Pela primeira vez na história o Brasil vive um momento de sólida prosperidade econômica aos olhos do mundo. Os números do Brasil de hoje são impressionantes: 6ª potência mundial, estabilidade econômica, política e PIB (Produto Interno Bruto) positivo enquanto a economia européia vai cada vez mais pro vermelho; 7.500.000 de brasileiros viajando para o exterior (21% a mais em 2011 em relação ao ano anterior).

Não é a toa que os países mais antenados começam a facilitar as coisas para os brasileiros. A Austrália agora oferece a possibilidade de tirar o visto pela internet e sem custos (notícia divulgada ontem pela revista Exame); os EUA estudam facilitar o ingresso dos brasileiros no país.

E a Italia, o que está fazendo pelos brasileiros?

Nós, do BRASIL NA ITALIA tentamos seguir todas as novidades que visam melhorar as relações entre Brasil e Italia. O visto, por exemplo, não é exatamente um problema para o brasileiro afinal a Italia – como outros países europeus que aderiram ao tratado de Schengen – possibilita que um brasileiro faça turismo no Belpaese por até 3 meses sem a burocracia de vistos. Mas isso basta? Como é a experiência do turista brasileiro na Italia? Os italianos estão preparados para receber os brasileiros?

O projeto “Toscana Verde Oro”

Dessa vez a Toscana sai na frente dos outros estados italianos e lança o projeto “Toscana Verde Oro” que tem como objetivo desenvolver uma oferta turística da Italia no Brasil.

A sala dedicada para a apresentação do projeto estava lotada; na platéia encontravam-se proprietários e administradores de hotéis, organizadores de tours e guias de viagem. Ou seja: o público do evento são as pessoas que já recebem você, turista brasileiro, ou que estão pensando em quais investimentos são necessários para receber você melhor.

Quem dominou a manhã foi Luca Martucci, representante da Concept Marketing Promocional, que ganhou um bando (edital público) organizado pela Região Toscana  para estreitar as relações entre Brasil e Toscana. Você provavelmente já ouviu falar nele da época da BTO de Florença (aqui, lembra?).

Pois bem, depois dos 10 minutos da abertura do evento realizada por Alberto Peruzzini, diretor do Servizio Turismo de Toscana Promozione, as atenções foram todas para Martucci que fez uma longa e detalhada apresentação do mercado turístico brasileiro, falou do perfil do turista brasileiro com uma análise da distribuição e do trade brasileiro, apresentou o “Progetto Brasile 2012” e as atividades em programa e deu conselhos sobre como entrar no mercado brasileiro.

Ao final da manhã aconteceu um debate onde o público contou suas experiências com os turistas brasileiros, um momento muito interessante com algumas experiências positivas e outras menos.

Luca Martucci (a esq) apresentou o projeto Toscana Verde Oro; no centro Alberto Peruzzini abre o evento

Sobre o turista brasileiro

Algumas características do turista brasileiro:

  • gosta de ser paparicado e bem tratado (tem quem não goste?)
  • está acostumado a ter alguém para carregar suas malas (acha estranho que não carreguem suas malas, mesmo em estruturas simples como B&B ou agriturismo)
  • está disposto a gastar, mas pagando um preço justo
  • adora fazer compras
  • ao contrário do japonês, percebe facilmente ironia ou um tratamento rude já que as diferenças culturais são menores
  • é apaixonado pela Italia
  • muitas vezes realiza uma viagem depois de meses de planejamento

E você, se encaixa na descrição de turista brasileiro apresentada aos italianos? O que você espera de uma viagem para a Italia? Suas expectativas corresponderam a realidade?

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi Babi

    Que noticia legal! Fico contente em saber que a Toscana està mais pertinho do Brasil! In bocca al lupo!

    Secondo me, a descriçao do turista brasileiro esta corretissima!

    Beijo

  2. Sobre nós em outros países, realmente fazemos a diferença.. somos gentis, educados, atenciosos e dedicados.Realmente é verdade, este lance de alguém do hotel levar a bagagem..Quando quase despenquei da escadaria de um hotel numa certa capital de um certo país.hahaha..O recepcionista me ajudou pq era brasileiro e quando tinha de mudar de quarto, eu gritava de raiva e o gerente mandava as empregadas carregar as malas..Eu achei o fim da picada. Qto ao projeto, desde a novela da Globo PASSIONE, fiquei querendo conhecer a Toscana, mas todos dizem que é distante de ROMA. blá blá blá..Agora quem sabe!! Bj..Babi!!

