E lá fui eu de novo com marido e filha de apenas 9 meses participar de mais uma edição de Wine Town, um dos meus eventos favoritos de Florença, um programão para quem adora vinhos. Aliás, embora minha pequena tenha apenas 9 meses, essa foi a segunda vez que ela participou do evento. Isso porque o Wine Town acontecia sempre no outono, mas resolveram antecipá-lo agora para maio, em plena primavera para facilitar a presença dos produtores (já que outono é época de colheita, a “vendemmia”).  Para quem perdeu, a última edição do Wine Town aconteceu dias 17 e 18 de maio.

Um jeito gostoso de descobrir Florença

Uma das características mais interessantes do Wine Town é o fato que o evento acontece em diversos lugares bacanas de Florença simultaneamente. Quando você compra a card que te dá direito a experimentar os vinhos (já falei mais sobre essa card do Wine Town aqui), junto vem um mapinha para ajudar você a descobrir a cidade tomando vinho!

Ou seja, quem participou este ano teve a possibilidade de conhecer, por exemplo, a Biblioteca delle Oblate, um lugar geralmente fora das visitas turísticas tradicionais, mas de uma incrível beleza e atmosfera. Enquanto no pátio no andar térreo tinham alguns stands de produtores, no último andar tinha uma vista linda para o Duomo.

A biblioteca Oblate de Florença, um dos lugares onde aconteceu WineTown
A biblioteca Oblate de Florença, um dos lugares onde aconteceu WineTown

As locations de Wine Town são sempre de tirar o fôlego: este ano por exemplo teve Palazzo Davanzati, Palazzo Pitti, Bargello, Palazzo Vecchio, Palazzo Antinori…

Em contato com os produtores…

Se você não entende nada de vinho, é uma boa ocasião para aprender, ou simplesmente descobrir qual o tipo que mais agrada o seu paladar. Entre tantos espumantes, brancos, roses, tintos e de sobremesa, certamente você vai conseguir eleger um favorito. Para quem já é mais entendido, o pessoal vai adorar ficar falando sobre o tipo de uva, acidez e todos aqueles detalhes técnicos para testar o seu conhecimento no assunto.

Conhecendo os vinhos Ruffino
Conhecendo os vinhos Ruffino

No stand do Ruffino, por exemplo, nós conversamos sobre visitas à adega com degustação: eles realizam o que chamam de tour & tasting de segunda à sexta, mas é preciso reservar. A visita dura uma hora e meia e inclui a descoberta da história do vinho na Toscana e do mundo Ruffino, visita ao museu particular com impressões antigas, tour com guia em adega com introdução às técnicas de produção do vinho e degustação de produtos selecionados. Além disso, quem quiser pode organizar eventos – de casamento a reuniões de trabaho, para até 300 pessoas.

… e com sommeliers

wine_town2013_2

Esse ano os sommeliers que serviam os vinhos não eram AIS (Associazione Italiana di Sommelier) e sim FISAR (Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori). As duas são ótimas associações, de ótimos profissionais e apaixonados pelo setor, não vou começar a compará-las aqui, queria simplesmente constatar essa mudança.

Uma dica para sua próxima edição do Wine Town: sábado à noite, as melhores garrafas já foram bebidas, então o ideal, para quem pode, é participar do evento no primeiro dia ou no máximo no início do segundo. Eu sempre acabo indo embora sábado no finalzinho, e sempre é a mesma história: chegam os retardatários e fica cada vez mais difícil bater papo e conseguir um bom vinho para degustar. Por isso, não dê bobeira! É bem melhor experimentar um Brunello di Montalcino do que um Rosso di Montalcino, né? Até para a sua nova bagagem cultural em termos de vinho.. rs!

E agora é só esperar a próxima edição! Se alguém aí também já participou do Wine Town conta para gente o que achou.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA