento traduzida e legalizada pelo consulado italiano no Brasil – original + 1 fotocopia.

Eu não sabia de tudo isso há uma semana, fui descobrindo tudo pouco a pouco, pesquisando, lendo blogs, esperando muito tempo no telefone para falar no consulado, indo ao consulado, indo à questura, conversando com algumas pessoas que já tinha alguma experiência e “dando cabeçadas”, até mesmo para entender o que era necessário.


3)Vocês estudaram a língua italiana antes de chegar? Qual o método usado: cursos? Aula particular? Livros? Sites? De todos qual foi o mais eficiente e que vocês recomendam?
João: Eu ja falava um pouco pois tenho familia aqui, a Bia fez algumas aulas particulares e nós assistíamos sempre a Rai no Brasil, escutávamos e estudávamos letras de música, colocávamos a opção de idioma de aparelhos eletrônicos, e-mail, etc, tudo em italiano.
Aqui falamos muito com parentes e amigos, e mesmo em casa nós sempre falamos em italiano (exceto quando surgem pequenas discussões, que acabamos falando em português…rs).
Bia: Tudo contribuiu para nosso aprendizado e a recomendação é “mergulhar” no italiano.

4)A parte financeira: quanto vocês separaram de dinheiro para vir? Quanto previam em moradia? Alimentação? Transporte? Extras?
João: Separamos mais ou menos 30 mil reais com uma reserva de 50 mil no Brasil. Eu previa no começo um custo fixo de 1000 Euros por mês , entre alimentação, aluguel, transporte, etc. Mas acabamos gastando menos. Encontramos um apartamento muito bem localizado por 450 euros por mês e mobiliado. Além disso não gastamos com transporte porque moramos perto da Academia que trabalho, então vou de bicicleta e a Bia esta sempre em giro de bike também. Usamos o carro só aos fins de semana, para passear.
Então hoje, no nosso padrão de vida gastamos por volta de 750 euros por mês, com aluguel, supermercado, água, luz, telefone fixo, celular, internet, tv a cabo, etc.
Bia: Lógico que pesquisamos sempre os preços e aproveitamos promoções.

5)Quanto gastaram nos primeiros 3 meses? Os gastos estavam dentro do budget? Tiveram que fazer muitos sacrifícios econômicos?
João: Como disse acima, gastamos menos que esperavamos, também porque uma senhora muito gentil que trabalha no supermercado que vamos fazer compras, nos presenteou seu carro velho. È um Fiat Brava completo, com impianto a metano!!! O carro é muito conservado. Além disso, minha família nos ajudou com muita coisa , então nós, na verdade, nem mexemos muito na reserva, ja que consegui emprego rapidinho e a Bia mesmo sem o Permesso di Soggiorno fez vários bicos também.

6)Quais eram as expectativas e objetivos ao chegar na Italia? Fazer um curso? Arrumar um trabalho?
Bia: Viemos como o objetivo de morar, trabalhar e eu continuar meus estudos (tranquei a faculdade). Espero meu Permesso di Soggiorno para encontrar um emprego certinho e continuar meus estudos. Sem o Permesso não se pode fazer muita coisa por aqui, nem curso de italiano grástis posso fazer!!!
João:A nossa ídéia era estar aqui até acabar os 30 Mil reais caso nenhum de nós conseguissemos emprego. Pensamos que era pelo menos dinheiro pra ficar aqui por 10 meses, e se nesse tempo absolutamente nada desse certo, não íriamos gastar a reserva do Brasil. Retornaríamos e recomeçaríamos as coisas lá.
Graças a Deus, tanto eu como a Bia temos condições de continuar com nossas atividades no Brasil se resolvermos voltar graças ao nosso relacionamento com nossos respectivos chefes. Mas como tudo deu certo por enquanto, isso é quase considerado passado.

A chegada



7)Onde vocês se alojaram assim que chegaram? O alojamento inicial foi o mesmo do alojamento atual?
Bia:
Ficamos 4 dias em um hotel, e depois já mudamos para a casa que alugamos. Chegamos aqui num Domingo e na segunda-feira de manhã já estavamos na imobiliaria falando com a corretora. Saímos para ver alguns lugares e quando vimos esse, gostamos e fechamos o negócio. Tivemos que esperar até quinta-feira porque era necessário religar a luz, gás, fazer faxina, entre outros.

