A Itália é riquíssima em idéias, criatividade, talento, inovação. Apesar de ser a pioneira em tantos setores, a mídia tem bombardeado quem mora no Belpaese com desânimo, passando a idéia de atraso, de estagnação, pessimisto. Xô baixo-astral!

Para dar uma energia especial no seu começo de semana, BRASIL NA ITÁLIA publicará toda segunda-feira posts com a temática “Idéias Criativas”.

Talemi

Michela Tasca é uma estudante italiana de história da arte que buscava um produto que tornasse único quem o vestisse. Assim, com a irmã Elena, no ano passado ela desenhou tênis persolizáveis com o próprio nome, data ou pequenas mensagens. Elas vendem tudo online através do site http://www.talemi.com O design é bacana, os tênis são feitos em couro e você pode brincar personalizando o seu!

Idéia sobre a Idéia: que tal fazer um evento para clientes super vips da sua empresa onde cada convidado ganha de presente sapatos made in Italy com a cara deles?

7 COMENTÁRIOS

  1. Olá, antes de mais nada meus parabéns pelo blog, venho lendo muito ultimamente, e ja tirei várias dúvidas. Meu nome é João e no fda estou de mudança pra Itália com minha namorada (será esposa na época). Tenho Passaporte Italiano, será que consigo alugar uma casa daqui do Brasil pra quando chegar ja ir direto do aeroporto pra minha casa ?(Vou morar em Milão)Obrigado e parabéns mais uma vez !!!

  2. Adorei a ideia do tênis e gostaria de representa-la aqui no Brasil, mandei um e-mail prá vocês. Sou jornalista e tenho uma empresa a WQ ASSESSORIA DE IMPRENSA, e trabalho muito com clientes de moda. Estou a disposição para conversar acom a Michaela. Meu e-mail : jo.qharamos@gmail.com.
    abs

  3. Ciao BNI, come va?

    Beh, io, devo dire, un po annoiato e a dire tutta la verità, mi sta venendo un po’ (forse troppo spesso, non lo so) la nostalgia del Brasile. Forse la consapevolezza che col lavoro che faccio ci metterò tanto tempo per crescere e raggiungere un livello alto. Forse la difficoltà di trovare dei veri amici. Forse la mancanza della famiglia anche se non sono mai stato uno di quelli troppo attaccato alla famiglia). O forse un pò di tutte queste cose messe insieme.

    Comunque sento una grande nostalgia. E te lo dico perché sicuramente hai già sentito lo stesso, no?

    Poi ho letto tuo post sugli stipendi in Brasile e quello che restava della mia autostima è crollata tutta ad un tratto. Quando sono partito dal Brasile sapevo che sarebbe stato difficile e comunque non mi lamento, ma insomma, ci sono dei giorni in cui la cosa è più forte di te. Cerco di pensare e di riflettere su quello che mi dice mia coninquilina: hai già fatto passi da giganti.

    Provo a non pensarci. Anzi, ci penso in modo positivo: che sono cresciuto, che ho imparato tanto, che ho conosciuto gente che non avrei mai potuto conoscere in Brasile e sono fiero di tutto ciò, ma… non riesco a allontanare la malinconia. Giovedì scorso mi sono fatto soccorrere da un amico brasiliano che abita a Roma. Oggi non gli rompo le scatole e quindi approfitto un po’ questo spazio e mi sfogo.

    Penso a Londra dove sarei dovuto andare prima di venire a Roma. Ma lì, a parte il fatto di stare vicino agli amici, sarebbe stato tutto più difficile. O forse no. Non lo so.

    Ci sono dei momenti in cui me ne voglio andare subito e non perché non mi piaccia Roma o l’Italia. Anzi, mi trovo bene e sono orgoglioso di tutto. Anche felice. Ma… c’è sempre un ma…oggi non mi trovo proprio nei miei migliori giorni, come vedi.

