O jornal italiano La Repubblica publicou hoje um artigo onde diz que atualmente uma, em cada três mulheres, prefere conviver com o parceiro invés de casar oficialmente. Segundo a matéria, os jovens casais preferem uma relação leve, sem uma festa inutilmente cara, sem financiamento de casa para pagar e complicações.

Os especialistas explicam que esta é uma estratégia de adaptação em um mundo que não ama os laços eternos – que necessitam de lágrimas e dinheiro para serem apagados – e vivem em tempos de trabalho com contratos breve, desemprego e incerteza sempre crescentes.

No futuro o número de mulheres que optará por não casar deve dobrar, quando as filhas da geração dos anos 90 chegarem na idade da união.

Esses novos casais são muito mais equilibrados em termos de idade, renda e divisão de tarefas do lar. São casais que buscam experimentar um estilo de vida e convivencia para depois escolher o que fazer.

“A convivência é uma estratégia não apenas cultural, mas econômica. Para viver em uma grande cidade dois salários são melhor do que um, especialmente quando um deles pode faltar. E viver junto é normalmente a única forma de defesa da perspectiva de passar uma vida na casa dos pais, exatamente como acontecia antigamente com o casamento.”

Bem, levando em consideração o número de casamentos marcados e anulados por casais de amigos no Brasil e na Italia , talvez a convivência seja mesmo uma boa idéia…

6 COMENTÁRIOS

  1. Por aqui é cada vez maior esse número.Assim, se não der certo fica mais fácil! um beijo,tudo de bom,chica

  2. Pois é… e eu que adoro ir no casamento dos outros, tá ficando cada vez mais difícil comer bolo de festa!!!

  3. Olá!
    Eu te indiquei para o premio “OLHA QUE BLOG MANEIRO” e preciso te passar as regras. se puder entrar em contato:rmiraster@gmail.com

  4. Olá : ) Bom, eu já morei junto, adorei, mas vejo um lado ruim. Ser namorados deixa o relacionamento mais leve, mas tb se luta menos por ele… A minha experiência foi de um relacionamento bem mais instável justamente porque a gente aceitava a possibilidade de que a qualquer hora um poderia fazer as malas e ir embora… e foi o que aconteceu… Hoje eu questiono um pouco a validade dessa experiÊncia,ao contrário do que dizem, não é a mesma coisa que casar…
    Bjo e até o próximo : )

  5. Tá havendo confusão de conceito.
    O casamento nunca vai acabar, nem mudar.
    Acontece que surgiu uma nova modalidade
    de convivência homem/mulher. Mas esta não destruiu a do casmento.
    Atualmente, face a esta nova opção, os
    casais enverdam por ela. Pode vir a ser
    o novo Canto de Sereia!

Comments are closed.