Quer saber se vale mesmo a pena vir para a Italia? Então veja se é isso o que você procura:

A Italia é um país socialista: igualdade de direitos e deveres para todos. Aqui essa regra vale mais do que no resto do mundo. Vamos por ítens:

a) educação: todas as crianças devem frequentar a escola até completar o que seria o equivalente nosso ao colegial. O ensino é gratuito. Para quem quiser continuar a estudar, a universidade é em boa parte financiada pelo Governo. De acordo com a faixa de renda da sua família você paga um determinado valor.

b) saúde: é um direito de todos e a Italia tem um dos melhores sistemas de saúde do mundo. Cada cidadão tem o seu médico de família, que é aquele que te fará as receitas para comprar remédios na farmácia, os certificados de malattia para quando você estiver doente e não for trabalhar e cuidará dos problemas simples de saúde.
Na Italia para comprar remédio e até pilula anticoncepcional precisa de receita. Os remédios de maior necessidade são gratuitos. Caso precise de um médico especialista, como um otorrino, ginecologo, etc, você telefona para o sistema sanitário e agenda a sua visita. Exames também são gratuitos, é necessário apenas pagar um ticket. Aliás, de acordo com a sua renda, você pode ter serviços gratuitos ou pagar uma pequena taxa.
Se você for esquiar e sofrer um acidente, não se preocupe. Toda a operação, custos de hospital e médicos serão pagos pelo Governo.

c) segurança: na Italia é muito difícil que alguém te aborde com um revolver. Mas pode acontecer de você ir fazer compras em uma loja e enquanto está lá vendo se o sapato ficou bom na frente do espelho, alguém abre sua bolsa e leva a sua carteira. Ou dentro do ônibus. Também não recomendaria para mulheres caminharem sozinhas por ruas desertas à noite. A Italia está sendo invadida por imigrantes, muitos deles muçulmanos, que acham que mulher sozinha a noite é puta e pode ser perigoso. Os italianos tem reclamado muito porque mudaram uma lei para beneficiar certos políticos e o que acontece é que muitos marginais são liberados da prisão depois de pouquíssimo tempo: tem o bom comportamento, o indulto, o não sei o que, e uma pena de 10 anos é cumprida em 10 meses. Essas mudanças foram feitas para salvarem políticos corruptos, mas está gerando o caos e é possível que venham mudanças novamente em breve (é o que pedem os cidadãos).

d) o respeito pelo trabalhador: não quero ser preconceituosa, mas no Brasil, um porteiro de apartamento é visto como coitadinho. A caixa do supermercado, como uma pessoa de um nível social inferior. Aqui na Italia trabalhos que no Brasil seriam considerados inferiores aqui são dignos como qualquer outro. O italiano foi acostumado a ser tratado como gente quando trabalha e quando isso não acontece, ele pára e aí vem mais uma greve. No Brasil a gente costuma criticar os grevistas como se fossem preguiçosos. Aqui eu vejo com outros olhos: são pessoas que querem ser tratadas como pessoas. Não são escravos. O italiano quer ter um emprego, pode ser qualquer emprego, que no final do mês traga um salário justo, quer ter os direitos assegurados (férias remuneradas, 13 e14 salario, direito de licensa por doença remunerada, entre outras coisas). A consequencia é que como é tudo tão assegurado, as coisas funcionam mais lentamente, como no serviço público. Mas honestamente acho melhor assim. Afinal, correr tanto para quê?

e) o trabalhador italiano e o salario: li uma matéria na revista Panorama que falava que o salario dos italianos estava entre os mais baixos de toda Europa. Bem, a revista Panorama é uma revista para se desconfiar do que se le porque é propriedade do Berlusconi, que sonha em se tornar o dono da Italia e é contra o governo atual. Lógico que aumentos são bem vindos sempre, mas em muitos dos países onde dizem que os salários são maiores, os direitos são menores.

