Resolvi fugir da temática de hoje para comentar um episódio desagradável noticiado ontem pela Ansa, a maior agência de notícias italianas e uma das maiores do mundo. O que aconteceu? A equipe de produção do programa italiano Fattoria, que estava trabalhando em Parati, foi assaltada. Bom início para o programa que estréia hoje no Canale 5… Segundo a agência de notícias, dois homens com revólveres na mão, roubaram o dinheiro que serve ao pagamento diário dos trabalhadores no quartel general da Endemol Italia.

Public Relations

Um fato como esse, difundido pela mídia internacional, não pode que ressaltar uma imagens negativa do Brasil no exterior. Oras, você como turista europeu, iria se arriscar a umas férias no Brasil depois de ler uma notícias dessas? Se uma equipe de televisão não está ao seguro, quem estará?

Estamos falando de um programa que teria tudo para ressaltar as belezas do nosso país. Invés disso, o resultado é o oposto. Fatos do gênero despertam uma incrível indignação em mim.

Depois brasileiro vem morar na Italia e passa o tempo falando mal do país, que os italianos são atrasados e não sei o quê. Para mim, atrasado é o Brasil, onde a desigualdade de renda é tão grande que enquanto uma parte da população vive regada a Veuve Clicquot La Grande Damme, a outra sai por aí em busca da sobrevivência e é um salve-se quem puder.

22 COMENTÁRIOS

  1. Que pena, só isso! E é claro que eles iriam noticiar! Um beijo,parabéns pelo dia,chica

  2. Depois de ter sido roubado varias vezes e ter sofrido um assalto a mao armada numa festa dentro da casa de um conhecido, e os policiais na hora do BO dizerem que nao tem nada a fazer, mais que òdio, senti um desprezo imenso pelo Brasil e suas instituiçoes, e simplesmente nao acredito mais em soluçao. Ainda gosto de là e provavelmente voltarei a morar dentro de alguns anos, mas nao vejo num futuro proximo nenhuma vontade vinda dos governantes em acabar com isso. Afinal, nao precisa, eles tem segurancas e carros blindados.

    Isso fica ainda mais evidente quando vim morar na Europa. Segurança publica é uma prioridade por aqui.

    Que o acaso nos salve do pior.

  3. Eu fico tao triste quando leio esse tipo de noticia. Amo o meu pais, mas sei que temos muitos problemas, principalmente sociais. Realmente, essa noticia passou o dia todo na TV italiana e so serviu para sujar mais a imagem do BR. Eu concordo com voce, se eu fosse turista europeu, nao iria ao Brasil pra fazer turismo.

    Aproveito para deixar o meu “augurio” pelo dia de hoje.

    Um beijo grande

  4. Tbem fico muito triste com esse tipo de coisa!!! Porèm…NAO SE ESQUEçAM QUE AQUI NA ITALIA TBEM TEM TANTAS COISAS RUINS QUANTO EM QUALQUER OUTRO LUGAR…TANTOS ESTUPRO DE JOVENS…
    NAO PODEMOS SIMPLESMENTE VIRAR AS COSTAS PARA NOSSA PATRIA, ISSO è MUITO FACIL!!!
    PARABENS PARA QUEM TEM ESSA MENTALIDADE.
    PARABENS PARA VC QUE NAO INCENTIVA O TURISMO QUE CRIA TANTOS EMKPREGOS E PODERIA TIRAR A ARMA DA MAO DE UM ADOLESCENTE.

    TENHA CERTEZA QUE SE UM DIA A ITALIA NAO QUISER MAIS VC AQUI…QUEM VAI TE ACOLHER E A PATRIA BRASIL.

  5. Erica,

    Note que eu não tenho nenhum prazer em especial em dizer que o Brasil é violento. É realidade. Se você não acredita, pergunte para 50 pessoas que você conhece no Brasil quantas delas já foram assaltadas a mão armada. Venha para a Italia e pergunte para 50 delas quantas já foram assaltadas a mão armada ou estupradas.

    Em segundo lugar, eu me considero uma cidadã do mundo. Me adapto em qualquer lugar do planeta. Gosto do Brasil, como gosto da Italia ou de qualquer outro lugar. Esse discursinho de o Brasil que me recebe de braços abertos… Faça me o favor. Se depender do Brasil me receber de braços abertos meus filhos seriam ignorantes e morreriam com falta de atendimento em hospital público, a menos que eu fosse boa o suficiente para pagar 50% do que ganho em imposto e ainda por cima bancar todo o resto separadamente.

    Invés de usar toda essa sua energia contra um artigo do meu blog, recomendaria que focasse essa disposição para cobrar dos políticos que governam o seu amado Brasil de tomar providencias em busca de um futuro mais digno para todos.

    E se você não gosta da Italia, faça suas malas e vá para o Brasil. Está fazendo o que aqui???

  6. Bom…. essa è mais uma das tantas noticias negativas sobre o Brasil que giram pelo mundo…. A menina violentada de 9 anos que abortou, tambem foi comentada pela imprensa internacional…
    Mas muitas coisas positivas ainda passam pela Tv… como alguns materias no programa Alle falde del Kilimangiaro… entre outros…
    Infelizmente é assim…
    Enquanto ao programa, espero que realmente contribua positivamente, felizmente temos outras coisas na Tv e tantos livros para ler… Quem sabe meu lado curioso e principalmente brasileiro passe para dar um espiadinha… mas com aquele povo que vai… sinceramente….!!!

  7. É Gi, felizmente sim existem outras matérias mais felizes. A revista Glamour deste mês está falando sobre São Paulo, a Conde Nast Traveller dedicou a capa da edição de fevereiro ao Brasil. E lógico, tem conteúdo já programado para falar sobre isso aqui no site.

    Mas simplesmente calhou de eu ler a notícia da equipe de televisão italiana assaltada em um dia que lia o blog de uma brasileira que só reclamava da Italia. Duas coisas que me incomodam juntas e achei que poderiam render uma boa discussão ou pelo menos um desabafo.

    Um abraço para você.

  8. A Itália é mais avançada do que o Brasil como sociedade civil organizada. As pessoas têm mais noção do que significa viver em sociedade. Mesmo que os políticos daqui sejam tão bandidos quanto os nossos há, ao menos, um esforço pra não deixar o país fugir do controle. O Brasil já fugiu do controle há muito tempo e antipatriota só pode ser quem SE RECUSA a ver isso.

    A Itália é atrasada em relação ao Brasil em muitas coisas, mas eu troco McDonalds com cartão de débito por não ser morto com um tiro na cara por causa de um par de tênis.

    Não cabe comparação entre países, são sociedades e valores bem distintos.

    Eu poderia falar por horas da Itália da Idade da Pedra (e ela existe), mas também poderia falar por horas do Brasil das leis da selva. A Itália, na prática, é um dos países mais atrasados da Europa, mas o Brasil é uma vergonha completa em coisas que aqui são básicas pra se viver. Então nós, o que somos?

    A única coisa de braços abertos que conheço no Brasil são o Cristo Redentor e o crime.

    Certamente a Itália é atrasada em relação ao Brasil em muitas coisas, mas naquilo que REALMENTE IMPORTA (ter uma sociedade minimamente organizada e segura) somos nós, brasileiros, um fracasso civilizacional.

    Tenho medo dessa gente ufanista como a Erica. “Brasil: ame-o ou deixe-o” era lema da ditadura militar. Amar um país é lutar para que ele seja melhor, criticando SEMPRE que for necessário.

    Revise o universo urgentemente.

  9. Dentro deste discurso eu discordo quando se faz o paralelo violencia como resultado de pobreza exitente em nosso pais. Sou contra esta ideia. Basta conversar com o pessoal que adora viajar pelos cantos do mundo e ja estiveram em postos na Asia e na Africa que sao tao pobres como o Brasil. Nenhum deles tem medo de conhecer Laos, Cingapura, Vietna, Congo etc, mas tem medo de conhecer o Brasil por causa da violencia.

    Quanto aos problemas que existem na Italia, me decepciono ao ver que um pais, como disse muito bem o Leonardo, com uma “sociedade civil organizada” apresente problematicas de um pais subdesenvolvido.

    Nao sou ufanista mas tenho orgulho do Brasil que da certo e vergonha pelo outro lado. MAS, no caso do programa, e nao querendo colocar a culpa na “vitima”, quem vai para um pais que é reconhecido por sua violencia urbana deveria providenciar equipe de seguranças. Se os eventos brasileiros ja investem neste sentido, pq eles nao pensaram nisso? Feio para o Brasil e feio para a produçao do programa que fez o seu papel direito. Ou alguem vai para um deserto e esquece de levar agua?

  10. Corrigindo:
    “Feio para o Brasil e feio para a produçao do programa que NAO fez o seu papel direito. Ou alguem vai para um deserto e esquece de levar agua?

  11. “MAS, no caso do programa, e nao querendo colocar a culpa na “vitima”, quem vai para um pais que é reconhecido por sua violencia urbana deveria providenciar equipe de seguranças.”

    Claudia, lembro muito bem quando o Luciano Huck perdeu um relógio durante um assalto e muitos o culparam por “exibir” o relógio em público. Logo, a culpa era dele. Chegar ao cúmulo de culpar (ou culpar em parte, como você fez) o ASSALTADO por ter sofrido o assalto é vergonhoso.

    Você diz não querer colocar a culpa na vítima, mas logo depois faz exatamente isso. Evite.

    [E comparar segurança com água no deserto não faz o menor sentido.]

  12. (Má) Distribuição de renda é só um dos inúmeros problemas que o Brasil tem. Realmente é uma pena ver um país evoluir tanto tecnologicamente e involuir como sociedade.
    Eu fui assaltada 7 vezes em São Paulo e meu marido idem. Cansamos de tanta impunidade. Uma das vezes em que fui assaltada liguei para a polícia e sabe o que eu ouvi? Que eu deveria fazer caminhos diferentes ao voltar para casa, evitar fazer o mesmo caminho todos os dias. Só que naquela noite eu resolvi fazer um programa diferente, portanto, um caminho diferente. Disseram-me que a polícia apareceria no máximo em 20 minutos ao local onde eu estava. Depois de meia hora desisti de esperar e fui embora.
    Infelizmente eu gosto muito do Brasil, mas para voltar pra lá, só acontecendo um milagre! Andar na rua sem medo é uma coisa que não tem preço!
    Bjs

  13. Leonardo,

    O assalto em si é vergonhoso. Ou melhor, qualquer tipo de violencia é vergonhasa. No caso citado, a postura do assaltado foi inocente. Se a situação fosse com algum evento brasileiro, além do assunto violencia, também seria discutido da falha na segurança deste. Fica a pergunta, pq nao se pode questionar a falha de segurança do programa?

    Nao estou defendendo o Brasil visto que a violencia existe e nao ha como negar.

    Quanto comparar agua no deserto e preocupaçao com segurança no Brasil significa necessedidade/prevençao basica: H2O para quem vai para o Saara e cuidados com segurança para quem viaja para o Brasil. Nao te parece logico?

    Infelizemnte a violencia brasileira chegou a tal ponto que agora procuramos formas para viver/sobreviver/adaptar a este caos. Certa vez li uma frase de uma brasileira que mora em Israel. Era algo assim: da mesma forma como que o carioca e o paulista (neste caso pode incluir todos os brasileiros) se adaptam e buscam forma de levar a vida em meio a tanta violencia, assim acontece com os moradores de Israel. Ali, qualquer momento pode explodir uma bomba, acontecer um ataque ou soar o alarme aereo e, contudo, todos buscam forma de continuar a vida.
    Entedeu a minha linha de raciocìnio?

  14. isto tudo foi outra historia a italiana! como ja aconteceu uma vez na talpa(programa televisivo apresentado pela a media 7 canal 5), que apos toda aquela confusao no barco dos participantes, foi descoberto que foi tudo um jogo de markting para aumentar a audiencia do programa! Pergunte com e-mail ao jornal local sobre o acontecido, e eles nao tem nenhuma noticia do acontecido na pequena cidade que e uma peninsula, que tem um dos menores indices de violencia do rio de janeiro!

  15. ufanista como a Erica. “Brasil: ame-o ou deixe-o….
    E se você não gosta da Italia, faça suas malas e vá para o Brasil. Está fazendo o que aqui???
    _______________________________________
    quanto bla bla bla ….. ahahhahah

    Primeiro…..
    eu gosto muito daqui de Verona, Estou aqui como todo mundo esta aqui para ganhar dinheiro, viver bem, estudar como todos vcs!!!

    Segundo….
    Nao posso esquecer que tenho minha familia la no Brasil…e que mesmo estando longe torço e luto pela melhora do pais.

    Lembrando tbem que nem todos tem a oportunidade de viajar pelo mundo, ou trocar um pais pelo outro devido a violencia ou seja la por qual motivo.

    Nao estou contra o Blog!!! Mesmo pq gosto muito dele…

    So dei minha opniao, simplesmente!!!! e PONTO.

  16. “Fica a pergunta, pq nao se pode questionar a falha de segurança do programa?”

    Claudia: Por que um programa de TV não tem obrigação (sequer obrigação moral) de armar um exército pessoal para filmar cenas no Brasil. Fazer isso é relativizar a obrigação do estado em manter as coisas em ordem, civilizadas. Imagine: uma equipe escoltada por gente armada, trocando tiros com dois bandidos em uma moto? A chance de alguém tomar um tiro subiria assustadoramente. E é por isso que a comparação com água não faz o menor sentido.

    Se você tem água não morre de sede, mas se você tem segurança particular NADA GARANTE que MESMO ASSIM não seja assaltado/morto. Água é necessidade básica e garantia de sobrevivência; segurança particular pra esse tipo de coisa é uma demência que prolifera em países como o Brasil, onde o estado não cumpre com seu papel, e que mesmo assim não garante absolutamente nada.

    Não podemos nos comparar com Israel, uma zona de conflito militarmente patrulhada. Se é questão de nossa violência estar no nível israelense ou não, bem, é outra discussão. No Brasil ainda vivemos em uma república federativa e em um estado democrático de direito que tem obrigação (está na Constituição) de prover segurança. Mesmo em Israel a verdade é parcial, já que o alarme anti-bombas só funciona em áreas nas quais o hammas ou o hizbolah são ameaça, na faixa de fronteira. Em outros lugares, tenha certeza, Israel tem a mais alta taxa de segurança urbana do mundo.

    ERICA:
    1) Aula de português URG.
    2) Aula de lógica URG.
    3) Aula de interpretação de texto URG.

    Depois tente de novo.

  17. Leonardo, para finalizar o nosso pingue-pongue (que aliás, adorei), deixo minhas considerações finais:

    Contar com o Estado é fazer como criança e acreditar em papai Noel. A segurança é responsabilidade do Governo (de qualquer esfera) mas se isso fosse algo real no Brasil, não teríamos chegado a este ponto de violência. Por isso que investimos em cerca elétrica para nossas casas, escolhemos morar em condomínios com ronda de segurança, contratamos segurança particular, temos alarmes nos carros e chips com controle por satélite etc. Tudo isso não impede em 100% a ação de criminosos porém diminui. Por isso eu acredito que ao realizar um evento a produção do mesmo precisa pensar neste item. Aliás, foi uma das coisas que aprendi na pós graduação, na disciplina assessoria de eventos, que a segurança, em todo o seu sentido, tem a mesma importância como os demais itens.
    Sendo assim, voltando ao assunto do post, considero que:
    a) a violência é o cartão postal negativo do Brasil,
    b) a produção do programa errou em não pensar na segurança da equipe e dos participantes,
    c) quem não quer morrer de cede no deserto, leve água; quem quer ter um pouco de segurança no Brasil não espere pelo Estado e tome atitudes proativas de segurança.

    Bem, é isso. Sei que temos pontos de vista diferentes mas posso dizer que gostei muito deste pingue-pongue que foi baseado em argumentos coerentes e inteligente.

    Ciao!

  18. Gostaria de esclarecer um mal entendido. Partindo do pressuposto que acredito que todas as pessoas são livres para escolher o seu destino, não gostaria que a frase do comentário anterior fosse interpretada como “Brasil, ame-o ou deixe-o”, que era utilizada em tempos de ditadura e tinha um significado muito complexo.

    Simplesmente acredito que todos nós podemos mudar a nossa vida, principalmente as coisas que nos incomodam. Talvez eu tenha me expressado mal, mas o que eu queria dizer com a frase “E se você não gosta da Italia, faça suas malas e vá para o Brasil. Está fazendo o que aqui???” é que quem não está feliz, invés de reclamar, deve buscar a felicidade. Deve tentar novos caminhos. Alguma coisa precisa mudar. Não dá para passar décadas resmungando.

    Entendo que talvez a frase não seja endereçada a Erica, que como ela mesmo disse, gosta de viver em Verona. Eu citei a frase baseado nos textos que li por aí na internet de uma brasileira que absolutamente não via uma coisa sequer de boa na Italia. Oras, neste caso é difícil não concordar que é necessário buscar uma solução alternativa: ou mudar o olhar pessoar, ou mudar de cidade, de país. Afinal, ninguém aqui é masoquista, né?

    Acredito que todos nós queremos o melhor para o Brasil. Desejar o mal ao país onde moram nossos queridos (família e amigos) é a mesma coisa que dar tiro no próprio pé!

    Todos nós queremos ter o direito de dormir um sono tranquilo, de caminhar pelas ruas com a mente aberta para poder apreciar a beleza do caminho.

    É verdade, o lugar perfeito não existe. Cada lugar do mundo é único e possui características únicas. Isso não signfica que devemos aceitar passivamente tudo e que defeitos não possam ser melhorados.

    Esperamos que as coisas melhorem. E bom início de semana a todos!

  19. Leandro Demori
    O sr. leciona???
    Poderia me ajudar???

    _______________________________________________

    BEIJAO PARA ESSE BLOG LINDO!!!

  20. Mas, não me leve a mal, não se esqueça que você, ao deixar seu país, passa a ser covarde, porque não quis lutar para melhorá-lo. É muito fácil falar de longe e do passado. Difícil, você sabe, é fazer um futuro melhor.

  21. @Anonimo
    As fronteiras foram criadas pelo homem, mas o mundo eh um so. O importante eh lutar pelo bem onde quer que a gente esteja. Mudar de pais nao eh um ato de covardia ou coragem, eh uma necessidade: de conhecer o novo, experimentar novos caminhos, testar novas receitas.
    Fico feliz em saber que voce luta diariamente por um Brasil melhor.
    abs,
    Barbara

  22. Nossa, isso aqui está parecendo discussão entre torcidas de futebol, todos querendo opinar quando na verdade, só se fala mal do Brasil, não falam nada do que já sabemos, aqui tem violência sim, porém, tem coisas boas também, sou paulistana e nunca fui assaltada,outra coisa, o mal do Brasil é o brasileiro, que mesmo longe daqui faz questão de tripudiar. Pelo menos uma vez na vida, não generalizem as coisas!!!

Comments are closed.