    Comunque mi voglio complimentare con te per il sito. Questo ultimo post mi ha fatto riflettere un po’. Che sto facendo io per cambiare la situazione? Come hai detto te, “xo baixo astral”.

    Ci penserò e proverò a trovare qualcosa. Un giorno ho letto un’intervista ad una celebrità italiana (di cui il nome non me lo ricordo) e lei diceva che la felicità mica è roba semplice, regalata o facilmente disponibile: uno deve faticare a prenderla, diceva che non si può fare altrimenti.

    Credo sia vero. E quindi chiudo qui la lamentela.

    Sempre cercando di prendere la felicità.

    😐

    Ciaaaooo.

    Rogerio

  4. João: posso te sugerir responder anuncios de classificados online para Milão ou então contratar o serviço de um assessor… Eu particularmente preferiria sair do aeroporto e ir para um belo hotel. Escolher a casa onde você passará vários meses da sua vida via fotografia e sem nem ter uma idéia de onde é realmente dentro de Milão, acho meio furada.

    Jô, respondi via e-mail.

  5. Rogério,

    Não é nada fácil viver neste começo de século XXI. Este é um período de crise mundial. Ninguém entende mais nada: nem no Brasil, nem na Itália, nem em lugar nenhum. Não existe mais uma receita de sucesso, nem a indicação de um caminho a seguir para ser feliz. O jeito é estar preparado para tudo. E melhor ainda não aceitar as coisas muito pacificamente, quero dizer: seja pró-ativo.

    A gente sente saudades do Brasil porque a saudade existe, claro. Mas também existe a idéia que as nossas lembranças eram sempre ótimas e tudo que aconteceu no Brasil era maravilhoso. Aí você olha para a sua vida agora e pode ver algumas coisas não tão legais e pensa: mas se antes era maravilhoso, eu vou voltar é para lá.

    A questão é: talvez se fosse tão maravilhoso você teria tido vontade de partir? Ou precisava partir só por uns tempos e já está pronto para voltar? Não é fácil saber. Principalmente se nos compararmos com os outros. Podemos ver um colega de escola que hoje tá ganhando super bem, comprou apartamento e parece tudo ótimo.

    A vida é feita de fases. Tem aquelas que estamos lá no alto, de repente podemos cair. O fato é que acredito que alguém que vem para a Itália, com a cara e com a coragem é um vencedor em partenza. E quando você olhar para trás e olhar para tudo o que passou pode até ver dor e luta, mas sentirá também o orgulho de ter experimentado, de ter vivido. E de ter descoberto coisas incríveis, que se continuasse com a sua vidinha nunca entenderia.

    Alguns dizem que ignorância é felicidade. Vai saber… eu também tenho meus altos e baixos. Os altos geralmente são durante as férias ou quando escrevo no blog. E os baixos quando tenho que pensar em um trabalho chato, sem graça e sem o menor objetivo de desenvolvimento como pessoa. E eu concordo com essa atriz que disse que a felicidade a gente tem que conquistar. Mas ela está mais perto do que parece… Espero que você se anime. E continue escrevendo por aqui… 🙂

  6. Ciao BIN,
    grazie per per la risposta. Dai, coraggio, mi dico sempre. Alla fine non posso lamentarmi di niente, assolutamente. Tutto positivo finora, strada in salita. Ovviamente soffro perché sono sempre stato molto ansioso e voglio tutto prestissimo…ed è evidente che se crescere in Italia è difficile per un Italiano, figuriamoci per un straniero. Poi aggiungiamo un po’ la mancanza dei miei e degli amici… ecco, sono rimasto male.
    Ma va… tutto bene, andiamo avanti e cercherò di non lasciare spazio per la malinconia.

    🙂

    Grazie veramente per il commento. Mi ha fatto molto piacere!

    Rogerio.

  7. Obrigado, acho que vou fazer isso então, hotel e procurar, quando achar, vou precisar de quais documentos, vc saberia me dizer ? Muito Obrigado mais uma vez !!!

Comments are closed.