8)Os italianos: qual foi a primeira impressão do povo local? O que vocês viram condizia com o que vocês imaginavam?
João:
Eu esperava um pouco de preconceito, mas não foi isso que aconteceu. Todos nos
receberam maravilhosamente bem, sempre que digo que sou brasileiro eles me falam: “
Brasileiro? O que você esta fazendo aqui? Aquelas praias maravilhosas, calor o ano inteiro…” E por aí vai…

9)O que vocês fizeram na primeira semana?
Bia: Sempre dizemos que Deus abriu todas as portas pra nós, porque fizemos um monte de coisas logo na primeira semana. Alugamos o apartamento, fizemos toda a documentação de tudo que precisava para ter o João ter residência, companhia de gás, Comune pra fazer a inscrição da coleta de lixo, supermercado, abrir conta em banco, etc. Compramos algumas as coisas que precisávamos para começar, o João fez entrevistas de emprego, saímos para conhecer a cidade e pouco a pouco começamos a descobrir as vantagens que cada negócio.
Na primeira semana também conheci a família do João, que nos ajudou demais, pois nos levavam para onde era preciso, explicavam e nos ajudavam no que era necessário para fazer as coisas.
10)Em que mês chegaram? Como estava o tempo? Era muito diferente do que vocês estavam acostumados?
Bia: Chegamos em Fevereiro e estava friozinho, mas como o João já tinha vindo à Europa a passeio, eu já morei nos EUA no inverno também e não gostamos muito de calor, foi ótimo!

Trabalho

11) O João conseguiu um emprego na área dele, personal trainer em um mês. Como foi que ele encontrou esse emprego? Através de anúncios em jornal? Através de agência de emprego? Através de conhecidos?
João:
Um primo meu conhecia um cara que é amigo de um dono de academia, fui até a academia e perguntei sobre o dono mas ele não estava. Falei com o gerente ele quis ver meu currículo e gostou pois já tinha experiencia e falava inglês e português. Me disse que talvez depois de um tempo tivesse uma vaga para part-time, mas logo uma semana depois me chamou pra fazer um teste de 2 semanas. Graças a Deus 3 dias depois já estava contratado e estou trabalhando 7 horas por dia.

12) Como foi a entrevista de emprego?
João: A entrevista foi tranquila, para falar a verdade nunca tinha feito uma entrevista antes pois
sempre trabalhei no mesmo lugar no Brasil e começei lá meio que por acaso, mas falei com o gerente e depois com um dos donos, eles gostaram de mim, gostaram do meu currículo, mas a única preocupação deles era que as experiencias com estrangeiros que eles tinham tido antes não foram boas, mas eu disse que estava aqui para ficar, eles resolveram me dar uma chance e estou muito bem lá.


13) Para exercer a profissão de personal trainer na Italia é necessário alguma autorização especial, alguma inscrição em “albo”, diploma, ou algo do gênero? Qual era a formação do João?
Bia: fizemos todos os reconhecimentos de firma e traduções juramentadas possíveis e imagináveis de todos os documentos escolares e diplomas, levamos tudo para o consulado italiano em São Paulo, pagamos todas as taxas. O consulado legalizou tudo.
João: eu não começei ainda a reconhecer meus estudos aqui, porque para trabalhar em academia aqui não precisa de diploma. Mas depois se quiser fazer outra coisa na área devo reconhecer. Sou formado em Educação Física e conversando com um amigo na academia que tem a esposa brasileira e formada em direito, ele me disse que ela reconheceu o diploma em Lisboa, já que Portugal tem alguns tratados com o Brasil e o idioma é o “mesmo”. Sendo válido em Portugal, é válido em toda comunidade EUropéia. Para falar a verdade não tive muito tempo de ir atrás disso tudo, mas com o tempo vejo.
Bia: E eu estou esperando o meu Permesso di Soggiorno para continuar meus estudos.

14) Que tipo de contrato de trabalho fizeram para o João? A tempo determinato? Indeterminato? CO.CO.CO? Partita Iva?
Contrato renovável a tempo determinado de 1 ano.

15)O salário inicial é maior, menor ou igual ao do Brasil?
O salário aqui é maior que no Brasil.


16)E a Bia, como conseguiu o emprego?
Bia: Consegui alguns bicos através de contatos que o João fez na academia… Uma mulher que vai à academia, por exemplo, conhecia uma mulher que precisava de uma baby-sitter. Trabalhei com publicidade da academia também…Ah, aqui na Itália, penso que mais do que no Brasil, se você tem contatos a vida se torna muito mais fácil!

