Na semana passada eu estive na região da Maremma, aqui no estado da Toscana,  para participar da primeira edição do  Vivamus, um festival de verão que tem o objetivo de divulgar as tradições culturais do território.

Foi a primeira vez que conheci cidadezinhas lindas e charmosas como Manciano, Saturnia, Montemerano e Pitgliano, joias pouco conhecidas pelo turismo de massa e que dificilmente são incluídas nos tradicionais pacotes de viagem para a Toscana.

Participei do evento como convidada do assessor de cultura de Manciano, Giulio Detti, um jovem cheio de energia, que está ajudando a divulgar as belezas de um território tão rico e interessante.

 

As termas de Saturnia: a principal atração do território
As termas de Saturnia: a principal atração do território

 

Manciano

Minha primeira impressão? O lugar parece uma cidadezinha de interior de séculos atrás! Literalmente.  Assim que eu cheguei em Manciano e caminhava pelas ruas sozinha (sim, eu cheguei sozinha, sem conhecer ninguém, como sempre…) percebia que as poucas pessoas pelas ruas ou nos bares me olhavam com aquela cara de: “quem é essa daí?”.

Provavelmente ainda chamei mais a atenção porque saí para passear às 2 da tarde de um tórrido dia de verão. Praticamente não tinha ninguém na rua, as lojas todas fechadas (em geral fecham as 13.00 e só reabrem depois das 16.30).

Comecei a caminhar pelas ruazinhas até chegar no alto da cidade, onde tinha um castelo medieval – La Rocca – com um panorama estupendo. Aproveitei para curtir a brisa lá de cima e publicar algumas fotos via twitter e facebook.

Depois da primeira leva de fotos fui até o hotel para descansar para a primeira noite de Vivamus. Meu hotel era bastante simples, atendimento familiar gentil e boa localização: praticamente entre Manciano, Saturnia e Pitigliano, ideal para quem vai de carro (o nome do hotel é Il Borgonuovo para quem se interessar e o proprietário tem até uma página Facebook!)

A melhor parte da noite foi  “Vivamus atque Amemus” de Art Monastery Project. Praticamente esse Art Monastery Project era um grupo de artistas de New York e San Francisco que criou um espetáculo exclusivamente para o Vivamus. Tudo começou com um senhor que tocava sanfona, cantava e dançava: ele ia chamando a atenção e convidava as pessoas a segui-lo. Aí ele parava em um outro ponto da cidade e encontrava outros músicos, que tocavam juntos e continuavam a caminhar pela cidade até que encontravam artistas que interpretavam uma cena… e por aí vai. No início o povo da cidade ficava só olhando, desconfiado. No final tinha o maior grupo seguindo a trupe! Todo mundo entrou na brincadeira.

Outra coisa bacana foi que tive a oportunidade de entrar no castelo, em geral fechado ao público, e pude acompanhar o finzinho do pôr do sol, uma vista incrível.

Logo depois chegaria um amigo meu fiorentino, que voltava de Roma e decidiu passar para conferir o evento. A parte mais interessante? Quando ele estava nos arredores de Manciano presenciou um pastor atravessando a estrada com cabritos! Se você quiser conferir, ele publicou o vídeo na Fan Page de Vivamus.

Sugestão: confira ofertas de hotel em Manciano.

Pitigliano

Como os eventos eram programados para a noite, aproveitei o dia para conhecer os arredores e assim fui parar em Pitigliano, uma cidade medieval que praticamente se equilibra no alto do morro! Já tinha visto algumas fotos e morria de curiosidade de estar lá ao vivo. Na verdade seriam necessários alguns dias para poder conhecer bem a cidade e não algumas poucas horas como no meu caso (atualização abril/2012: obviamente eu voltei a Pitigliano!). A curiosidade de Pitigliano é que ela tem um “bairro” judeu! Digo bairro entre aspas porque a cidade é tão pequena que seria mais uma ala do que um bairro…

Sugestão: confira as ofertas de hotel em Pitigliano.

