Agora que chegou o calor aqui na Italia é praticamente impossível não falar em Sicília. Passei grande parte dos meus verões italianos explorando esse lugar incrível, que reúne tanta riqueza cultural, cores e sabores. Eu conhecia muito pouco sobre a Sicília antes de visitá-la pela primeira vez: sabia apenas que era a maior ilha do Mediterrâneo e que tinha um mar de tirar o fôlego. Com o tempo e várias idas e vindas depois, fui aprendendo um pouco da história, da tradição dessa ilha-continente que já foi dominada por gregos, romanos, árabes e espanhóis.

Vale conferir: dicas de hotéis em Palermo.

Se você está preparando seu itinerário na Sicília aqui conto quais são as cidades que não podem faltar em uma primeira viagem.

Quais cidades visitar na Sicilia

Existem diversas possibilidades de roteiros e cidades interessantes para visitar, tudo depende da quantidade de dias que você tem a disposição e do que está com vontade de fazer e ver. Como seria praticamente impossível falar de toda a Sicilia em um único post, fiz uma relação das minhas cidades favoritas.

Se você não está com vontade de dirigir pode alugar um veículo de luxo com motorista que fala português. Peça um orçamento aqui.

Uma viagem para a Sicília pode durar uma semana ou um mês, tudo depende da sua agenda. O que você pode ter certeza é que não faltam cidades bacanas e atrações para você conhecer!

Palermo

Palermo é a maior cidade da Sicilia e onde se encontra a sede do governo Siciliano (capoluogo).  Se é verdade que em um dia você consegue visitar as maiores atrações do centro histórico como por exemplo a Cattedrale, o Palazzo dei Normanni, Piazza Pretoria, Corso Vittorio Emanuele com i Quattro Canti; por outro lado você precisa de mais tempo para  curtir a maravilhosa praia de Mondello, visitar o santuário de Santa Rosalia no Monte Pellegrino, dar uma volta à noite na pracinha de Mondello ou curtir um espetáculo no Teatro Massimo, o maior teatro da Italia e um dos maiores teatros líricos da Europa ( o terceiro em tamanho depois da Opera National de Paris e Staatsoper em Viena) e famoso no mundo pela acústica perfeita com sua sala em forma de U. A primeira coisa que faço cada vez que vou a Palermo é comer uma arancina de carne e uma brioche con gelato (uma espécie de sanduíche de sorvete). Se sobrar tempo, dedique pelo menos meio dia para explorar Monreale e curtir uma vista panorâmica de Palermo.

Sugestão: faça um tour em Palermo de carro com motorista que fala português!

Cefalù

Cefalù é uma espécie de unanimidade entre os turistas que visitam a Sicilia: quem vem para a Sicilia pela primeira vez nunca deixa de fora essa cidadezinha que tem origens na pré-história, com traços deixados pelo homem no século IV a.C. Para os mais atléticos, vale a pena subir até o Tempio di Diana só para apreciar a maravilhosa vista lá de cima. O centro histórico é pequeno e muito charmoso, uma delícia entrar nas lojinhas, conversar com os proprietários sempre muito simpáticos e disponíveis. Adoro a praia da cidade, de areia macia e água transparente com vista para o vilarejo histórico.

Taormina

Essa é uma das cidadezinhas mais glamurosas da Sicilia: um lugar paradisíaco no alto de uma montanha, com uma vista incrível, onde se encontram boutiques que luxo, hotéis maravilhosos e muitos VIPs. Não deixe de visitar o Teatro Greco, faça um passeio no final do dia no centro histórico e de dia curta o mar delicioso da Isola Bella, Mazzarò e Spisone onde você pode chegar inclusive de bondinho.

Agrigento

Quem vai a Agrigento geralmente pretende visitar a Valle dei Templi, um dos mais fascinantes itinerários arqueológicos da Sicilia. Declarado Patrimonio da Humanidade pela Unesco, aqui você vai se impressionar com os grandiosos restos da antiga colonia grega de Akragas. Nos dias mais quentes entre junho e setembro, não esqueça de levar protetor solar e chapéu/boné. Outro lugar que ficou badalado nos arredores é Scala dei Turchi.

Siracusa

Ah, que boa lembrança de Siracusa. Em um delicioso dia de verão viajando com a família, paramos para apreciar a paisagem lá na Fonte Aretusa. De repente um senhor que morava na cidade se aproximou e começou a puxar papo. Vendo o nosso interesse, deu uma aula sobre a história do Papiro (Siracusa é uma das poucas cidades fora do Egito onde a planta do papiro cresce) e sobre os experimentos de Arquimedes, o maior matemático da antiguidade.

Piazza Armerina

Praticamente no centro da Sicilia, longe das praias e da brisa fresca, encontra-se Piazza Armerina. Vínhamos de Siracusa em direção a Palermo e decidimos incluir no roteiro a cidade conhecida por um dos centros arqueológicos mais importantes da Italia graças aos mosaicos com quase 2000 anos de história. Era um dia onde a temperatura estava por volta dos 40°C na sombra, o ar condicionado do carro não dava conta de refrescar a situação e a paisagem lembrava a de um deserto com pouca vegetação, tudo muito seco, muito nada entre uma cidade e outra. Paramos para almoçar em um dos poucos lugares abertos aquela hora e depois fomos visitar a  Villa Romana del Casale a 6km do centro de Piazza Armerina, onde estão os mosaicos. Saí de lá impressionada por descobrir como o ser humano vivia bem há 2000 anos: os mosaicos mostram cenas de ginástica, de mulheres em biquini (!!!), de caça, feiras… Eu particularmente não acho que vale a pena dormir em Piazza Armerina, é uma cidade que você pode visitar tranquilamente de passagem.

Leia outros artigos sobre a Sicilia:

8 COMENTÁRIOS

  1. eu sou desedente de italiano o meu sonho e´ coeser a italia é um pais muito bonito

  2. ciao,
    estou querendo saber se alguém já foi na festa di San Benedetto, il moro em Palermo.
    Grazie
    Sônia

  3. Em site de relacionamento social conheci uma pessoa q mora em Secilia/Italia, diariamente conversamos trocamos muitas informações, pessoais e culturais. Ultimamente me convidou p conhece-lo. Como devo fazer para tomar informações sobre a pessoa na Italia.

Comments are closed.