Nao resisti a comentar aqui no blog uma noticia publicada hoje no jornal La Nazione de Firenze cujo titulo é: “Studente fiorentino paralizzato da un virus in Nepal”. A historia é a seguinte: um jovem fiorentino de 26 anos partiu de Firenze para o Nepal ha duas semanas. Sonhava em participar de uma campanha humanitaria, um master para se especializar na organizaçao de ajuda internacional.

Antes de embarcar, tomou todos os cuidados e vacinas necessarias. Ate aqui nada demais. O fato interessante eh que o jovem acabou pegando uma doença rarissima chamada sindrome di Guillan-Barré (talvez ate como reaçao a uma das vacinas) que paraliza todos os musculos do corpo e, para se tratar, precisava de remedios que simplesmente nao existem no Nepal.

O que o governo italiano fez? A ASL fiorentina enviou os remedios necessarios ao tratamento do rapaz atraves de um areo especial, que garantiu que os medicinais fossem transportado nas condiçoes ideais (temperatura constante abaixo dos -18 graus). O rapaz ja recebeu o “kit” no domingo passado. O proximo passo da ASL é o de organizar um voo com uma equipe de terapia intensiva que devera aterrizar no Nepal nesta quarta-feira para trazer de volta o rapaz.

O fato chamou a minha atençao porque fiquei lembrando daquela propaganda da Amil (plano de assistencia sanitaria privada brasileira) que dizia com orgulho, em tom de exclusividade, que seus clientes tinham direito a transporte de helicoptero. Aqui na Italia, mandam um aviao so para transportar remedios para uma unica pessoa!!! Tudo pago pelo governo italiano. Nao eh uma coisa louca? Aqui voce nao precisa ser filho do Abilio Diniz. Basta ser um cidadao italiano.

Cheguei a pensar: “putz, quanto o governo tera gasto com essa brincadeira por uma unica pessoa?”. Ai refleti melhor e cheguei a conclusao que uma vida nao tem preço. Que se eu estivesse no lugar do rapaz ou da sua familia, sentiria um alivio que nao se pode medir com nenhuma moeda do mundo.

Fiquei pensando no caso de amigos e conhecidos italianos, que fizeram operaçoes sem gastar um unico centavo de hospital, material, medico, anestesia. Nada. Um operou o joelho, o outro hernia, o outro sofreu um acidente e se quebrou inteiro (em um acidente causado por uma rua esburacada).

A Italia tem muitos problemas. Mas o sistema sanitario de modo geral, ainda ta dando pro gasto. Ainda bem…

10 COMENTÁRIOS

  1. Muito interessante. Legal mesmo.
    Mas aproveitando o embalo, quais são os “problemas” da itália do teu ponto de vista?

  2. Oi, mas a asl toscana eh uma maravilha entao… Coisas do centro nord italiano. Sabe por que te digo? Aqui no Lazio a coisa nao eh assim, tudo gratis, tudo maravilhoso. A situacao normal eh encontrar as famigeradas listas de attesa, e muitos procedimentos pagos. Claro, sao subsidiados, mas pagos. Meu coinquilino quebrou o braco, e teve de pagar varias procedimentos. Ele nao me parecia muito contente com a prestacao do servico. Mas talvez seja um problema mesmo ligado as disparidades regionais italianas. Um amigo veneto me disse que na sua regiao tambem eh tudo gratis.

    Para o Conrado, alguns problemas italianos:
    1) falta de esperanca no futuro.
    2) interferencia religiosa e uma tentacao conservatora que te segue por toda a parte (para nao dizer un pouco fascista…)
    3) economia parada, sem prospectivas
    4) burocracia corrupta e a niveis de terceiro mundo.
    5) politicos ao mesmo nivel de terceiro mundo, quer dizer, legislam em causa propria e “chissenefrega” o povo.
    6) FESTAS QUE ACABAM AS 4H DA MANHA. NAO, COM ISSO NINGUEM PODE. 🙂

    Abracos,
    Rogerio.

  3. Salve a tutti,

    Ainda vou fazer um post sobre os problemas da Italia, mas o Rogerio resumiu bem em poucas palavras…

    Sobre a saude, sim, eh verdade, existe lista de espera aqui na Toscana tambem, mas quando o caso nao eh urgente. Se voce precisa fazer uma operaçao que nao eh urgente pode ter que esperar ate um ano, mas porque sua vida nao depende dessa cirurgia.

    As diferenças regionais na Italia sao grandes e uma vez me perguntaram se eu sugeriria alguma regiao em especial. Na epoca achava que tanto fazia, hoje so sei uma coisa: qualquer lugar menos Napoli. Que sujeira, ate hoje na TV a gente ve lixo por toda parte, a camorra que toma conta de tudo, o povo com a mentalidade de cada um pensar no seu e o outro que se dane (e assim, cada um se dana mais ainda porque o coletivo na verdde eh a gente mesmo). Enfim, o ultimo lugar que eu moraria na face da Terra eh Napoli. Me desculpem os napolitanos…
    Saudaçoes,
    B.

