Nos próximos dias o governo italiano deverá declarar estado de emergência na região afetada pelo naufrágio do navio Costa Concordia, nos arredores da Isola del Giglio na Toscana. A notícia foi divulgada ontem pelo Ministro do Ambiente, Corrado Clini (Italia) que declarou sua preocupação com o futuro do território:

“Precisamos agir rapidamente porque as condições climáticas estão mudando e também para evitar problemas ambientais. Existe um risco muito elevado de que um possível deslocamento do navio devido das correntes marinhas rompa os tanques de combustível antes que este seja aspirado e colocado em um local seguro.”

No entanto a operação de aspiração do combustível do Costa Concordia  – que será realizada por uma empresa holandesa – só começará depois que se completar a busca pelas pessoas desaparecidas –  29 de acordo com a lista oficial neste momento (embora o jornal La Stampa fale de uma lista secreta de cerca 40 pessoas desaparecidas).

Neste meio tempo começou a audiência  do comandante Francesco Schettino com a juíza do Tribunal de Grosseto, Valeria Montesarchio, a fim de confirmar as acusações de homicídio culposo, naufrágio e abandono do navio.  O Procurador Chefe de Grosseto, Francesco Verusio, informou que o oficial pode pegar até 15 anos de cadeia (que na minha modesta opinião são poucos perto do desastre que ele provocou! Confira detalhes sobre a sessão de erros do capitão Schettino aqui).

O fundo do mar da Isola del Giglio: um tesouro em risco

As cores do fundo do mar da Isola del Giglio retratados por David Salvatori

O Giglio sempre foi o paraíso de mergulhadores de todo o mundo com diversos pontos famosos para a imersão como: secca i Pignocchi, i Tralicci, punta delle Secche, punta del Fenaio, cala Monella, Punta del Morto, secca della Croce, cala Cupa, le Scole, secca Zampa di Gatto, scoglio di Pietrabona, cala del Corvo, punta del Capel Rosso e cala dell’Allume.

O fundo do mar no Giglio antes do acidente – retratado por Simone Carletti

Agora é só torcer para que as 2300 toneladas de combustível do Costa Concordia não vazem e contaminem esse incrível patrimônio marinho nos arredores da ilha do Giglio.

Registro do fundo do mar no Giglio por riandreu

 Turismo no Giglio

Os toscanos são muito orgulhosos do seu mar. Quem não conhece bem a região costuma dizer que as praias da Toscana não se comparam as do sul da Italia. Provavelmente os não entendedores de Toscana se referem a praias exageradamente comerciais como Viareggio ou Forte dei Marmi. Para conhecer o melhor litoral da Toscana é necessário visitar uma das ilhas do Arquipélago Toscano: Gorgona, Capraia, Elba, Pianosa, Montecristo, Giglio e Giannutri.

O parque do Arquipélago Toscano

Quando visitar as ilhas do Arquipélago Toscano

Durante os meses mais frios da Italia muitas das ilhas do Arquipélago Toscano literalmente fecham para o turismo. Por isso nada de marcar a viagem em dezembro, hein?

Os melhores meses para visitar as ilhas do Arquipélago Toscano são junho, julho, agosto e setembro. Eventualmente você pode dar uma passadinha também em maio, mas a água ainda costuma estar gelada e provavelmente você não vai conseguir aproveitar o melhor que é nadar naquele mar de água transparente e cristalina.

Como chegar na Isola del Giglio

Existem duas empresas que oferecem serviço de balsa:

Toremar
Agência no Porto Santo Stefano –  tel.: +39 0564 810803
Agência no porto do Giglio – tel: +39 0564 809349
Horários: www.toremar.it

Maregiglio
Agência no Porto Santo Stefano tel.: +39 0564 812920
Agência no porto do Gigliotel.: +39 0564 809309
Timetable: www.maregiglio.it

Informações Práticas para organizar sua viagem

Se você procura mais informações turísticas visite a Agenzia per il Turismo dell’Arcipelago Toscano.

Se você procura um hotel consulte essa seleção de hotéis na Isola del Giglio e arredores

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here