A riqueza cultural italiana é mundialmente conhecida e não está escrita! Isto é indiscutível e inegável. Mas se a afirmação fosse levada ao pé da letra, eu diria que há controvérsia! Já que, com a contribuição de editoras interessadas nessas riquezas (incluindo brasileiras), muitas obras consideradas clássicas da literatura universal vêm sendo apresentadas ao público no formato mais tradicional. Escrevendo novas páginas no mercado literário, como agora ocorre no lançamento do livro Os Noivos de Alessandro Manzoni.

Um livro visualmente grande no tamanho, maior ainda no conteúdo e surpreendentemente leve no peso.

Resultado de um projeto que levou quase dois anos para ser feito, envolvendo mais de um ano de tradução e que agora chega ao mercado brasileiro pela editora Nova Alexandria especializada na edição de clássicos e dentro do calendário do MIB. Um produto final de muita qualidade, por se tratar da tradução completa da obra, reconhecida como marco fundamental no desenvolvimento da moderna língua italiana, difícil, trabalhoso e demorado para fazer, mas gratificante e prazeroso, segundo os próprios responsáveis.

Lançado em 18/04 no Instituto Italiano de Cultura - SP os responsáveis comentaram e leram trechos da obra.

O romance “Promessi Sposi” (em italiano) teve sua primeira versão escrita por Alessandro Manzoni entre 1821 e 1823, mas só publicada de forma revisada e considerada com a “verdadeira língua italiana”, em 1840. Quando desde então passou a ser exaltada como um legítimo representante do Romantismo histórico italiano. Para se ter uma ideia, a mesma pode ser comparada a brasileira “O Guarani”, de José de Alencar, dentro dos contextos locais e no que diz respeito a importância delas em seus países de origem.

O enredo (aqui descrito resumidamente) recai sobre a história de dois jovens camponeses, moradores do Norte da Itália do século XVII durante a ocupação espanhola, que querem se casar, mas são impedidos pelo fidalgo local, dono da aldeia, que possui interesse pela moça e controla a todos com sua influência. Assim, os jovens iniciam fuga para conseguir realizar a união longe dali e apesar da trama parecer romântica, concentra-se nos episódios sociais da época, analisando-os e dissertando sobre eles.

Manzoni (ao lado) usou como pano de fundo, as desventuras dos dois amantes para citar passagens da época.

Além disso, a edição trás como bônus, a tradução de A História da Coluna Infame. Um documento que relata tortura e desmando oficial da época, ao reconstruir os mecanismos que levaram dois juízes de Milão a condenarem ao suplício dois inocentes como propagadores da peste em 1630. Uma obra de ficção antiga, porém atual, por ainda se encaixar em muitas realidades sociais espalhadas pelo mundo, também escrita pelo autor, considerado o segundo fundador da língua italiana, depois de Dante Alighieri.

Detalhe da capa que reproduz parte da original, curada pelo próprio autor, com o nome em italiano no detalhe.

Assim, o casamento entre o Brasil e a Itália se fortalece ainda mais, aprofunda raízes e oferece ótimos frutos para as próximas gerações. Graças ao incentivo de editoras interessadas em restaurar e manter as joias da humanidade, como parece ser a Nova Alexandria. Que carrega o nome da mais famosa biblioteca mundial, apontando a direção de seu farol para esses tesouros, na intenção de iluminar e manter acesa a chama do conhecimento que poderia sumir no escuro do tempo, resgatando antigas maravilhas!

————
Fernando Ferrari (fffernandoferrari@gmail.com) é brasileiro de nascimento, francês de cidadania e italiano de coração! Publicitário, escritor amador, mora em São Paulo, já esteve na Itália duas vezes e mantém o blog www.cabecatroncoetextos.blogspot.com Um dia pretende trabalhar e viver mais tempo por lá, mas enquanto não surge uma oportunidade, escreve para diminuir a saudade.
www.facebook.com/fffernandoferrari

3 COMENTÁRIOS

  1. Gostei da reportagem, Fernando! Moro na Valcamonica onde foi publicado um livro inspirado em “Os Noivos” de Manzoni. O titulo é “Matrimonio impedito – I promessi sposi camuni”.

  2. Olá Juliana! Que bom que gostou da matéria e é mais uma prova que a obra de Manzoni avança pelo mundo! Obrigado, grazie, arrivederce e até a próxima! FF

  3. Ola Barbara,
    Este romance é de tal maneira importante aqui em Itália que a sua leitura e analise são obrigatórias nas escolas medias.
    Gostei muito de ver o seu Blog, o meu é muito novinho, tem só quatro meses ainda estou a aprender a matéria gostei de saber que existe alguém com ideias muito semelhantes as minhas. Parabéns pelo bom trabalho que apresenta aqui, vou voltar e gosto no Facebook.
    Um abraço
    Gregoria Correia
    http://sirvo.net

Comments are closed.