A vida escreve certo por linhas tortas. É uma frase já batida, mas fácil de entender. Quantas vezes uma coisa que parece horrível acontece porque temos um outro destino a cumprir? A vida de Luigi Pirandello teve seus momentos realmente catastróficos. Mas sem eles, certamente não teria se tornado o escritor que é. Vamos rever um pouco essa história.

Informações básicas

Pirandello nasceu dia 28 de junho de 1867 na Sicília, em uma casa do interior chamada Il Caos nos arredores de Agrigento. O pai Stefano e a mãe Caterina Ricci-Gramitto são “antiborbonici” e defensores da “Unità d’Italia”.

Em 1880 vai morar com a família em Palermo, onde frequenta o Liceo. Depois seguiu por dois anos a Facoltà di lettere em Roma, antes de se transferir a Bonn, onde se forma em 1891. Volta para a Itália em 1892.

Em 1894 se casa com Girgenti Maria Antonietta Portulano, que lhe dará três filhos: Stefano, Lietta e Fausto. Começa a publicar série de versos e novelas. Em 1897 volta para Roma, onde por 25 anos ensinará literatura italiana ao Magistero.

Em 1901-1902 publica seus dois primeiros romances: L’esclusa e Il turno.

O início do caos

Ano negro na vida de Pirandello: em 1903, a grande mina de zolfo siciliana, onde estão investidos todo o dinheiro da família, se alaga. O resultado é um colapso econômico, que provocou na mulher Antonietta uma gravíssima crise nervosa e o início de uma doença mental. Luigi que até aquele momento vivia de renda foi obrigado a transformar o seu trabalho com a literatura em uma fonte de receita. E assim escreve Il fu Mattia Pascal que foi publicado em capítulos na revista “Nuova Antologia” em 1904. Inicia uma fase de alta produção literária entre novelas, romances, versos e peças teatrais.

Outro momento difícil é 1915. Os dois filhos partem para o fronte de guerra, a mãe morre, piora a doença da esposa até que ela seja internada em 1919.

O amor da sua vida e a musa inspiradora…

… Pirandello só vai conhecer em 1925. Chama-se Marta Abba e será sua companheira de vida, sua intérprete preferida e sua inspiração.

No ano seguinte funda uma sua companhia teatral, viaja muito e continua escrevendo. É convidado pela MGM de Hollywood para assistir as gravações do filme Come tu mi vuoi, con Greta Garbo, que o consagra como autor de fama mundial.

E finalmente, em 1934 a Accademia Reale di Svezia lhe confere o Prêmio Nobel de Literatura. Morre dois anos depois, em Roma de uma doença no pulmão.

MORAL DA HISTÓRIA: se a mina não tivesse sido alagada, a família não teria entrado em colapso econômico. Se a família não tivesse entrado em colapso econômico, a esposa não teria enlouquecido. Se nada disso tivesse acontecido, provavelmente Pirandello teria continuado uma vidinha normal, sem grandes emoções. No entanto, maktub, estava escrito: a vida o obrigou a investir nos seus talentos, para sobreviver. Vivendo através dos talentos ele teve a oportunidade de amar e conhecer o amor verdeiro. E de compartilhar um pouco do seu conhecimento com a humanidade.

E você, já leu algum livro de Pirandello?

fonte da informação: texto da edição definitiva de I vecchi e i giovanni, Luigi Pirandello, editore Arnoldo Mondadori, 1931.

2 COMENTÁRIOS

  1. Sobrinho, a data de nascimento de Luigi é 1867. Legal vc divulgar um dos grandes autores da Itália. Sugiro que também fale de Lampedusa [Il gato pardo é um clássico, inclusive no cinema]. E dos recentes, o adorável escritor policial Andrea Camilleri, que tornou a Sicília um ponto obrigatório para os leitores que amam o personagem Montalbano. Estou lendo no momento Casa Rossa, de Francesca Marciano, esse é uma aula de história da Itália a partir dos anos 1950. Beijoca. O tiO

  2. OOOps, erro de digitação já corrigido! Grazie tiO! E sugestões anotadas, Francesca Marciano está na minha lista! 🙂

Comments are closed.