O que fazer com aquelas coisas velhas na Italia? A minha querida bistequeira acaba de completar o seu primeiro ano de vida, e devo admitir que se tivesse que fazer uma comparação com a idade humana, ela já estaria beirando os 103 aninhos. Essa minha frigideira especial que possibilita que a Fiorentina atinja a “cottura” perfeita perdeu uma boa parte da camada de tefflon, o que significa que ultimamente a carne não atinge mais o ponto certo porque queima um pouco na parte externa. Sempre a tratei com carinho, lavando-a com cuidados especiais, mas não teve jeito. Vou comprar uma nova o mais rápido possível. Mas e aí, o que eu faço com essa? Vai parar no lixo?

Se fosse no Brasil era fácil. Basta dar a empregada doméstica mais próxima que ela se encarregaria de encontrar uma leva de interessados (ela inclusa). No Brasil existe gente muito carente e necessitada e é fácil encontrá-los. Mas e aqui na Italia? Se eu oferecer isso a um italiano qualquer, ele se ofende! Pensa que eu estou chamando-o de “morto de fome”. É um erro gravíssimo!

A mesma coisa para a minha webcam. Acabo de comprar uma super webcam da microsoft de não sei quantos mega pixel e a minha antiga Trust da epoca dos 300K, se chegar a tanto, o que vou fazer com ela? O que vocês que moram na Italia fazem com as coisas velhas?

Eu li em uma revista que existia uma comunidade internacional onde era possível publicar o que você quisesse doar, no caso em que pudesse servir para alguém. Aqui em Firenze se chama Firenze Cycle (http://it.groups.yahoo.com/group/firenzefreecycle ) mas desde que me inscrevi há 6 meses, vi que a participação é zero.
Além disso cheguei a conclusão que mesmo se a idéia funcionasse, é uma complicação: imagina o celular tocando o dia inteiro com interessados que querem ver a bistequeira ou o que for, gente estranha que entra na sua casa para ver um móvel…

Para móveis dá para telefonar para a Quadrifoglio, a companhia de lixo de Firenze, que eles agendam um dia para retirar as coisas ao lado das caçambas de lixo. Mas dá dó porque às vezes o produto ainda é meio novo e fica lá abandonado até a hora em que a Quadrifoglio passar, a mercê de chuva, de gente que derruba coisas em cima… Para roupas existem caçambas amarelas de entidades beneficentes. Mas e para TV e computador velhos? Ou aquela cama que tem 6 meses de vida, mas que você decidiu trocar por uma super ultra mega anatomica espacial e agora não sabe o que fazer com a “velha” em que pagou 400 euros, mas que não vale a pena vender porque só o transporte já custa essa cifra?

E você, leitor, já imaginou se todos no mundo fossem ricos e consumissem, onde iríamos viver? No Planeta Lixo, invés de Planeta Terra…

3 COMENTÁRIOS

  1. Voce ainda nao aprendeu a tatica de deixar do lado de fora do lixo?
    Os zingaros pegam tudo

    Rodrigo Fante

  2. ciao,
    as roupas a maior parte dou para a caritas, as roupas melhores coloco em uma sacola da parte para quando for no brasil dar para alguem que precisa, como tambem celulares velhos web e maquinas fotograficas como tb relogios e oculos, para alguem no brasil è um bello presente. ciao a todos marcia. lt.

Comments are closed.