f) os impostos: quem ganha mais, paga mais. quem ganha menos, paga menos ou não paga. Por exemplo, vejamos a tabela publicada na tal revista Panorama de 03/01/2008: um operaio ganha um salario de 14.018 euros por ano, que com os descontos vira 12.589 euros. Um manager ganha 191.338 euros, que com os descontos vira 102.338, ou seja, quase metade. É justo? Sim, na minha opinião como italiana é justo porque esses descontos dos ricos viram melhorias para os menos favorecidos. E quanto melhor o padrão de vida dos menos favorecidos, mais eles consomem e fazem a economia girar. No Brasil eu pensave de modo oposto: que não adiantava “dar esmolas” aos pobres. Adianta sim, porque para os menos favorecidos, 50 Reais é muito dinheiro. Como quando você chegar aqui e se transformará em um pobretão no início: vai perceber como 50 euros fazem a diferença. Para os ricos é a diferença entre 100 sapatos novos ao ano ou 200. Melhor ter 100 sapatos e caminhar tranquilo pelas ruas sem medo de sequestro relampago, que aliás, aqui absolutamente não existe! As últimas notícias de sequestro que foram publicadas no jornal no último ano, depois descobriu-se que era uma invenção dos sequestrados, que tinham feito mil dividas. Aqui os padrões são diferentes.

Se você sonha em ficar rico e ser empresário, melhor ir para outro país. Inglaterra ou Estados Unidos, talvez sejam uma boa opção. Até a China comunista…

6 COMENTÁRIOS

  1. Ótimo post, fico no aguardo da parte II.

    E quanto ao último comentário, pode ser mais difícil, mas se até no brasil alguns conseguem ficar ricos honestamente…

  2. Honestamente acho mais facil ficar rico no Brasil do que na Italia. No Brasil tenho alguns amigos que tiveram ideias geniais (simples) e estao enchendo o … de ganhar dinheiro. Acho que por aqui seria mais complicado que dessem certo.

    Geralmente os empreendedores italianos sao donos de metade da cidade. Por exemplo: o proprietario de uma loja no centro de firenze, provavelmente tera nao apenas outras lojas de sua propriedade, como mais um restaurante, um hotel, 3 predios inteiros para alugar…

    Tudo na vida é possivel. Mas se tivesse que escolher um ambiente para ser empreendedor e fazer dinheiro nao seria na Italia. Mas voce pode vir para ca, aprender com eles, e voltar para o Brasil botando banca. Tudo que eh estrangeiro no Brasil faz sucesso…

  3. Gosto muito da forma com que vc coloca as quetões. Ao contrário de vc acho que a Italia ainda é um país que tem oportunidades para um empreendedor. Uma sociedade velha, com cabeças nada jovens, mas que precisa desesperadamente nudar. E vejo sim brechar para empreendedores. O TEMPO DIRÁ.

  4. Mas quanto À busca de um emprego com todas as garantias sociais de acordo com a formação intelectual de cada um, aí sim, assino embaixo do que vc disse, e digo mais, que a Italia é a Porta de Entrada para o mercado de trabalho europeu. Sabidamente melhor remunerado, com maiores possibilidades.

  5. Olá, vivi na italia por 12 anos e voltei ao Brasil em 94. Concordo com varias coisas que voce falou, mas discordo de outras. O sistema de saude da Italia é muito confuso. Eu era residente a Roma e passei muito mal em Milano, e fui em varios hospitais que recusaram me atender,somente pelo fato de eu ser residente a Roma. Nao entendi nada.

    O fato de ser um pais mais seguro, é relativo, pois eu fui assaltado algumas vezes (vivo no Rio e só fui assaltado aqui uma vez em 1982) e ainda fui acusado uma vez de ter roubado uma mulher em um onibus, mesmo eu tendo provado que havia acordado naquela hora e que morava a 50 metros da onde a mulher me acusou. Ela me acusou só pelo fato de eu parecer um arabe, somente por este motivo. Tive que gastar uma nota preta com advogado para meu nome nao ficar sujo. E por fim, tem o problema de ter que renovar o visto a cada 2 anos e ter que passar por humilhaçoes horriveis nas questuras.

  6. Oi Luiz,
    Seja bem vindo aqui ao Brasil na Italia.
    É sempre bom ter uma outra visão, de uma outra pessoa que viveu na Italia.
    Nossa, que confusão essa com a senhora, hein. Você que devia denuncia-la por difamação e fazer com que ela te indenizasse por todo dinheiro gasto.
    E como foi a volta ao Brasil? Foi fácil a readaptação depois de 12 anos? Sente saudade da Italia? Deixou amigos ou família aqui? Conta mais que a gente quer saber!

Comments are closed.