Os editores de jornal na Italia anunciaram prejuízo em 2008, somada a uma diminuição das vendas equivalente a 30%. Os números foram divulgados pela Fieg (Federazione Italiana Editori Giornali), que pede ao governo medidas urgentes para relançar o setor.

Função Indispensabile, dinheiro idem

O presidente da Fieg, Carlo Malinconico, disse em entrevista ao jornal Il Messaggero: “todos reconhecem aos jornais uma função indispensável para manter a liberdade, mas para conservá-la são necessárias medidas urgentes e não adiáveis”. Ele pede por exemplo crédito para comprar o papel, para inovação e investimentos na rede de venda, para incentivo a leitura dos jornais, entre outras coisinhas.

É verdade que o jornalismo não pode ser considerado como um outro produto qualquer, ele é um setor tão delicado quanto a medicina, que bem feito ajuda a salvar uma nação, mal feito pode causar danos gravíssimos. Também acho natural que o presidente de uma associação de jornais defenda verba e incentivos para os jornais, esse é o seu papel. Mas estava aqui pensando com meus botões: se é verdade que os blogs são uma das novas fontes de informação dos leitores, não seria o caso de formar uma associação dos blogueiros para pedir fundos para ajudar a manter os blogs informativos?

Bem, fica aí a idéia para outros amigos blogueiros, jornalistas ou não, mas que dedicam muitas horas das suas vidas a pesquisar, se informar e escrever em seus blogs. Oras, o mundo está mudando, a internet hoje é a primeira fonte de pesquisa, inclusive de muitos jornalistas.

Me lembro de uma fase em que se falava muito de “citzen journalism”, o jornalismo feito de e para o cidadão. Bem, existirá forma melhor de citzen journalism do que os blogs? Eles são escritos por pessoas que tratam de assuntos que interessam uma determinada comunidade. Na maioria das vezes são mantidos simplesmente graças a paixão de quem os escreve, mas uma hora os apaixonados descobrem que não se vive de amor, é preciso também ter o pão de cada dia garantido.

Bem, gostaria que este fosse um convite a reflexão e discussão com outros blogueiros e leitores. Afinal, é viável manter um blog a longo prazo? Como conciliar um blog, que ocupa várias horas diárias, com trabalho, família e vida real? Conselhos? Sugestões? Vamos discutir!

9 COMENTÁRIOS

  1. Eu mantenho o meu com posts esporádicos. Se fosse postar todos os dias, faltaria tempo (e até assunto} 😉

    Beijo.

  2. Tambem nao sou uma publicadora assidua dos meus blogs, mas continuo criando 😀 O proximo sera sobre o Brasil, bilingue.
    Ja pensei em desistir dos blogs, quase ninguem acessa ou comenta. Os meus parentes e amigos entram em contato somente pelo orkut.
    Mas nao consigo desistir, quando fico decidida em cancela-los, penso nos amigos blogueiros que fiz nestes ultimos anos.

  3. Nao li a entrevista (agora sem tempo) mas fiquei pensando se o sr. Carlo Malinconico ofereceu alguma proposta diante daquilo que ele acha importante para revitalizar as vendas de um jornal. O fato é que a net mudou a forma de divulgar a noticia. Com o terremoto di Abruzzo, antes que os meios tradicionais o fizessem alguns blogueiros ja tinham colocado na net. Sendo assim, acho natural uma perda na fatia do mercado. Porém, o grande responsável por esta perda, acredito eu, nao sao os novos meios e sim a qualidade do jornalismo atual. Fraco com a qualidade das informaçoes, editorias comprometidas com o setor do marketing e as publicidades, e sem esquecer dos interesses politicos.
    Em contrapartida, manter um blog é dificil. É preciso tempo, criar uma rede para que possa ser visto e ter algo a dizer que seja de interesse de outros. Sendo assim, qdo se consegue isso, pq nao ganhar dinheiro? Alguns transformam o seus em livros, outros sao patrocinados/mantidos por alguma empresa/revista/jornal.
    Boa discursao.

    Boa semana pra vc.

  4. Muito boa sua sugestao. Isso ja existe de certa forma, mts blogueiros escrevem sobre assuntos especificos, ganhando mts leitores e conquistando um espaço, ainda que pequeno, na internet. Afinal, de “boca em boca” ele vai sendo sugerido. Acho super interessante o “voce-reporter”, pq nao pensar algo que possa trazer algum retorno de fato? Estou aberta a
    discussoes.
    bjos

  5. Ótima postagem! Eu mantenho meu blog com atualizações diárias e sei muito bem o quanto é trabalhoso, pois exige muito tempo de pesquisa e muita leitura. Nada melhor do que termos pessoas interessadas em manter pelo menos um fórum de discussão sobre melhores maneiras e/ou alternativas para mantermos um blog.
    Abraços,
    Janeisa

  6. Esse assunto é bem delicado para mim, principalmente por causa da profissao que escolhi (jornalismo). Acho que uma coisa nao substitui a outra, de forma alguma, mas pode-se ver traços de decadencia da classe (ao menos no que diz respeito aos antigos metodos), que, se nao se atualizar, logo estara ultrapassada. Uma coisa é fato: nos, que blogamos, temos que ter cuidado com o que postamos, pois informaçao é responsabilidade.

    Abs,

  7. Se o governo ajuda a financiar os jornais, deveria tambem dar algum tipo de ajuda aos blogueiros?

    Seria o caso de formar uma associaçao dos blogueiros pelo mundo para organizar essa nova “categoria”?

  8. O meio impresso jà cantava o seu fim hà muitos anos atras com o inicio dos blogs.. mas ninguem mudou uma virgula sequer para se atualizar e ser mais competitivo. Talvez ninguem acredite no fim do jornal impresso, definitivo, mas eu sim. Eu passei a ler somente jornal eletronico hà alguns anos sem nenhuma perda, e até com muito ganho em agilidade e qualidade.

    Apesar de ter somente uma pagina pessoal e nao fazer nenhum seviço de informaçao, ao menos nao como o Brasil na Italia, também goataria de ver a classe unida e quem merece ser remunerado pelo serviço prestado.

  9. Tem algo errado aí. 100% de prejuízo em 2008 (ou queda de 100%) significa que não entrou nenhum centavo nos caixas, que não venderam nenhum milímetro de anúncio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here