Fizemos uma viagem no tempo com destino ao século XVI para encontrar uma das grandes personalidades da época: Eleonora di Toledo, duquesa de Florença. Leia o artigo para saber como foi o nosso encontro com a duquesa Eleonora.

A duquesa Eleonora

Para celebrar os 500 anos do nascimento de Eleonora di Toledo (em português Leonor de Toledo) o Muse organizou uma série de eventos em Florença. E lá fui eu com as minhas duas filhas e marido participar do Invito alla Reggia: al cospetto della Duchessa Eleonora.

Nosso passeio começou com uma visita guiada interna do Palazzo Vecchio, uma das principais atrações de Florença.

Este edifício histórico foi a segunda residência da duquesa Eleonora em Florença.

salone dei 500 palazzo vecchio
O Salone dei Cinquecento no Palazzo Vecchio

Após uma breve introdução sobre o período histórico que iríamos visitar, passando pelas principais salas do palácio, incluindo o imponente Salone dei Cinquecento, entramos em uma ala secreta para encontrar a duquesa Eleonora em pessoa, que nos contou sobre como era a vida no seu tempo.

Uma experiência muito interessante para as meninas que puderam ver como era a vida de uma mulher nobre no século XVI.

sala dell udienza palazzo vecchio
A Sala dell’Udienza no Palazzo Vecchio conhecida também como Sala da Justiça

Fizemos uma espécie de brincadeira onde éramos viajantes vindos de uma terra distante, curiosos de ser recebidos pela duquesa e saber como funcionavam as coisas no seu reino.

Reserve seu tour no Palazzo Vecchio através do Get Your Guide

O Palazzo Vecchio

Há mais de sete séculos o Palazzo della Signoria, mais conhecido como Palazzo Vecchio, é o símbolo do poder civil da cidade de Florença.

O palácio foi construído entre o final do século XIII e o início do XIV para receber os Priori delle Arti e Gonfaloniere di Giustizia, o órgão supremo de governo de Florença. Com o passar do tempo o edifício passou por diversas reformas e ampliações.

O aspecto atual se deve as grandiosas obras de restauração e decoração interna realizadas no século XVI para transformá-lo na residência dos duques de Florença. As obras foram realizadas a pedidos de Cosimo I de’ Medici.

Depois que a corte dos Medici se transferiu a Palazzo Pitti, o Palazzo Vecchio continuou a hospitar diversos órgãos do governo até que em 1871 se tansforma na sede do Comune di Firenze.

A vida de uma duquesa no século XVI

Um dos primeiros impactos foi em relação as roupas. Eleonora achou estranho mulheres vestirem “culotes” (calças). Contou que em Florença existiam regras detalhadas sobre como as pessoas deveriam se vestir. Explicou que roupas vermelhas eram usadas apenas em ocasiões especiais e solenes. Não era possível usar essa cor no dia-a-dia.

O encontro com a duquesa Eleonora diretamente no século XVI!
O encontro com a duquesa Eleonora diretamente no século XVI!

Disse que no seu tempo as mulheres deveriam usar vestidos compridos que dessem uma bela forma ao corpo e a postura. E que as roupas das mulheres eram totalmente diferentes das roupas dos homens (praticamente todas as mulheres, homens e crianças do nosso grupo estavam usando calças e malhas, o que ela achou esquisitíssimo!).

Eleonora di Toledo nos contou também sobre o seu casamento. Disse que teve sorte de se casar aos 17 anos com Cosimo I, que era apenas 2-3 anos mais velho que ela. Disse que era normal mulheres se casarem com homens muito mais velhos, até com o dobro da idade. Naquela época os casamentos eram combinados pelos pais, para que pudessem manter o poder e riqueza dos reinos e governos.

Inclusive perguntou ao meu marido se já tínhamos escolhido o futuro esposo para a nossa filha, Gaia, que está prestes a fazer 10 anos. Disse que já deveríamos começar a pensar no assunto porque na sua cultura as mulheres devem se casar antes dos 20 anos.

O casamento da Duquesa Eleonora, por exemplo, foi realizado por procuração. Ela morava em Nápoles, em um castelo próximo ao mar. Embarcou em Nápoles até Livorno e só no caminho para Florença encontrou seu marido, Cosimo I de’ Medici.

estatua cosimo i palazzo vecchio firenze
A estátua de Cosimo I de’ Medici em frente sobre o cavalo em frente ao Palazzo Vecchio

Eleonora contou que naquela época a língua mais importante era o espanhol. Aliás Eleonora era filha de Pedro Álvares de Toledo, vice-rei espanhol de Nápoles, comandada por Carlos V. Era, portanto, considerada “estrangeira” pelos florentinos.

