E foi assim, em um final de tarde de sexta-feira, quando o sol e algumas nuvens negras de chuva disputavam um espaço no céu, que eu comprei a minha primeira bicicleta em Firenze. Foi um evento programado. Há semanas que eu estava na busca de informações, lojas, dicas e conselhos sobre esse novo meio de transporte ecológico.

Em meio a correria cotidiana (sim, a parte que eu gosto da Italia é que a vida corre em slow motion comparada a uma cidade como Sao Paulo, mas devo admitir que nos últimos 6 meses a minha não tem sido exatamente tão tranqüila), minha ida ate o bicicleteiro se tornava cada vez mais difícil: quando não era um compromisso, era um imprevisto.

A vontade de compra-la foi crescendo cada vez mais ate que decidi: vou sexta-feira a tarde, de qualquer jeito. Avisei todos os conhecidos que hoje era o dia. Antes de sair e ir ate a loja, começou a chover. Pensei: “não, não é possível”. Mas eram gotas leves, que duraram pouco, para minha felicidade.

E la fui eu, meio sem jeito depois de tantos anos sem “pilotar” uma. Sentei, engatei o pé no pedal, e comecei o exercício. Que maravilha, minha vida vai ficar mais saudável. Também não vou contribuir com a poluição do ar da cidade. Ah, se todos andássemos apenas de bicicleta…

Eu sempre achei o máximo aqueles filmes onde as pessoas andavam para cima e para baixo em pequenas cidades europeias, usando uma bici. Me da uma alegria interior imensa: uma sensação de liberdade, de não depender de horários de ônibus; de não ter que me preocupar com semáforos pegadinha (esperando você passar no amarelo para te fazem a multa), radares, ZTL e o escambau que transformam em um inferno a atividade de usar o carro. Que maravilha não depender de transito.

Eu e minha bici, minha bici e eu. Telefonei para varias lojas. No inicio estava pensando em comprar uma usada. Mas vi cada uma tao acabadinha por cerca de 50 euros. Acabei não resistindo a uma novinha em folha, pretinha, com cestinha, do estilo holandesa, aquela perfeita para a cidade grande. Simples. Sem marchas complicadas para mudar, com um belo cadeado para prende-la ao poste mais próximo. Espero que dure. Tao linda, bela brilhante, parece que também esta contente por ter me encontrado. A bicicleta custou 85 euros, a corrente cadeado 25. Tem luzinha e tudo. Vida longa a bici!!!

4 COMENTÁRIOS

  1. Hum… pelo que li no blog puntidivista a bicicleta pode não durar muito tempo…

    Por isso, votos sinceros de uma vida longa para ela!

    E hoje já foi dar uma voltinha nela pela ruas de Florença???

    Bacio!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here