Viagens


17) Vocês já fizeram algumas viagenzinhas. Qual foi o lugar mais interessante que vocês conheceram? Qual recomendariam para um brasileiro que vem a Italia a turismo?
Bia: Nós fomos pros Alpes em Chiareggio (SO), passamos um Domingo maravilhoso lá. Milão também foi maravilhoso, mas algo me diz que esse fim de semana vai ser melhor ainda… Sábado vamos à Venezia e Domingo à Sirmione.
João: Para quem vem a Itália recomendo as seguintes cidades e pontos-> Milão, Roma, Firenze, Siena, Assis, Região do Lago di Garda e costa Amalfitana.


Perspectivas de futuro

18)Quais são os planos para o futuro? Vocês pretendem continuar morando na Italia a longo prazo?
João:
Bem, os planos são continuar aqui sim. Com a documentação da Bia em ordem, eu e ela trabalhando e uma reserva no Brasil gerando juros, financeiramente acredito que estaremos tranquilos.
Bia: O que nos faz mais falta aqui são os parentes e amigos que deixamos no Brasil. O que ajuda muito é que o João tem família maravilhosa aqui, que além de nos ajudar com o que precisamos, nos faz companhia e nos dá afeto. Também já começamos a receber nossos amigos brasileiros e ainda nesse ano receberemos nossa família aqui, telefonamos sempre para o Brasil com o Cartão Plus One (que é ótimo) e conversamos pelo Skype, e essa diminui um pouco esse problema.
Somos muito felizes aqui e não nos vemos voltando para o Brasil, a não ser que Deus nos oriente dessa forma.
Seria interessante contar mais sobre nossas experiências, também sobre como é bom morar aqui na Itália… Incentivos e benefícios que o governo oferece, segurança, entre outros. Mas fica para uma próxima entrevista!

Considerações finais


Bia e João:
Gostaríamos de dizer que Jesus Cristo é o condutor dos nossos passos, e nossa vida foi e é inteiramente impactada por Seu grande amor. Ele tem nos abençoado muito aqui na Itália. Mais uma vez, parabéns pelo Blog que nos ajudou muito antes de chegarmos aqui e continua nos ajudando ( e está salvo no nossos Links favoritos)!
Para quem tem vontade de morar aqui-> O seu sonho pode se realizar!
Saudações a todos no Brasil,
Fiquem com Deus!
Bia e João.

Gostou da entrevista? Então comente!


Leia também as entrevistas de:
Leonardo Fernandes e seu doutorado na Italia
Roberta Pinheiro e seu master em moda na Italia
– Vicky Sanches e suas aventuras italianas (incluindo bolsa de estudos!)
Ana Julia Dionisio e seu curso de italiano na Universita’ di Perugia
Juliana e seu Master em Media Relation na Italia
Gioconda Ghiggi e sua Laurea Magistrale em Roma

26 COMENTÁRIOS

  1. Que coisa boa uma bela experiência a ser contada.Parabéns e também felicidades à Bia e João! um beijo,chica

  2. Que post maravilhoso Babi!!!!! Estava com saudades de ler seus escritos! Muito legal a entrevista!

    Diz pra Bia que no Centro La Pira ela podera se matricular sem apresentar o permesso… basta o passaporte!

  3. Oi gente, adorei essa entrevista
    eu estou indo pra portugal e de lá pra italia
    esses dois me encheram mais de coragem de largar tudo aqui e partir.

    queria saber tambem se eles tem blog, algum contato, pra gente trocar experiencias.

    agora queria saber muito o contato da imobiliaria que eles conseguiram esse apartamento nesse precinho camarada. Imagine vou pra lá com duas amigas da pra gente rachar numa boa se conseguir encontrar um ap no preço do deles.

    gente beijo
    sucesso ao casal e sucesso a quem faz esse blog.
    meu contato é belezanarede@yahoo.com.br
    e meu nome é Carla

  4. é otimo ver a disponibilidade das pessoas em trocar experiencias…
    Realmente 450 de aluguel é otimo, imagina aqui em Roma é quase um quarto..rsss

    So nao entendi muito a questao da permanencia da Bia. Eu casei no Brasil e vim com o Visto/Permesso “Familiare al seguito”, valido por um ano. depois de 3 meses ja tinha meu permesso di soggiorno. Talvez porque meu marido ja tinha a residencia aqui…boohhh…. Qualquer coisa, fico a disposiçao.

