Apesar de eu ter desembarcado em Milão; feito uma conexão até Napoli, para aí sim, conseguir chegar ao meu destino, Salerno; eu considero esta última cidade como sendo a minha porta de entrada na Itália. Até por que, nas demais, eu não saí dos aeroportos. Assim, cheguei!
E tirando a incrível e inesquecível visão do Vesúvio (o vulcão de Napoli), que me distraia e encantava no caminho até a cidade vizinha, na costeira Amalfitana, meu destino final; somada a parada na estrada para ver o porto local, confesso que a primeira impressão dela, não foi nada legal. Mas já era tarde para voltar.

Vesúvio: a companhia constante pela estrada
Porto de Salerno: um dos mais importantes e movimentados do país

Estava escurecendo, chovia e o clima era abafado. E eu, confuso horário, enjoado e cansando, me sentia pior que no primeiro dia de aula. Com o agravante da distância até a minha casa, agora, ser muito maior. Além de suspeitar que a lição que eu era forçado a aprender, a partir daquela hora, seria muito pior. Minha mãe não estava do lado.

Mas bastou um merecido descanso para, no dia seguinte, tudo melhorar! E eu poder enxergar com bons olhos o que aquela viagem, que começava naquela cidade, iria me proporcionar. Nada como uma boa noite de sono para colocar as coisas no lugar. Afinal eu sou um homem e não um saco de batatas!

Acordei, o dia tinha melhorado e me convidava para o primeiro passeio nesta nova terra, a segunda mais populosa da região da Campania. As ruas são estreitas, os prédios muito juntos e as calçadas apertadas. Mas é questão se costuma. Isso explica a quantidade de carros pequenos rodando por lá. Mas bastou uma curva ali, outra acolá, para avistar a avenida Lungomare e uma luz naquela espécie de túnel, clarear. Ainda bem!

Ruas estreitas estimula a compra de carros estreitos
Se fosse na Inglaterra, podia jurar que o Mr. Bean estava por perto

A paisagem ficou mais clara, as pessoas mais visíveis e o clima, igual a qualquer cidade litorânea, se mostrava. Seja nos passeios feitos pelos mais idosos no calçadão; passando pelos jovens tomando um gelato até os adultos que circulavam trabalhando numa cidade agitada enquanto eu passeava e conhecia as muitas pracinhas espalhadas e as feiras livres. O local ideal para quem quer conhecer a alma de uma cidade e se sentir parte do povo.

Crianças, jovens, adultos e idosos: todos dividindo o mesmo espaço

Aos poucos fui entrando no clima, me acostumando com a paisagem das montanhas que cercam o local, distante vinte quilômetros de Napoli na região Sul da península, de onde partem trens para várias regiões do país e também por isso, acabei passando apenas uma semana por lá. Mas o suficiente para dar tempo de me recuperar da má impressão inicial e fazer as pazes com a cidade, que lembra uma mini Napoli, antes de partir para outra região, querendo voltar mais vezes! Arrivederci! E assim, parti!

Vista panorâmica da cidade antes de partir para além das montanhas

 

———-
Este é um guest post de Fernando Ferrari (fffernandoferrari@gmail.com). Fernando  é brasileiro de nascimento, francês de cidadania e italiano de coração! Publicitário, escritor amador, mora em São Paulo, já esteve na Itália duas vezes e mantém o blog www.cabecatroncoetextos.blogspot.com Um dia pretende trabalhar e viver mais tempo por lá, mas enquanto não surge uma oportunidade, escreve para diminuir a saudade.

—–
Quer contar a sua viagem pra gente? Envie um artigo e algumas fotos com legenda para brasilnaitalia@gmail.com

8 COMENTÁRIOS

  1. BOM DIA QUE CIDADE LINDA QUERO CONHEECER MAIS ESTA CIDADE MANDEM FOTOS PARA MEU EMAIL.

  2. Olá Alexandre! Mande seu e-mail que envio mais fotos! Fernando Ferrari

  3. Estarei indo para a Itália em setembro e gostaria de dicas de lugares que devo conhecer.

  4. Oi Regina,
    Existe um menu no alto do site onde você encontra a seção “Destinos”. Lá você pode selecionar Italia e se divertir com as várias opções de cidades maravilhosas para a sua viagem.
    Um abraço,
    Barbara

  5. ola moro na italia, especificamente em palermo entretanto, sempre estou em salerno que è onde moram meus sogros. a cidade è maravilhosa, linda e perto da costa malfitana, positano e sorrento que è simplesmente um paraiso. vale muito a pena.

  6. Boa tarde Morando em Milão há quase 12 anos fui conhecer Salerno e toda costeira amalfitana e Cilento n ano de 2009 foi muito bom pois tinha participado ao TTI Travel Trade Itália organizado por Adriana Miori que realiza a feira do incoming na Itália em Rimini após a feira fui convidada pelo TTI e câmera do Comercio Salernitana junto com Buyers do mundo inteiro. Os Salernitanos faltavam colocar tapete vermelho no shao para nos sem falar da recepção no Grande Hotel Salerno pelo comercial Marco Gasparro e também presidente da Câmera do Comercio e seus assistentes.
    O incrível que neste grupo visitamos parte do Cilento e toda a Costeira Minori, Maiori excursões e fomos v como se fazia a famosa mussarela de búfalo e vimos tb como cuidam dos Bufulus na Itália.
    Visitamos igrejas maravilhosas e era o mês de outubro tinha um sol maravilhoso e um clima muito mais quente que o de ‘Milao’ . Ficamos todos apaixonados.
    Fizemos muitos contatos e acredito com o projeto de trazer brasileiros na Itália nao poderei deixar de propor Salerno e regiões próximas as ilhas de Isquia, Capri, Ventotene, Procida e toda Costeira Amalfitana… Italia tem muito a oferecer como nosso maravilhoso e amado Brasil.

  7. Oi Cynthia, seu comentário ajuda muito a entender a atmosfera da cidade e certamente não pode faltar no roteiro dos próximos viajantes! FF

Comments are closed.