Um dos destinos preferidos para quem quer visitar outros países partindo da Itália é Budapeste, na Hungria. Isso porque a cidade é um charme, está apenas a algumas horas de avião e ainda por cima é baratíssima para os padrões italianos. Foi mais ou menos por isso que decidimos visitar a capital da Hungria.

Estive em Budapeste no início de janeiro deste ano com meu marido e minha filha (que na época tinha 5 meses), após encontrar uma ofertíssima de passagem aérea com a WizzAir e uma preço especialíssimo para nos hospedar no Intercontinental, um dos melhores hotéis de Budapeste. Cheguei até a escrever um artigo na época falando sobre o site que ajudava a economizar até 65% nas tarifas de hotel. A capital da Hungria é um espetáculo, mas hoje vou me concentrar em falar sobre o hotel onde nos hospedamos.

Vista panorâmica de Budapeste (à dir. o Intercontinental)
Vista panorâmica de Budapeste (o último prédio à direita da foto é o hotel Intercontinental)

Boa localização em Budapeste

Um dos melhores lugares para escolher um hotel em Budapeste é nos arredores da Ponte Széchenyi Lánchíd, que os italianos chamam de “Ponte delle Catene” e os americanos de “Chain Bridge”. De preferência do lado Peste, de Budapeste (para quem não sabe, a cidade divide-se em Buda, que é o lado do castelo,  e Peste que é o lado onde estão as principais atrações da cidade).

O Hotel Intercontinental satisfazia esse nosso principal requisito: estava grudado à Ponte delle Catene, como dá para ver na foto acima e desse modo bastava um pequeno passeio a pé para explorar os principais pontos turísticos da cidade. E mesmo quando decidíamos ir um pouquinho mais longe, bastavam 5 minutos de táxi para voltar para o calorzinho do nosso quarto. Digo isso porque viajamos em pleno inverno, quando a temperatura chegou até a -5ºC!

Essa rapidez em ir e chegar aos lugares é fundamental, na minha modesta opinião, para quem viaja com bebês. Nossa pequena precisa fazer uma pausa a cada 3 horas para trocar fraldas e se alimentar. Obviamente nem sempre voltávamos ao hotel e usávamos um restaurante ou bar como base, mas ter a possibilidade de chegar rapidamente ao hotel para mim é um requisito indispensável.

Um hotel 5 estrelas como deve ser

Uma das coisas que mais me deixou satisfeita com a escolha do hotel foi a qualidade do serviço. Fomos muito bem atendidos, paparicados e mimados em todos os pequenos detalhes. Chegar em um hotel e ser recebido por um porteiro que te ajuda a abrir a porta, que pega suas bagagens é uma coisa fenomenal porque a minha única preocupação era com a bebê.

O Kit para crianças

Além disso, quando chegamos ao quarto tinha uma pequena lembrancinha para a pequena Gaia: um kit para o banho. Admito que não usamos os produtos – shampoo e sabonete – porque já tínhamos os nossos, mas o tigre se tornou o melhor companheiro de viagem da Gaia. Ela simplesmente adora ele de paixão até hoje e sempre coloco ele na bolsa para brincar. Também já encontramos no quarto o berço onde ela dormiu bem todas as noites.

O Kit para crianças
O Kit para crianças

Um cardápio de travesseiros

Outra coisa que chamou a nossa atenção foi o cardápio de travesseiros. Não que faltassem travesseiros quando chegamos. Já tinham 4 na cama, mas poderíamos escolher tipos diferentes, a custo zero. A cada noite meu marido experimentava um diferente, mesmo que por um breve tempo.

O cardápio de travesseiros
O cardápio de travesseiros

O café da manhã com vista

O café da manhã no Intercontinental de Budapeste era super caprichado: um buffet enorme com variedade de pães, frutas, ovos, panquecas, geléias, doces típicos, além da possibilidade de pedir ao garçon as bebidas preferidas: um suco de laranja fresco, um cappuccino ou que mais você pudesse desejar. Além da fartura e da qualidade, outra característica que marcou o café da manhã era a vista fantástica: dependendo de onde você escolhia a mesa podia ver a Ponte delle Catene, o castelo…

Café da manhã com vista para o rio Danúbio e Buda
Café da manhã com vista para o rio Danúbio e Buda

Room service

Na nossa última noite em Budapeste decidimos jantar no quarto. Nosso vôo partia no dia seguinte cedíssimo e aquela era a noite mais fria dos 6 dias em que estivemos na cidade. Resolvemos então relaxar um pouco no quarto e a preguiça de sair era enooorme. Pedimos então um hambúrger, que veio caprichadíssimo. Abaixo você vê a foto.

budapeste_intercontinental04

A última noite: jantar no quarto
A última noite: jantar no quarto

Piscina, sauna e mimos

Além disso o Intercontinental oferecia outros mimos aos clientes como por exemplo o acesso a uma área de spa com piscina e sauna. O lugar era bem gostosinho, mas acabei não levando celular nem máquina fotográfica par registrar, mas você pode encontrar fotos aqui.

O staff sempre foi muito cordial e eficiente, nos ajudou a reservar restaurantes, deram dicas do que visitar na cidade.

O único defeito do Intercontinental Budapeste

Não sei se podemos chamar exatamente de defeito ou era muquiranice nossa: a internet wi-fi custava tipo 8 euros a hora, o que na nossa opinião era caríssimo. Uma alternativa era ir até o bar do hotel e consumir alguma coisa: em troca ganhávamos uma quantidade de horas para navegar (que agora não lembro direito se era 1, 2 ou 3 horas).

Talvez tenha sido melhor assim, acabei sendo “obrigada” a desconectar um pouco e a usar internet só quando era realmente necessário. Afinal, estava de férias, né?

Vale a pena se hospedar no Intercontinental de Budapeste?

Eu fiquei satisfeitíssima com a minha estadia de 6 dias em Budapeste, o hotel era praticamente perfeito, recomendo aos amigos e eventualmente, se surgir uma nova oportunidade, volto lá certamente.

Abaixo uma foto minha em Buda com o Intercontinental no fundo. 🙂

Tirando foto em Buda com vista para Peste e o nosso hotel à direito
Tirando foto em Buda com vista para Peste e o nosso hotel à direito

Aproveite para ler também:

3 bons restaurantes em Budapeste

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA