O Rafael me enviou por e-mail o seguinte pedido:

“Gostaria que você falasse sobre as dificuldades que você passou ou passa ai na Itália e quais são as coisas mais importantes que um brasileiro deve saber pra viver na Itália”

Salve Rafael, boa pergunta a sua, porque a gente tem sempre uma coisa nova para contar. Dificuldades a gente sempre passa e a cada momento, elas mudam, porque graças a Deus, a gente tem o poder de superar cada obstáculo até que chegue o próximo.

Acho que a maior parte das dificuldades é causada pela ignorância (= falta de conhecimento) e por isso é bom falar bastante sobre isso. Por exemplo: quando eu cheguei na Italia, caminhava muito a pé. Imagine andar várias horas e multiplique isso por 3. Uma das razões é porque tinha tempo livre e queria me ambientar com a cidade de Firenze. Mas devo admitir que andava muito também para economizar no ônibus e transporte público.

Naquela época eu pensava: um bilhete de ônibus custava 1,00 euro. Para ir e voltar, eu concluía, seriam necessários 2 euros. Se eu fosse e voltasse para algum lugar no mínimo uma vez ao dia, ao fim de um mês (30 dias) gastaria 60 euros!!!! Só que na prática eu ia e voltava muito mais vezes porque tinha um monte de coisas práticas para resolver. Pensava: vou acabar todos os meus euros em 2 meses andando de ônibus!

Morria de medo de ser pega sem bilhete e pensava: ” do dia em que conseguir um bom trabalho nunca mais andarei sem bilhete” porque sim, algumas vezes eu arrisquei sem bilhete e sim, eu tive que pagar a multa que era na época de 45 euros, o que me fez perceber, que não vale a pena não apenas pelo dinheiro, mas também pelo stress que é subir em um ônibus sem bilhete e ficar pensando a que momento você será pego ou não.

Digo que é ignorância porque na época eu não sabia o que queria dizer a palavra “abbonamento”, que nada mas é do que um pagamento antecipado para usufruir de um serviço por um preço reduzido. Depois descobri que eu poderia ter um abbonamento mensal de ônibus que por um mês solar, por apenas 31 euros (preço da época) me permitia pegar quantos ônibus eu quisesse, incluindo os trens locais dentro de Firenze, como por exemplo rota Santa Maria Novella – Rifredi ou Campo di Marte. E lógico, se você for ficar 6 meses, pode fazer o abbonamento semestral e até anual.

No Brasil não existe ou pelo menos não existia algo do tipo, que você compra um bilhete que te possibilite pegar quantos ônibus quiser em um mês. Era uma coisa que a minha lógica brasileira não imaginava. Mas aqui é a Italia e a lógica é italiana.

8 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde
    Meu filho tb esta em Milão ele esta precisando alugar um imovel para 4 pessoas tds brasileiras, mas o problema esta sendo documentação que pedem para alugar um imovel la e os documentos dele aqui não ficou pronto.
    Caso algeum queira dividir um imovel ou tenha documentação entre em contato comigo que te passo a maneira de entrar em contato com ele em Milão.
    neima.rosa@hotmail.com

  2. Eu também passei por isso que voce passou! Uma vez peguei o metro em Milao e passei o bilhete que ja havia sido passado anteriormente, confesso que fiz isso por 2 ou 3 dias, para economizar. Na época nao era o bilhete eletronico e por isso podia passar mais de uma vez. No dia seguinte, achando ja a maior sacanagem nao ter pago o metro por 2 ou 3 dias, comprei o bilhete e, na saida, estavam controlando o bilhete dos passageiros… nunca mais fiz isso! E depois ainda descobri o tal do abbonamento.

  3. Os abbonamento são ótimos. Podiam implantar no Brasil também…

  4. Tem no Brasil, mas é somente para estudantes. O problema que nao é como aqui que voce paga a taxa mensal e pode usar quantos meios de transportes quiser e sem se preocupar se vai acabar ou nao os créditos. Quando morava em Sao Paulo, se eu pegasse 4 onibus e 4 metros por dia (casa-trabalho-faculdade ida e volta) entre a metade e o fim do mes ja nao tinha mais passe (ou créditos no cartao).

