Como o Brasil é visto internacionalmente do ponto de vista turístico? O Ministério do Turismo do Brasil (MTur) fez uma pesquisa na web e identificou o uso equivocado de marcas institucionais. Achei o conteúdo deste comunicado interessante e por isso compartilho com vocês. Afinal, a imagem do Brasil não depende apenas do governo, mas de cada um de nós. Você está fazendo a sua parte?

Dos mais de dois mil sites notificados, 82% apresentavam apelo sexual ou sensual

João Pessoa

Com tantas belezas naturais, culturais e a grande diversidade gastronômica, ainda tem quem insista em promover o Brasil por meio de “roteiros sexuais”. A imagem negativa, que não condiz com a realidade turística do país, tem sido combatida com afinco pelas instituições públicas.

Em uma ação inovadora, o Ministério do Turismo realiza desde o ano passado a proteção contra fraude e uso indevido de símbolos e programas de turismo na internet. De um total de mais de duas mil notificações aos sites que utilizam de modo equivocado palavras relacionadas às marcas “Ministério do Turismo”, “Turismo Sustentável e Infância” e “Viaja Mais Melhor Idade”, 82% foram relacionadas a conteúdos com conotação sensual ou sexual.

O estudo inicial previa identificar o uso indevido das marcas do MTur por sites de promoção do turismo. As pesquisas foram então ampliadas com mais palavras-chaves e termos em vários idiomas. A partir da constatação de resultados com apelos sensuais e sexuais, o Ministério do Turismo se aliou a outros órgãos, como a Secretaria de Direitos Humanos, Ministério da Justiça e a Polícia Federal, para estabelecer um intercâmbio de informações que permita agilidade para coibir essas práticas. À PF, por exemplo, foram encaminhados todos os indícios de crimes detectados, especialmente contra crianças e adolescentes.

Durante o ano de 2011, a pesquisa identificou 38.865 utilizações de imagens relacionadas ao Ministério do Turismo. Desse total, 2.169 ocorrências apontaram o uso equivocado de marcas e resultaram em abertura de procedimento administrativo. Em apenas um ano de monitoramento, 1.100 sites com conteúdos irregulares foram ajustados ou retirados do ar – representando 51% de sucesso na ação. Especificamente sobre turismo com conotação sensual ou sexual, o levantamento identificou mais de 1.770 sites com associações impróprias às marcas do Ministério do Turismo, ou seja, 82% do total de ocorrências.

Segundo o ministro do Turismo, Gastão Vieira, o ministério vai intensificar o trabalho com as demais instituições públicas para fortalecer o combate às práticas criminosas. “A exploração sexual no turismo é crime, e os responsáveis devem ser punidos. O Ministério do Turismo está atento a essas fraudes na internet para definir estratégias com todo o governo federal e coibir ações que tentem dar uma conotação negativa ao nosso país.”

O importante papel da internet para promoção turística

Apesar da associação negativa com este tipo de turismo criminoso, a internet ainda é uma das principais ferramentas para o fomento do bom turismo. Nove em cada 10 brasileiros utilizam a rede como primeira fonte de informação sobre viagens, segundo dados do ministério. É também pela internet que 81% dos brasileiros emitem passagens aéreas e 72% reservam vagas em hotéis.

O ministro Gastão Vieira reforça que o trabalho do ministério em promover as belezas naturais, os atrativos culturais e a hospitalidade do povo brasileiro tem atraído um número cada vez maior de turistas estrangeiros ao país. Em 2011, foram 5,4 milhões de visitantes de outros países. “Temos capacidade de receber bem os turistas e recepcionar grandes eventos. A política brasileira é a de proteção e respeito aos direitos humanos e é assim que os outros países devem nos ver”, afirma.
As ações de combate à exploração sexual infantil têm sido constantes no Ministério do Turismo. De um investimento de R$ 200 mil em 2005, o Programa Turismo Sustentável e Infância passou a contar com o orçamento de R$ 6,5 milhões em 2011 – foram R$ 32 milhões investidos pelo MTur durante esses seis anos. Nesse período, 65 convênios foram aprovados e 163 seminários de sensibilização junto à cadeia produtiva do turismo foram realizados. Além disso, as ações de enfrentamento à exploração de crianças e adolescentes mobilizaram mais de 110 mil pessoas em todo o país.

5 COMENTÁRIOS

  1. Achei fantástico que a imagem do Brasil esteja hoje tão boa e limpa!

    Sim, pois se você ler o comunicado cuidadosamente, verificará que somente 6% dos sites promovendo o Brasil tinham qualquer problema e foram portanto notificados. SEIS PORCENTO. Ou seja, somente um de cada 19.

    Menos ainda tinham associada a imagem do Brasil com apelo sexual ou sensual: somente um em cada 23 sites que o governo inspecionou (ou 1770 de 38865 sites)

    Em resumo (para os jornalistas que fugiram das aulas de matemática):

    96% dos sites inspecionados NÃO associam o Brasil a apelos sexuais e nem mesmo a apelos simplesmente sensuais. Um recorde fantástico e de se orgulhar.

    Eu especulo que a perda de foco da propaganda brasileira nas suas lindas mulheres tenha a ver com a epidemia de obesidade que o Brasil enfrenta, mas essa minha tese merece um estudo mais aprofundado num outro foro.

  2. Oi Engenheiro Calculista,
    Que bom que você sabe ler e interpretar as notícias. 😉
    Ainda bem que os a imagem do Brasil não está assim tão negativa, embora ainda exista uma parcela de sites que usam o logo e nome do Brasil como símbolo de turismo sexual.
    O governo brasileiro tem feito um bom trabalho e não está sozinho. Afinal, nós brasileiros no exterior e blogueiros ajudamos a mostrar que não é preciso ser mulata, saber sambar e entender tudo de futebol para ser brasileira. 😉
    Agora falta tornar o Brasil um país mais seguro porque infelizmente a criminalidade ainda é desestimulante… e se me perguntam sobre turismo no Brasil eu ainda digo: “nada de ficar passeando distraído no centro da cidade com uma máquina fotográfica de 2000 euros no pescoço. Você corre risco de vida!” Infelizmente a vida ainda vale pouco no Brasil…
    Abs
    Barbara

  3. “nada de ficar passeando distraído no centro da cidade com uma máquina fotográfica”…

    Eu mesmo sirvo como exemplo da sabedoria dessas palavras. Na ultima vez que estive no BR, já com o meu “radar” enferrujado por viver muitos anos no exterior, fui roubado duas vezes em apenas um mês de visita.

    Da segunda vez (em Curitiba), fiquei sem nem ter como pagar o hotel no qual estava hospedado, pois levaram minha carteira. Ainda bem que a American Express (sem propaganda, né?) providenciou um cartão de reposição de emergência, que recebi no dia seguinte. Mas isso porque eu tinha diligentemente anotado todos os números de contato, cartão, etc num pedaço de papel separado, e estava pronto para essa eventualidade.

    Uma hora depois de ter a carteira roubada eu já tinha todos os meus cartões cancelados via fone, mas ainda assim os ladroes conseguiram gastar 7 mil reais neles com compras nas lojas locais.

    Então outro conselho a quem vai: leve duas carteiras, uma oficial com tudo de importante (que você deve guardar seguramente por lá), e outra bem batida, só com o suficiente para deixar um ladrão contente.

  4. Por favor, entrem no site “Italiani in Brasile”, è revoltante o modo como os italianos que vivem là mostram a imagem do nosso pais.

Comments are closed.