Montemerano

De todas, a minha cidade preferida foi Montemerano. Ok, admito fui muito influenciada pelo estômago. Seja no início como no fim da festa teve distribuição de docinhos grátis! E no final da noite inclusive com água e refrigerante. Tudo oferecido pelos próprios habitantes: sabe a senhora que passou a tarde fazendo bolo para a festa à noite? Me senti praticamente em casa!

Em Montemerano a noite foi totalmente medieval. Começou com o lançamento das bandeiras, uma tradição super típica da Toscana e da Italia. Depois teve a representação das profissões da idade média como o ferreiro, o padeiro e o marcineiro. Músicos tocavam instrumentos medievais que vi pela primeira vez na vida. Participei de um jantar medieval em um restaurante da cidade e depois a festa continuou com jogos e o passado medieval contado através de cidadãos locais fantasiados como os grandes personagens do passado. Um charme!

Sugestão: confira as ofertas de hotel em Montemerano.

 

Saturnia

Saturnia é conhecida por suas águas termais e banheiras naturais formadas com o passar dos anos. A principal atração deste minúsculo vilarejo são “le cascate del mulino”.  O acesso é gratuito e o banho a 36 graus é disputadíssimo durante todo o ano.

O que me causou impressão foi ver tanta gente assim por lá em um dia de sol fortíssimo e temperatura ambiente que devia beirar os 40 graus porque a água da terma parecia quase fresca: uma loucura na minha opinião, o melhor seria voltar para um banho noturno!

O centro de Saturnia é belo, mas minúsculo. O que me chamou atenção foram as borboletas. Cheguei até a tirar foto de uma delas.

A melhor época para visitar as famosas “cascate del mulino” é entre abril e setembro. Não recomendo o mês de novembro porque chove muito na região.

Sugestão: confira ofertas de hotel em Saturnia.

Dicas e truques

Meu primeiro conselho é: vá de carro! Eu estava sem carro e decidi ir de trem e ônibus, mas realmente é uma aventura. Levei 5 horas para fazer um percurso que de carro leva 2 horas e meia! Além disso o cenário no meio do caminho é lindo: em julho tinha girassóis por toda parte, as colinas douradas. Dá vontade de parar em todo lugar. Mesmo para fazer aquela foto de Pitigliano, se eu não tivesse descolado uma carona de carro, seria bem complicado tirar uma foto da onde eu tirei. Existem poucos ônibus por dia, se você perder um pode ficar isolado e não ter como voltar para o hotel.

Meu amigo que foi me visitar vinha de Roma. Pode ser uma dica não convencional para quem vem dirigindo de Roma: evite a autostrada e descubra novos caminhos. Sim, vai levar muito mais tempo para chegar a Firenze e por isso o ideal é fazer tudo devagarinho, ficar hospedado por lá algumas noites, fazer amizades. Muita gente quer vir para a Toscana e não encontrar turistas: a missão é difícil, mas posso dizer que essa região da Maremma é bem mais tranquila comparada a outras cidades (excluso Saturnia, que é conhecidíssima).

Bem, por hoje é só! Se alguém já conhece algumas das cidades citadas deixe a sua opinião.

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi Bárbara,
    Que privilégio poder passar por esses lugares todos não é? A Toscana pra mim tem essa áurea mágica que você mencionou sempre, sempre! Eu estou aqui na Noruega, mas sonhando em estar aí.

    Beijos e continue sempre como você já é. Tá super bom! :)))))))

  2. Ai, ai… Toscana… nostalgia rsrs.
    Será que a Italia não tem deficiência de profissionais de TI?? Faço minhas malinhas agora!!! rsrsrsrs

  3. Ah!, falar da Marema e não falar de gastronomia é covardia. Sim, a geografia, as tradições e a história da região são muito ricas, mas a gastronomia…
    🙂

  4. Nossa muiito perfeito, meu sonho é conhecer a Itália, muiito linda a história da regiã, os lugares as comidas e tudo mais, isso é um privilégio pra você.

  5. Que lindo post… morro de t=vontade de fazer um tour pela Toscana com o maridao (a familia dele veio de Florença).
    bjos

Comments are closed.