    Gi

  5. Muito boa esta entrevista com o João e Bia. Eu e a Vania,tambem queremos passar um tempo na Italia, trabalhando, uns quatro meses, ganhando algum Euro para as despesas de manutenção e passeios e depois retornarmos para o Brasil. Temos familia, filhos, casa, etc…por aqui. Apesar de possuirmos a dupla cidadania e estudarmos a lingua italiana, somos já bem “adultos”: com 53 anos e aposentados. Não sei se conseguiremos algum trabalho por lá. É isso. Ciao a tutti.

  6. em tempo: eu me chamo Paulo e minha esposa Vania. Gostaria de saber o MSN, e-mail para entrar em contato com o João.

  7. Muito interessante a entrevista.

    O meu caso tambem é parecido. Assim que me casei, vim para a Italia com meu marido. Depois de algumas cabeçadas, estamos bem, com um apartamentinho lindo( ainda alugado), um carro legal e trabalhando ( muito). Vamos todos os anos ao Brasil matar a saudade da familia.

    So nao entendi porque a Bia precisa voltar ao Brasil. No nosso caso, eu tenho a cidadania, e para o meu marido fazer o permesso ricongiungimento familiare tivemos que esperar uns 4 meses, ate ter o certificado de matrimonio.
    Nisso, o permesso de turismo venceu, logico, mas nao tivemos problema em fazer o ricongiugimento com o p. de turista vencido.

    Boa sorte ao casal!

  8. Que bom lermos esses comentários!

    Não temos blog… Mas podem nos contatar através de e-mail:
    Bia-> biabrombal@gmail.com
    João-> joaocomandulli@gmail.com

    "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."
    João 3:16

    "Se, com a tua boca, confessares ao Senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo." Romanos 10:9

    "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14:6

    Algumas respostas

    Gi: também penso que era porque seu marido já tinha residência, porque o João não tinha! Quando fomos ao consulado italiano, pelo contrário, tivemos que levar comprovante de residência dele no Brasil…

    Carla: Fui informada que com o "visto" de turista vencido, a questura não permite que eu dê entrada no permesso di soggiorno. Como aqui na Itália a impressão é que cada autoridade fornece uma informação diversa da outras (em um lugar é de um jeito, em outro é de outro… depende inclusive da pessoa que atende), pra não correr o risco, eu voltarei…

    Fiquem na paz do Senhor, Nosso Salvador!

    Se quiserem mandar perguntas, dúvidas e sujestões, fiquem à vontade…

  9. Larguem tudo mesmo!
    Venham para Europa e garanto que vcs não vão aguentar nem 3 meses!
    Ingenuidade , ou ignorância mesmo!
    Venham para Europa brasileiros as brasileiras são putas e brasileiros ladrões e vigaristas! venham estou a espera.

  10. Nossa.. excelente entrevista!
    Acredito que deve ter sido super prazeroa de fazer também! Sem contar que você abordou várias coisas que podem ser super uteis para quem passar por aqui! Tá de parabens!
    Mais pra frente, conte-nos mais como tudo esta indo por ai com eles ok?
    Bjãooo!

  11. Bia, concordo com voce.
    Quando fizemos a troca do permesso de turismo para o de rinc. familiare deu um friozinho na barriga, afinal meu marido estava irregular aqui. No fim deu tudo certo.
    Mas se te passaram essa informaçao, volta sim para o Brasil, mata a saudade da familia e volte para fazer tudo certinho. Tenho certeza que tb darà tudo certo.

    Carla

  12. Oi pessoal, os meritos da entrevista são todos da Bia e do João, que tiveram paciência para responder a tantas perguntas!

    Espero que seja útil para trocar informações e conhecer uma das possibilidades da vida.

    Se mais alguém quiser dar o seu depoimento de viagem, de mudança de vida ou o que for, me escreva em brasilnaitalia@gmail.com

    Até o próximo post!

  13. Acho q a “brasileira casada e na europa” expressou algo importante, a questao de largar tudo e vir. Eu gostei mt da entrevista, mas pelos comentarios gerais do pessoal, parece q as coisas SEMPRE sao mt faceis, mas nao. A questao de eles conseguirem um apto em 4 dias, nem sempre é assim. Qud me mudei de Trento p Milao, fomos em 4 imobiliarias, as 3 primeiras disseram q nao conseguiriamos um apto em 1 semana. Na ultima, por um milagre Divino, conseguimos em 3 dias (no entanto, essa imobiliaria era uma familiar, e isso pode ter feito diferença). No geral, nao se consegue tao facil apto..