  4. B, por isso q qdo meu marido recomeça a ladainha de que quer se transferir para o brasil eu surto.
    Mas agora farei diferente, acho que vou imprimir este post mais tudo que leio por aì, e qdo ele recomeçar, eu peço a ele que leia…Assim, rs, simples, indolor, sem stress.
    Bjs

  5. Apesar do que comentei da situacao em geral, o pais eh lindo, as pessoas sao generosas (quando percebem que voce o eh também, importante!) e se pode levar uma vida digna, boa. E eh, sim, um pais seguro, apesar da histeria da direita e da imprensa italiana, que estao fazendo uma campanha escandalosa no sentindo de instaurar um verdadeiro sentimento de panico geral em relacao ao tema. Quando me dou conta que em Roma, pego un onibus pra voltar para casa na madrugada e sei que vou chegar inteiro e com tudo o que tenho no bolso, me lembro do Brasil e da nossa inseguranca. E poi, todos os paises tem seus problemas. Eu definitivamente, “non faccio il lamentoso”.

    Abracos,
    Rogerio.

  6. Eu tambem moro na Toscana e nao tenho problema nenhum referente a saude. Meu sogro teve ictus e agora e considerado invalido. Sabe quanto pagamos pelas dezenas de remedios que ele toma ao dia??? Niente !!!! Sabe quanto pagamos pelas fraldas geriatricas ???? Nienteeeeeee !!!! Duas vezes ao mes o medico de base dele vem aqui em casa para uma consulta de rotina… Todos os aparelhos necessarios para a recuperaçao dele a ASL nos deu num sistema de comodato: cama especial, colchao especial, cadeira de rodas, um outro aparelho pra descermos as escadas com a cadeira de roda, mais um outro aparelho para ele poder fazer exercicios com as pernas e por fim, um outro aparelho para alça-lo da cama… Se estivessemos no Brasil, gastariamos toda a aposentadoria dele so para pagar a medicina. Quando ele precisa fazer exame de sangue, a ASL manda um enfermeiro aqui em casa para recolher o material.

    Tenho alguns amigos em outras regioes da Italia, e a saude la è mais precaria do que aqui na Toscana, isto è, quase tudo tem que ser pago.

    Esse topico e muito interessante ! Parabens !

  7. Quindi, cumplimenti all’ASL Toscana! Mica fossi così in tutta Italia!

    Continuando com o topico “saude”, li estes dias uma noticia curiosa: italianos com AIDS estavam procurando tratamento sabe onde? No Brasil! Sim, por que eh um dos unicos paises que oferece todo o tratamento a base de retrovirais (carissimos, tra l’altro) a custo zero para todos os pacientes. Sejam brasileiros ou nao.

    Imagina se fosse aqui… jah teria gente erguendo barricadas xenofobas contra os extrangeiros….

    Rogerio

  8. Fala Meire, tudo bem?
    Bom ver voce por aqui de novo. Como vai, ja esta de malas prontas para o Brasil? Com o EEE PC? 😉

    Rogerio, eh verdade. Acho que a direita esta tentando instalar o panico no povo com essa historia de ciganos que entram dentro das casas para roubar criancinhas! Parece historia de bixo papao… Vamos so ver no que vai dar esse Berlusconi…

    Cris, gostei do seu depoimento, grazie! As vezes fico pensando se eu que vivo em uma bolha (como uma vez me sugeriram em um e-mail), ou se as coisas sao assim para todo mundo. Volte sempre por aqui!

    Voltando ao Rogerio, eh realmente eh estranha essa questao da Aids. Percebo que os italianos pensam que a doen�a aqui nao existe…

    Bem, sauda�oes dominicais a todos,

    B.

  9. Quem é generoso na Itália????
    Eu não conheço ninguém… somente 1 pessoa. Gente que não respeita o trânsito, ofertas no mercado que acabam e não são repostas, gente que ocupa um posto no Comune e não sabe quando é dia e quando é noite ( e trabalha há 15- 20 anos na mesma função), polícia que pára gente honesta e deixa os bandidos tomarem conta da cidade, etc.
    Sabe, me lembra o Brasil em vários aspectos. Quando cheguei aqui me assustei porque a imagem que a gente tem de Itália é um país de 1º mundo que na realidade não é.
    Nosso país se torna o melhor do mundo e não podemos esquecer disso. Me revolta a fila no consulado italiano em Curitiba, gente querendo cidadania italiana… pra que???? Em nosso país existe oportunidades de sair do zero e chegar no 50, no mínimo. Aqui não vejo isso.

    Abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here