Independentemente da sua religião, uma visita que você não pode deixar de fazer durante uma viagem para Roma é aquela para os Museus do Vaticano.

Índice do artigo:
1. Por que visitar os Museus do Vaticano
2. Ingressos para os Museus do Vaticano e Capela Sistina
2.2 Entrada gratuita nos Museus do Vaticano
2.3 Calendário de abertura dos Museus do Vaticano
3. Corredores que exaltam riqueza e cultura
4. A Galeria dos Mapas nos Museus do Vaticano
5. A Capela Sistina
6. O Museu Egípcio
7. Quanto tempo devo dedicar aos Museus do Vaticano?

1. Por que visitar os Museus do Vaticano

Você não precisa ser católico para visitar os Museus do Vaticano. Basta ser curioso, gostar de estar rodeado pela beleza, ter sede de história. Os Museus do Vaticano são pura imponência, beleza, riqueza e poder!

Durante a sua visita aos Museus do Vaticano você poderá ver ao vivo a famosíssima Capela Sistina. Ou as belíssimas salas decoradas por Rafael. Mas principalmente porque você terá dimensão do poder e da riqueza da Igreja Católica, uma das religiões mais influentes há mais de 2000 anos no mundo, pelo menos daquele Ocidental.

A beleza dos Museus do Vaticano
A beleza nos museus do Vaticano

Através da visita aos Museus do Vaticano, você poderá descobrir um pouco mais da nossa história, a história da nossa civilização.

A minha visita aos Museus do Vaticano aconteceu durante uma viagem para Roma de 4 dias em fevereiro de 2013, viagem oferecida pela Hostelbookers e em tempos de mudança de Papa – de Bento XVI para o novo Francesco.

2. Ingressos para os Museus do Vaticano e Capela Sistina

Você pode visitar os Museus do Vaticano por conta própria ou como parte de um tour particular ou em grupo.

Se você optar por visitar os Museus do Vaticano por conta própria é recomendável comprar ingressos com antecedência para os Museus do Vaticano.

Na hora as filas são enormes e, muitas vezes, os ingressos prioritários chegam a esgotar com semanas de antecedência nos períodos mais disputados, como na Páscoa, por exemplo. Existe um custo adicional de reserva, mas vale cada eurinho!

Os ingressos para os Museus do Vaticano custam Euro 17,00 + Euro 4,00 de reserva obrigatória para compra com antecedência.

Os ingressos vendidos no site oficial dos Museus do Vaticano e Capela Sistina não são reembolsáveis após a compra. No máximo você pode alterar a data e horário uma única vez em base a disponibilidade do momento da alteração.

Compre ingressos prioritários para os Museus do Vaticano e Capela Sistina através da Get Your Guide: o cancelamento é gratuito com até 24 horas de antecedência

Se você já decidiu fazer um visita guiada, saiba que na maioria das vezes os tours nos Museus do Vaticano já incluem os ingressos prioritários. Então cheque direitinho os detalhes para não comprar os ingressos duas vezes!

2.2 Entrada gratuita nos Museus do Vaticano

No último domingo de cada mês a entrada nos Museus do Vaticano é gratuita (exceto em dezembro quando a entrada será gratuita no dia 18 de dezembro de 2022).

No dia de entrada grátis horário de abertura do Museu é das 09:00 às 14:00 com última entrada às 12:30.

É claro que existe muita fila neste dia, mas para quem está com o budget apertado pode ser uma ótima alterativa para ver um dos museus mais visitados do mundo!

2.3 Calendário de abertura dos Museus do Vaticano

Abaixo o calendário oficial dos Museus do Vaticano 2022. Aqui tem todas as datas de abertura e visita gratuita e também os dias de fechamento.

3. Corredores que exaltam riqueza e cultura

Imagine a cena: você entra em uma sala coberta de mármore, afrescos e obras de arte. Aí você caminha e encontra outra sala do mesmo estilo, e mais outra e mais outra e mais outra… Uma com os presentes que os Papas recebiam de líderes políticos das várias nações, outras com objetos de tecnologia do passado, mapas e globos, outra com objetos religiosos antigos. É uma sala atrás da outra que exalta a riqueza e poder da Igreja Católica como instituição religiosa. Realmente impressionante!

Nos corredores do Vaticano
Nos corredores do Vaticano

Aí você começa a lembrar das aulas de história da época em que você estava na escola: do clero que durante a Idade Média era a única faixa da sociedade que sabia ler e escrever, de Galileu Galilei que foi obrigado a negar sua descoberta de que eram os planetas que giravam ao redor do sol e não os planetas ao redor da Terra, da Igreja e suas missões com padres jesuíticas não só no Brasil como em outras áreas do planeta para catequizar os povos recém “descobertos”.