  14. Bem, devo concordar com a Dani que encontrar casa nem sempre é fácil, depende de sorte e onde você vai.

    Em Firenze, por exemplo, seria impensável encontrar uma casa por 450 euros, mesmo que fosse a 50 km do centro. Se alguém sugerisse uma casa em Firenze por 450 euros eu desconfiaria porque é roubada na certa.
    Olha que eu passei os ultimos 4 anos procurando o apartamento ideal em Firenze e arredores…

    Mas viva a diversidade de experiências.

    Também admito que o início da vida em um outro país é bem complicado. Leva um certo tempo para acostumar com saudade de casa, com os novos hábitos. Não é fácil, mas pode valer a pena.

  15. achei esta entrevista otima , estou precisando de informacoes .Tenho todos os documentos para cidadania Italiana .
    Como ainda tenho que fazer e nao disponho de muita grana , sera que consigo trabalho tao logo fique pronta a cidadania ? ja morei fora do Brasil e limpava casas , nao sei como e isto por ai . meu email valerianvl@hotmail.com , por favor se alguem pude me informar desde ja agradeco.

  16. Achei bem legal a experiencia deles, mas eles conseguiram tudo muito fácil, e brasileiro tem mania de acreditar que saindo do Brasil tudo vai cair do céu – como os entrevistados tiveram a sorte de que acontecesse com eles – e isso pode ser muito perigoso.

    É bom as pessoas saírem do país com expectativas mais realistas e procurarem se informar mais antes de tomar um passo desses.

  17. sucesso para o casal!
    qeu Deus continue sendo o instrumento de rumo e determinação na vida deles!
    tenho vontade de fazer o que eles fizeram, mas minha esposa não aceita; Felicidades a todos.
    rasinfo@ig.com.br

  18. Eles tiveram sorte. Muita gente se prepara e não é assim facil.

    Como personal trainer posso dizer que na Italia a profissão não é regulamentada e qualquer um sem faculdade pode dar aulas de educação fisica, pois não tem fiscalização.
    Outras areas são assim também.

    Uma garota citou sobre a Italia ser melhor que o Brasil. Porque então tem muito estrangeiro aqui?(Inclusive tantos italianos casados com brasileiras)?

    O salario é maior pela conversão mas ainda assim diminuiu muito perante ao crescimento do real.E muita gente voltou ao Brasil também.O custo de vida italiano é baixo na alimentação e bens de consumo em geral, sendo o aluguel mais bem mais caro que no Brasil.

    Preconceito obviamente tem na Italia, somente não ve quem não quer.O que seria a Lega Nord?

    Muita sorte ao casal.

    Gustavo

  19. Caros amigos,me chamo lúcio e minha esposa chama-se daniela..lemos a entrevista de vcs e achamos parecida com a nossa historia pois minha esposa espera a cidadania dela aqui no brasil e eu sou personal training rssss
    Estamos pensando em ir morar na itália esse ano por isso gostariamos de tirar algumas duvidas com vcs…é possível?? meu e-mail é lucioleal@hotmail.com
    Aguardo seu contato, pois nao sei se leras esse comentario.
    Abraço,
    LÚCIO

  20. ola gente eu tambem larguei tudo no brasil e vim pra italia com meus dois filhos menores , sou separada e vim começar a vida com meu companheiro italiano , como ainda nao tinha meu divorcio nao podia me casar vim com o visto de turista com a esperança de com a chegada tentaria conseguir o permesso per lavoro , mas por falta de informaçao perdi muito tempo e nao consegui ainda , a coisa possitiva é que meus filhos nao tiveram nenhum problema para começar na escola mesmo eu estando irregular eles conseguiram se adaptar e estao muito bem nos estudos , e o meu problema agora depois de 2 anos poderei resolver pois saiu meu divorcio poderemos casar , mas para isso devemos voltar para casar no brasil e depois retornar a italia , o meu conselho pra quem quer vir é se informe bastante sobre todo o procedimento e prepare no brasil todos os documentos nescessarios antes de vir , para evitar transtornos, e boa sorte !!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here