  3. Oi Cris,
    Bom ver você por aqui. Conheci uma brasileira neste evento, a Ana Luiza, que é “accompagnatore turistico”. Eu disse que para ter dicas sobre como virar guia era para procurar você. Se te contactar uma Ana Luiza, vc já sabe de onde surgiu… 🙂 beijos,

    @Severina Santos
    Da próxima vez vem para a Toscana sim, está pertinho de Roma. De trem é vapt vupt, mas você também pode explorá-la de carro.
    Essa questão das malas é realmente uma diferença cultural. Aqui na Italia é um serviço extra oferecido por hotéis de luxo enquanto no Brasil é uma coisa natural em qualquer estrutura turística, né? Enfim, quem sabe depois da apresentação do Luca Martucci assim que chegar um hóspede brasileiro eles começarão a abrir uma exceção e ajudar com a bagagem? 🙂

  4. Oi Bárbara!!

    Adorei esta reportagem!! Realmente o que vc falou é o meu perfil. Cheguei na Itália dia 11 de janeiro para fazer o meu curso Master no Ied, em Torino. Tive várias experiências negativas, e quase peguei meu aviãozinho e voltei para meu país… mas, deu muito trabalho, tempo, stress, dinheiro, burocracia para chegar até aqui. O bom é que só uma temporada e posso voltar para o nosso maravilhoso país. Espero que projeto seja bem elaborado e que as pessoas estejam mais conscientes sobre nós em todos os aspectos, pois ele só têem a ganhar… aqui eu só volto como turista, e de preferência na Toscana, espero ser bem tratada….

    Bjs.

  5. Oi Giselle, tudo bem?

    Mudar de país nunca é uma coisa fácil, mesmo que seja por pouco tempo. Por mais parecidos que sejam os países, as diferenças culturais sempre existem e podem acontecer mal entendidos entre as duas partes. É por isso que é preciso um trabalho complexo para preparar essa relação de modo que ela seja o mais positiva possível.

    Durante esse evento, por exemplo, um italiano perguntou como os toscanos eram retratados na novela Passione, se era o toscano real o toscano dos estereótipos. Foi então que um antropólogo da Universidade de Siena, o Filippo Grillini, que já morou no Brasil respondeu: “a novela foi muito bem feita embora os estereótipos sempre existam. Mas e vocês (se referindo ao público italiano), se pedirem para imaginar o brasileiro, como o descreveriam?” – e começou a citar todos os estereótipos pelos quais nós brasileiros somos “reconhecidos”.

    E você, durante essa fase de curso, teve possibilidade de passar por Florença, Siena, S. Gimignano e outras cidades da Toscana? Vê se dá uma pasadinha, a região fica ainda mais bonita na primavera… 🙂

    Até a próxima,

    abs

    Barbara

  6. Oi Barbara!!

    Já conheço esta região, na verdade já conheço mais de 30 cidades na Itália, só me falta; Napoli, Sicília, Sardegna, Costa Amalfitana, Capri e Positano…. mas a Toscana é a minha paixão!!!

    Bjs,

    Giselle

  7. Na verdade não entendi muito bem o que é o projeto e como ele funcionará. Estive na Italia recentemente e em vários locais da Toscana e percebi um interesse muito grande e uma atenção especial dos toscanos para conosco.Fico feliz em saber que a distancia entre nós diminui

  8. Na verdade não entendi muito bem o que é o projeto e como ele funcionará. Estive na Italia recentemente e em vários locais da Toscana e percebi um interesse muito grande e uma atenção especial dos toscanos para conosco.Fico feliz em saber que a distancia entre nós diminui a cada dia.

  9. OI Vanessa,

    Trata-se de um projeto que tem como objetivo aproximar a Toscana do Brasil através de uma série de ações “nos bastidores”. Por exemplo: newsletter e cursos online de formação para agentes de viagem brasileiros (na verdade muitas pessoas que trabalham com turismo conhecem pouco a Toscana, não sabem por exemplo que a cidade do Palio é Siena), participação em feiras internacionais, eventos que visam auxiliar quem trabalha com turismo na Italia a receber bem os brasileiros, etc.

    Para mais explicações você pode procurar o Luca Martucci, o perfil dele no twitter é @rioconcierge .

    Fico feliz em saber que você foi bem tratada quando estava por aqui. Espero que o fato se repita sempre. 🙂

    abs

    Barbara

Comments are closed.