  5. @Juliana
    No Brasil eh daqueles que tem 50% de desconto por bilhete para os estudantes, ne? Mas mesmo assim sai muito mais caro pq o estudante pode usar somente para ir ate a escola. E assim, o transito aumenta na pauliceia… Noticias dizem que não se anda mais. tres quilometros em meia hora. Drama!

  6. Sim, o nosso abbonamento dava direito de usar para ir somente a escola/faculdade. Mas eu usava no trabalho também. Mas mesmo indo so para a faculdade, nao bastava até o fim do mes (isso porque pegava so 2 onibus e 2 metros ida e volta). E mesmo indo a pé até o metro (que na época tinha que subir a faticosa rua Santa Cruz, ao contrario de hoje que tem a marvilhosa estaçao Imigrantes do lado de casa) nao chegava para o fim do mes.
    Eu também fiquei sabendo dessa noticia. Em dezembro de 2003 teve uma daquelas chuvas tremendas em Sao Paulo e antes mesmo de sair dos portoes do condominio voltei (so do portao até a porta do meu prédio, uns 300m até menos, me molhei toda). Imagina ter que ir para a USP da Vila Mariana, com onibus! Nao ia chegar la antes das sete da noite. Minha amiga que estava la e ia para minha casa levou 3 HORAS E MEIA da USP até em casa, de onibus, direto! Isso porque sem chuva, voltando para casa, direçao Ibirapuera, às 6 da tarde eu gastava 2 horas no maximo. No horario normal de saida, às 10 da noite, demorava uns 40 e 50 minutos, exceto de sexta-feira por causa das baladas da Vila Olimpia e Juscelino. E de carro meia hora, mas transito tranquilo e pelo tunel.
    E aqui meus colegas se impressionavam pela quantidade de tempo que levava para ir para a faculdade, em Milao. Era mais ou menos o tempo que gastava para ir para a USP no meu tempo de paulistana frenética…

  7. Boa noite:
    Muito boa essa postagem sobre os bilhetes dos transportes públicos italianos, embora ainda fiquei com algumas dúvidas. O que é exatamente ser pega sem bilhete?
    No Brasil, a partir dos 60 anos, os usuários de ônibus não pagam mais a condução. Tira-se um "Bilhete Único" nas Sub-Prefeituras e utiliza-se quantas conduções forem necessárias sem pagar nada. Já no Metro, esse benefício funciona a partir dos 65 anos. Nos trens é só mostrar o RG
    e embarcar sem pagar. Existe também a possibilidade de viajar em destinos interestaduais, também sem pagar, desde que se
    apresente comprovação de renda baseada no salário mínimo!
    E por aí, existe esse benefício para os mais velhos? Tomara que tenham se lembrado disso.
    Abraços a todos!
    Ivone

  8. Ivone,
    Na Italia existem os abbonamentos, que sao um preço fixo para um serviço que voce usa sempre. Por exemplo: se vc faz diariamente o trecho Prato-Firenze em trem, voce pode fazer um abbonamento e inves de pagar cada bilhete individualmente pagara um tot fixo ao mes para pegar quantos trens quiser nessa linha Prato-Firenze do dia 1 ao ultimo dia do mes vingente.
    Para quem eh residente na Italia ha pelo menos um ano, existem beneficios especiais para as camadas mais pobres da populaçao. Eh preciso checar direitinho se vc preenche os requisitos e depois se inscreve em um bando di concorso, deve ver se passa e no ano seguinte te devolvem uma parte do dinheiro que ja pagou.

    Aqui uma grande parte da populaçao sao os mais velhos. Alias, atualmente os mais velhos que ajudam os jovens de 30 anos. Para voce ter uma ideia de como andam as coisas por aqui.

    Se te pegarem sem bilhete… significa que ninguem controla quando voce entra no trem se tem o bilhete ou nao. So que de vez enquando passa um controllore para pedir os bilhetes aos passageiros. Se voce estiver sem bilhete, além da humilhação na frente de todo mundo, terá que pagar uma multa e o controllore te obriga a descer na próxima estação em que o trem parar.
    abs,
    Babi

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here