4. A Galeria dos Mapas nos Museus do Vaticano

Quando cheguei na Galeria dos Mapas, começou a muvuca. todo mundo de olho nos diferentes Estados da Itália, muito antes que a Itália fosse um país unido (lembre-se que a Itália só nasceu em 1861!).

A sala dos mapas
A sala dos mapas

Eu também não resisti e tirei uma fotinho da Etruria, onde hoje encontra-se a Toscana,  que para mim hoje significa “casa”.

A "Etruria" de outros tempos corresponde praticamente a atual "Toscana"
A “Etruria” de outros tempos corresponde praticamente a atual “Toscana”

 5. A Capela Sistina

Muitos turistas ficam frustrados porque justamente a Capela Sistina é o único lugar onde não é possível tirar fotografias. Você até pode tentar burlar os “seguranças” em meio a tantas pessoas que estão lá ao seu lado (imagine a pista de um show de música pop – lá dentro da Capela Sistina é mais ou menos assim, mal dá para caminhar sem tocar alguém!). Com o distanciamento obrigatório em tempos de pandemia a situação ficou mais controlada, mas vamos ver quanto vai durar…

Meu conselho é: não perca tempo com as fotos e aprecie a beleza ao vivo.

imagem ilustrativa do tour virtual na Capela Sistina
imagem ilustrativa do tour virtual na Capela Sistina

Depois, se ficar com saudades no futuro, a qualquer momento você pode fazer uma deliciosa visita virtual a Capela Sistina disponível no site do Vaticano.

6. O Museu Egípcio

Outra seção dos Museus Vaticanos que vale absolutamente a pena visitar é o Museu Egípcio. Lá você vai poder ver uma múmia de verdade sem precisar ir até o Egito! E já que você está lá, aproveite para dar uma passadinha no Museu Etrusco (lembre-se que no passado, alguns milhares de anos antes do nascimento de Cristo, a área da Toscana se chamava Etruria: é uma viagem ao passado da Toscana!)

7. Quanto tempo devo dedicar aos Museus do Vaticano?

Se você quiser, você pode passar o dia inteiro lá, ver as coisas com calma, almoçar em um dos bares e restaurantes lá dentro e sair somente no final do dia! Acredite: não falta coisa para ver para quem é curioso.

Os tours organizados duram em média 3 horas com o clássico roteiro do tour Museus do Vaticano, Capela Sistina e Basílica de S. Pedro.

Clique aqui e reserve seu tour em grupo nos Museus do Vaticano através da Get Your Guide

Recomendo a visita nos Museus do Vaticano pela manhã: você evita a lotação na Capela Sistina e se quiser ficar lá bastante tempo, não terá a preocupação de o museu estar quase fechando. Já se você resolver sair antes, dá sempre tempo de visitar a Basílica de São Pedro, subir no alto da cúpula ou ir até o Castelo de S. Ângelo ali perto.

musei_vaticani01

E você, já teve o prazer de conhecer os Museus do Vaticano? Conte a sua experiência para a gente!

Porta de saída "Musei Vaticani"
Porta de saída “Musei Vaticani”

*Esta viagem a Roma foi oferecida pela Hostelbookers Brasil, que patrocinou os custos da viagem, mas não teve nenhuma influência no nosso roteiro ou no conteúdo editorial deste artigo.
O Hostelbookers oferece a melhor seleção de acomodação barata solucionando os seus problemas e correspondendo as suas expectativas.

Parceiros:

RESERVE SUA ACOMODAÇÃO AGORA

Reserve sua hospedagem na Italia, no Brasil ou em qualquer outro país do mundo com nosso parceiro Booking.com!

Você encontra as melhores ofertas e ainda colabora com o nosso site. Obrigada!

RESERVE TRANSFERS E TOURS ONLINE

Reserve transfers, tours e excursões na Italia e no mundo com a nossa parceira Get Your Guide

Artigo anterior[Restaurante no Mugello] Trattoria “La casa del Prosciutto”
Próximo artigoPáscoa 2013: o que abre em Firenze no feriado
Barbara Bueno é uma jornalista brasileira que mora em Florença desde março de 2005. Foi para a Toscana em busca das suas origens italianas. Em janeiro de 2007 criou o blog BRASIL NA ITALIA. Já trabalhou como content manager para a Regione Toscana, obteve habilitação como assistente turística e foi proprietária de agência de viagem na Italia (até chegar a pandemia...). Hoje se interessa por criptomoedas e voltou a fazer o que mais gosta: buscar novidades, visitar lugares interessantes e escrever! Se você tem uma dúvida sobre a Italia visite a seção Dúvidas sobre a Italia.

11 COMENTÁRIOS

  1. Muito bacana esta reportagem, fico pensando na qualidade dos artistas que executaram estas obras de arte.

COMENTÁRIOS:

Please enter your comment!
Please enter your name here