Quem mora no Brasil, principalmente em São Paulo, certamente já ouviu falar da tradicional família Matarazzo. Um tradicional clã imigrante italiano, que desenvolveu o maior complexo industrial da América Latina, incluindo inúmeras propriedades na grande metrópole paulista e que ainda hoje muito se ouve falar, também por conta de seus descendentes ainda estarem espalhados pelo Brasil, como é caso do senador Eduardo Matarazzo Suplicy, filho da neta do Conde Francesco Matarazzo.

Francesco foi o patrono maior da tradicional linhagem e chegou ao Brasil por volta do ano de 1881, trazendo apenas uma carga de banha para iniciar seus negócios no país, vindo de Castellabate, cidade em que nasceu em 1854. Um vilarejo situado no golfo de Salerno, que está postado de forma imponente, num ponto alto da região, como se pode notar de cidades vizinhas, como eu fiz da marina de San Marco, uma localidade situada a seus pés, registrando uma imagem que me chamou muito a atenção.

 

De uma marina vizinha, a cidade se destaca na paisagem, atraindo olhares...
...O foco acaba sendo ela. Também conhecida como Santa Maria de Castellabate.

Sua localização é privilegiada. Encontra-se dentro do Parque Nacional de Cilento e Vallo di Diano, local favorecido pela abundância econômica do comércio, graças à aproximação do porto e com belezas naturais incomparáveis. Já em seu interior e raízes, pelo fato da cidade ter sido liderada por abades, monges e outros religiosos, a mesma cresceu ao redor do castelo, situado no topo e pertencente a parte medieval da cidade, reconhecido como património mundial da UNESCO.

 

O castelo é um dos principais atrativos da encantadora e vertiginosa cidade.

Castellabate, vista de baixo, oferece uma paisagem de tirar o fôlego, abraçando todo o golfo de cor azul brilhante. Já de perto, por entre suas estreitas ruas em direção ao topo, a aldeia parece um túnel do tempo oferecendo a sensação de que, a qualquer instante, o visitante poderá dar de encontro com uma criatura encantada de época, num cenário de arcos, becos, escadas e magia constante ao virar uma rua.

 

Nas ruas mais baixas da cidade, o clima reflete o que ela representa em sua totalidade: Bella tranquilidade!

Infelizmente eu estava apenas de passagem por lá. E não tive muito tempo para explorar mais o lugar. Vindo de longe, gostaria de fazer o inverso do tal Conde Francesco Matarazzo e ficar mais tempo admirando a linda estrutura urbana antiga da cidadela, facilmente encontrada em seus palacetes e casas, quase todas feitas de pedra cinza, tendo o mar Tirreno como pano de fundo.

Mas um dia eu ainda volto! Afinal, já pisei lá uma vez e sou paulistano! Morador de uma cidade, muito distante em quilômetros, mas que a todo o momento não me deixa esquecer de um pequeno pedaço de terra, localizado no alto de uma serra do outro lado do Oceano. Terra dos Matarazzo!

 

————
Fernando Ferrari (fffernandoferrari@gmail.com) é brasileiro de nascimento, francês de cidadania e italiano de coração! Publicitário, escritor amador, mora em São Paulo, já esteve na Itália duas vezes e mantém o blog www.cabecatroncoetextos.blogspot.com
Um dia pretende trabalhar e viver mais tempo por lá, mas enquanto não surge uma oportunidade, escreve para diminuir a saudade.

3 COMENTÁRIOS

  1. Castellabate è a cidade onde se desenrola praticamente toda a trama do filme “Benvenuti al Sud” de 2010 com Claudio Bisio, vale a pena conferir!

  2. Olá Paulo, tudo bem?

    Muito obrigado pela informação e dica do filme que, agora, pretendo assistir!

    Um abraço,

    Fernando Ferrari

Comments are closed.