Cosimo, havia tomado recentemente o poder de Florença e não tinha vínculos políticos nem fundos econômicos. O marido muito se beneficiou da posição alcançada com seu casamento: de repente ele se viu na posse de um imenso patrimônio e do parentesco do governador do sul da Itália (D. Pedro era tão confiável como vice-rei que obteve a renovação de seu cargo até sua morte em 1553).

A festa de casamento de Eleonora e Cosimo I de’ Medici aconteceu no primeiro palácio dos Medici em Florença na “Via Larga”, o Palazzo Medici Riccardi, que foi a primeira residência do casal. Mas por pouco tempo porque logo depois se transferiram para o Palazzo Vecchio.

capela eleonora palazzo vecchio
A capela de Eleonora dentro do Palazzo Vecchio com afrescos realizados por Agnolo Bronzino

Ela gostava do Palazzo Vecchio, tinha várias comodidades: no segundo andar ficavam os seus apartamentos e até a sua capela privada. Mas faltava um jardim, uma área com espaços abertos. Assim, ela convenceu Cosimo I a construir um novo palácio com um grande jardim. E assim surgiu o Palazzo Pitti.

Outra curiosidade interessante que ela nos contou é que não costumavam tomar banho com frequência porque acreditavam que lavar a pele fazia mal a saúde e eles deveriam usar sempre roupas que cobrissem bem o corpo para evitar picadas de insetos.

No total Eleonora teve 11 filhos. Não teve oportunidade de nos contar, mas ficamos sabendo depois, que morreu aos 40 anos de malária.

Era tão fantástico assim ser duquesa no século XVI?

Hoje em dia muitas meninas sonham com vida de princesa e rainha, como nos contos de fada da Disney. Mas será que era tão fantástico assim ser duquesa no período do Renascimento?

Saímos de lá refletindo sobre como era a vida no século XVI.

Embora os vestidos fossem maravilhosos, hoje uma pessoa comum tem uma qualidade de vida muito melhor do que uma nobre de 500 anos atrás.

A começar pelo ponto de vista da saúde: imagine viver em um tempo onde não existiam medicamentos adequados para curar doenças que hoje são consideradas banais e simples de curar?

E as condições das mulheres: naquela época as mulheres podiam simplesmente aceitar o que lhes era imposto, eram obrigadas ao casamento com desconhecidos, deviam tolerar maridos que frequentavam outras mulheres.

Saber ler e escrever era coisa rara, para poucos. Não existiam escolas, como conhecemos hoje.

As pessoas morriam muito cedo e os ricos e poderosos do século XVI tinham muito menos conforto do que um cidadão comum europeu tem hoje.

Leia também: a cidade na Toscana onde nasceu Leonardo da Vinci

Parceiros:

RESERVE SUA ACOMODAÇÃO AGORA

Reserve sua hospedagem na Italia, no Brasil ou em qualquer outro país do mundo com nosso parceiro Booking.com!

Você encontra as melhores ofertas e ainda colabora com o nosso site. Obrigada!

ALUGUE SEU CARRO COM A NOSSA PARCEIRA

Alugue um carro na Italia, ou em qualquer outro lugar do mundo com a nossa parceira Rental Cars

RESERVE TRANSFERS E TOURS ONLINE

Reserve transfers, tours e excursões na Italia e no mundo com a nossa parceira Get Your Guide

RESERVE SUAS PASSAGENS DE TREM NA ITALIA E EM VÁRIOS OUTROS PAÍSES EUROPEUS COM NOSSA PARCEIRA TRAINLINE

Reserve sua passagem de trem ou pass de trem agora

Artigo anteriorGiornate FAI di Primavera 2022
Próximo artigo[ITA Airways] Passagens aéreas São Paulo Roma a partir de junho de 2022
Barbara Bueno é uma jornalista brasileira que mora em Florença desde março de 2005. Foi para a Toscana em busca das suas origens italianas. Em janeiro de 2007 criou o blog BRASIL NA ITALIA. Já trabalhou como content manager para a Regione Toscana, obteve habilitação como assistente turística e foi proprietária de agência de viagem na Italia (até chegar a pandemia...). Hoje se interessa por criptomoedas e voltou a fazer o que mais gosta: buscar novidades, visitar lugares interessantes e escrever! Se você tem uma dúvida sobre a Italia visite a seção Dúvidas sobre a Italia.

COMENTÁRIOS:

Please enter your comment!
Please enter your name here