Jardins históricos, com fontes maravilhosas e o agradável barulhinho de água corrente que acompanha o seu passeio criando uma sensação relaxante enquanto você enche seus olhos de beleza: não é a toa que a Villa d’Este faz parte da lista de patrimônios da humanidade da Unesco.

A menos de 1 hora de distância de Roma você encontra essa residência histórica imponente com jardins repletos de fontes, inclusive algumas assinadas por ninguém menos que Gian Lorenzo Bernini um dos grandes artistas do século XVI.

Um dos pensamentos que veio a minha cabeça durante a visita foi na capacidade do ser humano de transformar o ambiente ao seu redor e criar beleza, em como usar a riqueza para construir valor. Imaginar que mais de 500 anos atrás esse jardim já existia… e na capacidade de conservar e melhorar essa riqueza. Enfim, um lugar para você se inspirar e relaxar.

Quando visitar a Villa d’Este

A Villa d’Este abre o ano inteiro, mas a melhor época para visitá-la é entre os meses de abril e setembro, os meses mais quentes do ano na Itália.

A história da Villa d’Este

Em 1550 Ippolito II d’Este (1509-1572), cardeal de Ferrara, foi nominado governador de Tivoli e ocupou a tradicional residência do convento beneditino em Santa Maria Maggiore. Apenas depois, em 1560, ele começou um radical programa de reforma do palácio, enquanto começava a realização do jardim após uma complicada campanha de expropriação de casas e terrenos na “Valle Gaudente”.

O idealizador do jardim foi Pirro Ligorio, antiquário e arquiteto napolitano que, trabalhou em conjunto até 1569 ao arquiteto de Ferrara, Alberto Galvani, diretor de todos os trabalhos. A parte hidráulica e fontes foram realizadas por Tommaso Ghinucci.

Para o armazenamento de água das fontes, em 1564 foi usada diretamente a água de Aniene, cavando uma galeria de 280 metros.

Desde 1550 Ligorio, consultor do cardeal para a coleção de antiguidades, tinha efetuado uma campanha de escavações e relevação no território tiburtino, em especial na próxima Villa Adriana, modelo antigo que usou como inspiração para a nova residência.

Em 1605 o cardeal Alessandro d’Este (1568-1624) começou uma importante reforma do jardim que levou nas décadas sucessivas à realização de novas fontes, duas assinadas por Gianlorenzo Bernini.

No século XVIII a casa ficou abandonada por um longo tempo e suas antiguidades acabaram sendo transferidas para diversos museus da Europa.

No século XIX o complexo vira propriedade dos Habsburgos e desde 1851 o cardeal Gustav Hohenlohe (1823-1896) transformou algumas das fontes do jardim, introduzindo temas religiosos. Após a primeira Guerra Mundial a Villa d’Este passa a ser propriedade do Governo Italiano.

Informações Práticas para visitar Villa d’Este

Horário Villa d’Este

A Villa d’Este abre às 08:30 da manhã e fecha às 19:45 ( a bilheteria fecha 1 hora antes). Em caso de visita no inverno reconfirmar o horário de fechamento que costuma sofrer variações.

Dias de fechamento: todas as segundas-feiras pela manhã (a Villa d’Este abre às 14:00 às segundas) , dia 1º de Janeiro e 25 de dezembro.

Mais informações no site oficial


Ingressos

Os ingressos inteiros comprados na hora custam Euro 8,00 por pessoa e reduzidos saem Euro 4,00. As tarifas podem variar em ocasião de mostras e eventos especiais. Entrada grátis todo primeiro domingo do mês. No caso de compra de ingressos online existe custo adicional de reserva.

Bilheteria – tel: +39 0774 332920


Visitas guiadas em português na Villa d’Este

É possível organizar um tour particular na Villa d’Este com transporte de ida e volta e guia de turismo profissional que fala português. Peça seu orçamento para a agência de viagens BRASIL NA ITALIA


Como chegar na Villa d’Este em Tivoli

A Villa d’Este fica na Piazza Trento 5 em Tivoli.

A maneira mais confortável de chegar na cidade é com um transfer particular de Roma para Tivoli: você sai do seu hotel em Roma direto para o seu hotel em Tivoli.

Se você preferir dirigir saiba que no centro histórico existe uma área ZTL (Trânsito Limitado de Veículos).

Para quem viaja de trem, existe a estação “Tivoli” que faz parte da linha Roma – Pescara. A estação ferroviária de Tivoli fica a aproximadamente 1,5km da Villa d’Este.

Para quem sai da estação Termini você pode pegar a linha B do metrô em direção Rebibbia até a parada Ponte Mammolo, terminal das linhas CO.TRA.L Roma-Tivoli.


Todas as fotos deste artigo são de autoria de Barbara Bueno / Brasil na Italia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here