No dia 21 de abril de 1960 Brasília era inaugurada pelo presidente Juscelino Kubitscheck. Cinquenta anos depois o Brasil celebra sua Capital declarada pela Unesco com patrimonio da humanidade em uma grande mostra no Museu Nacional da República além de ocupar boa parte do seu padilhão na Bienal de arquitetura em Veneza. Raro caso de fundação de uma cidade em idade contemporânea, Brasília representa uma experimentacão urbanística de extraordinário e controverso interesse, que reforça a universidade do debate entre as exigências de seus habitantes e a responsabilidade política e projetual.

A mostra “ A Cidade para o homem- Lúcio Costa e o nascimento de Brasília. 1960-2010” é organizada em Veneza pela Associação Cultural Picapao entre os dias 15 e 28 de outubro. Ela propõe um percurso através das idéias e das inspirações que levaram o arquiteto Lúcio Costa a elaborar o “Plano Piloto” da capital do Brasil, desenvolvendo junto a Oscar Niemeyer, autor dos principais edifícios, um modelo de cidade aberta e voltada para o futuro. Ao centro da atenção dos curadores da
mostra estão não são somente os detalhes técnicos da projetação em si mesma quanto a dimensão ética e igualitária de Costa em imaginar um espaço para o cidadão contra qualquer segregação social, respeitando o ambiente natural.

A mostra utiliza materiais inéditos provenientes da Casa de Lúcio Costa, instituição que no Rio de Janeiro conserva e valoriza o arquivo pessoal do arquiteto: fotografias, anotações, rabiscos e também filmagens e entrevistas, onde o próprio Costa fala de si e de sua obra. Materiais que contribuem a fazer
emergir a personalidade do arquiteto e do seu cotidiano. Uma breve resenha de documentários, em projeção na Casa del Cinema di Venezia, servirá para crear um contexto crítico mais amplo da memória coletiva tecida sobre Brasília.

“ A Cidade para o homem- Lúcio Costa e o nascimento de Brasília. 1960-2010” convida os visitantes a se interrogar sobre a problemática do espaço urbano, entendido seja como dimensão na qual se vive que como metáfora concetual e da viabilização do seu projeto creativo e corajoso. Essa mostra aproveita para reforçar o debate em torno de Veneza, cujo o futuro como “civitas” vem sendo hoje ameaçado pela expansão do turismo de massa.

ONDE: SPAZIO MONDADORI- VENEZA
QUANDO: DO DIA 15 AO DIA 28 DE OUTUBRO 2010

Dica enviada por Rosa Emilia (autora do texto acima)

1 COMENTÁRIO

  1. A mostra sobre em Veneza *LA CITTA' PER L'UOMO.
    Lucio Costa e la nascita di Brasilia, 1960-2010
    se encontra no Spazio Eventi Mondadori
    San Marco 1345 – Venezia
    15-28 ottobre 2010
    ore 18-23
    ingresso libero

    No programa paralelo:

    Seguna-feira 18 outubr
    às 16 horas na Casa del Cinema apresentacão dos filmes "A Invenção de
    Brasília" de Renato Barbieri (Brasile 2001, 55’) e "Brasília, Contradições
    de uma Cidade nova" deJoaquim Pedro de Andrade (Brasile 1968, 23')

    Sábato 23 outubri
    às 17 horas- "Venezia 2010-2060: una città per l'uomo?". DEBATE: Venezianos de diversas generações se confrontam nos sonhos, pauras e projetos sobre o futuro da cidade.

    25 outubro
    às 16 horasna Casa del Cinema: filme "O risco – Lucio Costa
    e a utopìa moderna" de Geraldo Motta Filho (Brasile 2003, 76')

Comments are closed.